a carregar...

UC.PT

Divisão de Projetos e Atividades

PTDC/AAG-GLO/4784/2014

PTDC


Código da Operação:
POCI-01-0145-FEDER-016697

Acrónimo: STEM2

Referência: PTDC/AAG-GLO/4784/2014

Título: STEM 2 - Significado funcional da anatomia da madeira

Área Científica: Ciências da Terra e do Ambiente

Síntese do Projeto: Nas últimas décadas, a região Mediterrânica tem vindo a ser gravemente afectada pelas alterações climáticas, em especial devido ao aumento da ocorrência de eventos climáticos extremos (e.g. seca). Os modelos climáticos actuais projectam um aumento da frequência, duração e intensidade destes eventos, aumentando a importância de estudar a resposta de espécies arbóreas à seca. As árvores estão entre as espécies que não conseguem migrar ou adaptar-se com a rapidez necessária para evitar tais mudanças, devido ao seu ciclo de vida longo, tornando as florestas particularmente sensíveis às alterações climáticas [1]. As mudanças climáticas que são esperadas podem ter diferentes efeitos sobre as florestas, dependendo da geografia e das condições ambientais. Por exemplo, em altitudes elevadas e em ambientes boreais as árvores podem beneficiar da actual tendência de aquecimento, uma vez que a maior parte do crescimento da árvore ocorre durante uma curta estação de crescimento e a temperatura é o único factor limitante [2]. Pelo contrário, na região Mediterrânica, o crescimento das árvores pode ser afectado por vários factores (e.g. temperatura, disponibilidade de água e radiação solar). Atendendo a que a estação de crescimento é longa, os factores limitantes podem variar dentro da estação de crescimento e entre anos [2].
Na região Mediterrânica, a seca pode tornar-se um desafio ainda maior para os ecossistemas florestais, devido ao aquecimento global e ao regime irregular da precipitação (no espaço e no tempo). As secas tornam as florestas mais vulneráveis às doenças e pragas, podendo resultar na mortalidade florestal [3] . A primeira resposta das árvores à seca é o fecho dos estomas, o que provoca um declínio progressivo na absorção de carbono [4]. Esta mudança altera a proporção de carbono alocada aos diferentes processos metabólicos, resultando na diminuição de assimilados disponíveis para processos de baixa prioridade (como crescimento secundário do tronco e reprodução). Assim, a resposta de árvores à seca tem implicações na fisiologia global da árvore, na produção de madeira e na sobrevivência.
Apesar dos recentes avanços na compreensão das estratégias ecológicas da planta, a importância das propriedades da madeira na resposta à seca ainda se encontra por avaliar [5, 6] . Uma maior compreensão da função do xilema é importante para compreender processos ecológicos e biogeoquímicos, visto estas representarem mais de 90% da biomassa dos ecossistemas terrestres [6]. A disponibilidade hídrica tem um forte impacto sobre a fisiologia vegetal e sobrevivência, especialmente em ambientes onde a água é o principal factor limitante, tais como a região Mediterrânica. Determinar os limites fisiológicos de árvores com elevado interesse económico, tais como o pinheiro bravo, e determinar como as diferenças na disponibilidade hídrica são expressas anatomicamente, irá esclarecer os mecanismos de crescimento da árvore e fornecer a base necessária para prever a resposta das florestas às mudanças climáticas futuras.
O estudo da formação da madeira e das características anatómicas dos anéis de crescimento constitui uma abordagem promissora na biologia das árvores e no estudo das alterações climáticas globais [8]. Este projecto é inovador por integrar diferentes disciplinas para estabelecer a ligação entre o clima, a formação de madeira e a fisiologia. Este tipo de abordagem permitirá um melhor conhecimento dos mecanismos envolvidos na regulação da actividade cambial e formação da madeira.
Com este projecto pretendemos responder à seguinte questão: Como é que a variabilidade climática, em particular os eventos climáticos extremos, condicionam a fisiologia e a actividade cambial de Pinus pinaster Ait. a crescer sob clima Mediterrânico?
Este projecto pretende ainda ver esclarecidas as seguintes questões:
i) Qual o efeito de eventos climáticos extremos na produtividade florestal?
ii) Haverá alguma característica anatómica que favoreça P. pinaster em condições de seca?
iii) Como é que diferentes disponibilidades hídricas do solo determinam a arquitectura hidráulica de P. pinaster e a sua fisiologia?

Investigador Responsável: Doutor Filipe Campelo

Programa de Financiamento: PT2020 – SAICT –PTDC/ICDT

Instituição Financiadora: FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Data de início: 01-06-2016

Data de conclusão: 01-06-2019

Instituições participantes no Projeto: Universidade de Coimbra

Custo total elegível (EUR): 191.147,00€

Apoio financeiro da UE: 162.474,95€

Apoio financeiro público nacional: 28.672,05€

Técnico do Projeto: Sara Santos

Contacto: 239247016