a carregar...

UC.PT

Divisão de Projetos e Atividades

PTDC/AAG-TEC/4966/2014

PTDC


Código da Operação:
POCI-01-0145-FEDER-016875

Acrónimo: FishFree

Referência: PTDC/AAG-TEC/4966/2014

Título: FishFree: Uma contribuição para a validação de um ensaio alternativo ao teste letal com peixes

Área Científica: Ciências do Ambiente

Síntese do Projeto: As preocupações com o bem-estar animal e o tempo e recursos despendidos usando testes letais com peixes têm promovido o desenvolvimento de ensaios alternativos, considerando-se promissores e de grande interesse os testes in vitro com linhas celulares. No entanto, a substituição só pode ocorrer se forem encontradas correlações fortes entre os resultados dos dois tipos de testes e se as sensibilidades de ambos forem semelhantes. Deste modo, evitam-se resultados falsos negativos nos testes in vitro e salvaguarda-se o grau de proteção ambiental. Alguns estudos já demonstraram que existe uma correlação elevada em termos de sensibilidade relativa entre os testes in vitro com linhas celulares de peixe e os testes letais com peixes [1, 2]. Porém, quando esta correspondência é considerada em termos absolutos, as células de peixe têm, até ao momento, mostrado ser menos sensíveis do que os ensaios com peixes [1, 3-6]. É, deste modo, imperativo, encontrar modelos celulares, derivados de mamíferos ou peixes, que permitam diminuir o risco de falsos negativos. No nosso grupo de investigação estudos recentes revelaram que, de seis linhas celulares testadas, derivadas de mamíferos e peixes, a derivada de cardiomioblastos de rato (H9c2) apresenta uma sensibilidade semelhante ao LC50 para a azoxistrobina, considerado neste momento o fungicida mais utilizado no mundo [7]. Relativamente ao melhor parâmetro a ser determinado nos ensaios in vitro, entre os quatro testados, a proliferação celular detetada pela sulforodamina B, foi considerado o parâmetro mais apropriado. No entanto, são necessários mais estudos que confirmem a fiabilidade desta linha celular, assim como do parâmetro selecionado. A relação entre a LC50 e a IC50 de um conjunto alargado de pesticidas e de outros poluentes ambientais com diferentes modos de ação e cobrindo diferentes KOW deve ser determinada. Devido à falta de estudos comparativos com modelos celulares sensíveis e que testem substâncias ambientalmente relevantes, torna-se imprescindível que surjam projetos específicos nesta área de modo a acelerarem o estudo e desenvolvimento de métodos alternativos aos testes com peixes, contribuindo assim para que sejam aceites, implementados e regulamentados. Testar poluentes ambientalmente relevantes usando um modelo celular sensível, assim como estabelecer uma relação entre os resultados obtidos (IC50s) e os valores de LC50 existentes na base de dados ECOTOX, reconhecida como sendo cientificamente válida [8], torna esta proposta inovadora. Assim, este projeto visa a prospecção de pesticidas e outros poluentes no estuário do Rio Sado, uma vez que, entre oito estuários portugueses estudados, foi o considerado mais afetado pela agricultura [9]. A análise química das amostras recolhidas (água e sedimento) será efetuada através da inovadora técnica de cromatografia líquida de ultra performance associada a um espectrómetro de massa com analisador de tempo voo (UPLC-TOF/MS). Esta promissora abordagem analítica permite a identificação e quantificação de desconhecidos presentes em amostras naturais [10]. Uma vez que a área de amostragem se encontra numa Reserva Natural com habitats de elevado valor ecológico, este projeto propõe a realização de um documentário que mostre a importância dos estuários como fonte de recursos, benefícios e serviços de grande valor natural, e que é importante preservar. O resultado da prospecção de poluentes encontrados irá introduzir no vídeo a problemática da poluição aquática e das suas consequências para o ambiente. Este vídeo servirá de suporte a uma série de palestras e a um seminário científico de um dia, onde os membros do projeto entrarão em contacto direto com a sociedade, em escolas, associações de pescadores e aquicultores, instituições públicas, e com a comunidade científica. Sendo a internet um meio de acesso fácil à informação, o documentário será também publicado em sítios autorizados (ex., Universidade de Coimbra, Reserva Natural do Estuário do Sado). Com estas atividades, o projeto pretende alargar o debate científico a toda a sociedade e dar a conhecer o trabalho científico desenvolvido, sendo que a transferência de valores sobre a natureza para as comunidades de pescadores, aquicultores e outros intervenientes visa conseguir o apoio destes na preservação dos meios naturais. Os resultados deste projeto podem ainda contribuir para que a tomada de decisão ao nível da gestão e da conservação da Reserva Natural do Estuário do Sado seja um processo informado. Assim, além do interesse na divulgação do conhecimento científico, o projeto FishFree tem o seguinte objectivo científico: comparar os efeitos de poluentes aquáticos relevantes entre os resultados dos ensaios de citotoxicidade com H9c2 e os valores de LC50 para peixes já existentes, contribuindo para a validação de um ensaio alternativo ao teste letal com peixes.

Investigador Responsável: Professor Doutor Miguel Pardal

Programa de Financiamento: PT2020 – SAICT –PTDC/ICDT

Instituição Financiadora: FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Data de início: 01-07-2016

Data de conclusão: 30-06-2019

Instituições participantes no Projeto: Universidade de Coimbra (Proponente); Centro de Neurociências e Biologia Celular; IAREN - Instituto da Água da Região Norte

Custo total elegível (EUR): 188.844,00€

Apoio financeiro da UE: 160.517,40€

Apoio financeiro público nacional: 28.326,60€

Técnico do Projeto: Sara Santos

Contacto: 239247016