a carregar...

Rede UC

José Amaral

UM DISTINTO GUITARRISTA DOS ANOS QUARENTA

Prosseguindo com mais uma das figuras do Fado/Canção de Coimbra, vamos traçar o esboço biográfico de um dos grandes nomes da Guitarra de Coimbra nos anos quarenta: José Maria Amaral.

José Maria Amaral nasceu em 1919, em Folhadosa, uma Freguesia do Concelho de Seia, onde terá feito os estudos primários, tendo, posteriormente, prosseguido os estudos no Liceu D. João III em Coimbra, cidade para onde foi habitar em 1930.

Tem a primeira matrícula na Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra em 1939, conforme comprova a certidão de idade no Arquivo da Universidade de Coimbra, tendo feito os preparatórios de Medicina nos Anos Lectivos de 1940-1941 e 1941-1942 e frequentado posteriormente o Curso de Medicina, obtendo a licenciatura em 1948.

Posteriormente, exerceu Medicina em Cabeça (Seia) em Álvaro (Oleiros), Sabóia (Odemira), indo posteriormente para o Pego (Abrantes), em Junho de 1958, transferindo-se definitivamente em 1965 para a cidade de Abrantes, onde exerceu medicina, tendo-se aposentado em 1989, mas continuando a exercer medicina no seu consultório particular.

José Amaral - Membro da Tuna Académica

Em relação ao Fado/Canção de Coimbra, é ainda durante a década de 1930, quando estudante de Liceu, que José Amaral começa a aprender os primeiros acordes com Júlio Augusto Sequeira Mendes, tocando na sua primitiva Guitarra toeira de Coimbra, até que surgiu o convite do Dr. António Carvalhal para integrar o seu grupo, do qual fez parte pelo menos até 1945, quando o Dr. Carvalhal foi para a Covilhã.

Na fase seguinte constituiu um novo grupo com António Sobral Carvalho e Eduardo Tavares de Melo nos instrumentos, e Jorge Gouveia, Camacho Vieira e Manuel Julião, na voz. Além disso, integra a Tuna Académica da Universidade de Coimbra desde 1937, com o nº 178, quando ainda é “bicho” com o naipe de Viola.

José Amaral também se destacou como compositor de instrumentais de Guitarra de Coimbra nas décadas de 40 e 50 do século passado, que hoje alguns dos grandes guitarristas de Coimbra têm ainda a honra de tocar, dos quais destacamos: Variações em Lá Maior, Variações em Lá Menor, Variações em Ré Menor, Variações em Mi Menor, Variações em Sol Menor, Variações em Sol Maior.

Mesmo a residir em Abrantes, continuou a tocar Guitarra de Coimbra. Logo na transição da década de 1950 para 1960, aproveitou o facto de outro Guitarrista, o Dr. Dário Cruz, estar a cumprir serviço militar em Abrantes e, já nos anos oitenta fundou um Grupo de Fado de Coimbra intitulado “Saudades de Coimbra” (já extinto) em Abrantes, do qual fizeram parte vários elementos em diferentes tempos: José Amaral (Guitarra), Alfredo Gomes (Guitarra), José Tanqueiro (Viola), José Mário Moura (Viola), Hélder Silvano (Viola) Fernando Romeiro (Voz), José Picado (Voz), António Domingues (Voz) e na fase final do grupo eu próprio, na Guitarra.

Em 1954, integrou a digressão do Orfeon ao Brasil, durante a qual foi levada uma réplica da “Cabra” da Universidade de Coimbra para a Universidade de S. Paulo, onde ainda hoje se encontra.

Em 2000, na Serenata que anualmente é levada a cabo pelo Grupo de Canto e Guitarra de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém na Praça Sá da Bandeira (Antigo Largo do Seminário), na escadaria da Sé Episcopal Escalabitana, o Dr. Amaral foi homenageado numa Serenata que contou com a presença de muitos nomes do Fado/Canção de Coimbra.

José Amaral - SantarémJosé Amaral - Serenata em Santarém

Faleceu em 12 de Julho de 2001, tendo sido sepultado no cemitério do Pego, Abrantes, e posteriormente trasladado para o cemitério de Abrantes.

Também na poesia, o Dr. Carlos Carranca dedicou-lhe o seguinte poema:

VARIAÇÕES EM MI-MENOR (DE JOSÉ AMARAL)

Lenta
A rua
Inventa
A voz flutua.

Olha como ela se insinua …

Só tu sabes bela
E sofrida.
Como ela
De viela em viela
Se insinua …

Leve como o ar
Sobre o cais
De naufragar,
A vida
Continua
A flutuar …
Lenta, lentamente
Num dedilhar
Em mi, em mim
Menor …

Guitarra maior
A começar

Fica assim apresentada mais uma figura do Fado/Canção de Coimbra.

Agradecimentos ao Dr. José Amaral (filho) pelas informações prestadas; à Tuna Académica da Universidade de Coimbra, por já noutra ocasião ter facilitado a ficha de Tuno do Dr. José Maria Amaral; Ao Dr. João Luís Madeira Lopes, Advogado em Santarém e exímio Guitarrista do Grupo de Canto e Guitarra de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém, por ter facilitado imagens do Dr. Amaral na homenagem que lhe foi prestada em Santarém em 2000.

Autoria

Rui Lopes

História (1997-2001) – Faculdade de Letras

Cultor da Canção de Coimbra

ruilopesguitarrista@gmail.com

Para ouvir:

Variações em Mi Menor - José Amaral, por Alexandre Bateiras >

Bibliografia Generalizada:

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1940-1941. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1941-1942. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

CARRANCA, Carlos – Coimbra à Guitarra. Coimbra: Minerva, 2003.

CERTIDÃO DE IDADE DE JOSÉ MARIA AMARAL. Coimbra: Arquivo da Universidade de Coimbra: Cota no Arquivo da Universidade de Coimbra.

GRUPO DE CANTO E GUITARRA DE COIMBRA DO CENTRO CULTURAL REGIONAL DE SANTARÉM – 20 anos, Grupo Guitarra e Canto de Coimbra, Centro Cultural Regional de Santarém, 1985-2005. Alpiarça: Garrido Artes Gráficas, [2005].

LOPES, Rui – José Amaral: um guitarrista de Coimbra em Abrantes. Abrantes: Zahara – Centro de Estudos de História Local de Abrantes – Palha de Abrantes (6, 2005) 61-65.

NIZA, José – Fado de Coimbra. Vol. II. [s.l.]: Ediclube, 1999.

PELOURO DA CULTURA DA AAC – Canção de Coimbra: Testemunhos vivos (Antologia de Textos). Coimbra: Pelouro da Cultura da AAC, 2002.

TUNA ACADÉMICA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA – Ficha individual do Dr. José Maria Amaral (n º 178). Coimbra: TAUC, 1952.