a carregar...

Rede UC

António Carvalhal

UM MAGO DA GUITARRA NOS ANOS 30 E 40

Com a saída de praticamente toda a geração da primeira década de oiro de Coimbra, é verdade que faltava uma nova geração. Essa geração existiu, existiram nomes e grupos de Fado de Coimbra, dos quais alguns se foram destacando já para finais da década e até mesmo entrando nos anos quarenta. Certo é que há nomes que começam a tocar nos anos trinta, como José Maria Amaral, António Carvalhal e muitos mais, isto apenas para fazer um breve intróito ao artigo sobre António Carvalhal.

António Carvalhal chegou a Coimbra nos inícios da década de 1930, pois tem inscrição na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra no ano lectivo de 1931-1932 (assim comprova a nota da Certidão de Idade).

Quanto ao seu percurso na Universidade, não conseguimos encontrar documentos que provem se terminou ou não a Licenciatura. No entanto, através das fontes disponíveis (Anuários da Universidade de Coimbra e Certidão de Idade) retiramos as seguintes conclusões: que se matriculou em Direito no ano lectivo de 1931-1932; tem matrícula em Direito nos ano lectivos de 1938-1939 como aluno efectivo do terceiro ano de Direito – voltará a estar de novo matriculado no terceiro ano de Direito no ano lectivo de 1940-1941 (não foram publicados Anuários da Universidade durante um período do final dos anos 20 e grande parte dos anos 30 do século passado, pelo que não foi possível analisar as matrículas), matriculou-se em cadeiras de Ciências Pedagógicas nos anos lectivos de 1939-1940 até 1941-1942.

Porém, o mais interessante é que nos anos lectivos de 1940-1941 e 1941-1942, está matriculado no Curso de Bibliotecário Arquivista e no Anuário da Universidade de Coimbra surge na lista dos alunos que terminaram o Curso de Bibliotecário Arquivista com a Classificação de treze valores. Fica entretanto a dúvida se terá terminado o Curso de Direito.

Quanto ao Fado/Canção de Coimbra, segundo o Dr. António Nunes (em post do Blog Guitarra de Coimbra), já tocava guitarra no último ano do Liceu em Braga. O que podemos afirmar é que em Coimbra continuou a tocar Guitarra e teve mesmo o seu grupo de Guitarras constituído por elementos como José Maria Amaral.

Posteriormente, abandonou Coimbra em 1945 para ir dar aulas na Covilhã, e pouco mais se soube dele, acabando por falecer no Porto em 1982.

Para a posterioridade, o Dr. Carvalhal deixou-nos um legado importante: um instrumental da sua autoria intitulado: VARIAÇÃO EM LÁ MAIOR de muito boa oralidade.

Desta forma, fica apresentada mais uma das grandes figuras do Fado/Canção de Coimbra.

Autoria

Rui Lopes

História (1997-2001) – Faculdade de Letras

Cultor da Canção de Coimbra

ruilopesguitarrista@gmail.com

Para ouvir:

Variações em Lá Maior - António Carvalhal >

Bibliografia Generalizada:

CERTIDÃO DE IDADE DE ANTÓNIO ABREU CARVALHAL. Coimbra: Arquivo da Universidade de Coimbra. Cota no Arquivo da Universidade de Coimbra.

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1938-1939. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1939-1940. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1940-1941. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

ANUÁRIO DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA DE 1941-1942. Coimbra: Oficinas da Gráfica de Coimbra, S/D.

NIZA, José – Fado de Coimbra II. Lisboa: Ediclube, 1999.

Vários posts do Blog Guitarra de Coimbra do Dr. Octávio Sérgio em: www.guitarradecoimbra.blogspot.com agora com continuação em: www.guitarrasdecoimbra.blogspot.com