a carregar...

UC.PT

Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra

Depoimentos

 
"Este Orfeon dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra é um verdadeiro escândalo! Pura e simplesmente, recusa-se a envelhecer.
Quando eu o acompanhei a África, em 1949, numa viagem memorável, já tinha, de anos, um bem bonito rol.
Passou-se entretanto meio século e continua jovem.
O mito de Orfeon não é uma explicação plausível. Pacto com o Mafarrico, ao jeito do Doutor Fausto, também não creio que tenha havido. E onde desencantaria o Senhor dos Infernos tantas Margaridas? Se houvera, não ia violar o trato cantando, com a densidade com que o faz, este belo repertório de música sacra. Enfiar uma tão deliciosa Ave Maria e três tão inspiradas "Aleluias" no ouvido alérgico do "Imundo", seria caso de chamuscadela sumária.
Que há mistério, há. Mas não sei qual. Limito-me a constatar o facto: mesmo nos casos em que a pele ganhou rugas, a alma ganhou asas e a voz sonoridades. Testemunho disso é este belíssimo registo da música sacra, a comprovar a versatilidade deste novíssimo Orfeon, que sob a superior direcção do maestro Augusto Mesquita renasce e se desdobra todos os dias. Tão à vontade na inspirada recolha do folclore de Coimbra como na invasão da música erudita.
Dá que pensar!..."
António de Almeida Santos
Lisboa, 23 de Novembro de 1998 (por ocasião do lançamento do último CD editado pelo Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra, "Aleluia")
 
"É-me muito grato renovar a expressão do meu apreço e admiração pelos "Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra" e pelo muito que têm feito, no país e no estrangeiro, pela divulgação da música.
Com um reportório vasto, que vai da música tradicional portuguesa aos grandes nomes da música erudita, este grupo coral foi ganhando um prestígio confirmado pelas muitas actuações, sempre com êxitos, que têm feito em tão diversos lugares.
Tive muito prazer em convidar os "Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra" para um concerto no Palácio de Belém, do qual todos os que a ele assistiram guardam uma gratíssima memória. Na ocasião, pude também prestar homenagem ao trabalho desenvolvido pelo maestro Professor Joel Canhão.
Desejo ao grupo as maiores felicidades no futuro, ao serviço da divulgação da música e da cultura portuguesa."
Mário Soares
 
"Os "Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra" vêm desempenhando um papel relevante na difusão da Cultura portuguesa, e as suas actuações além-fronteiras muito têm contribuído para veicular uma imagem prestigiante de Portugal.
É-me, pois, grato dirigir-vos uma calorosa saudação e formular votos para que continuem, no futuro, a desenvolver a vossa actividade com o mesmo empenho, brilho e entusiasmo."
Aníbal Cavaco Silva
 
"É-me grato escrever estas linhas, amavelmente solicitadas pela associação dos Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra. Desde logo, por se tratar de uma instituição votada à música, tanto para proporcionar a sua fruição a ouvintes que dela carecem como para a interpretar, com todo o vivencial enriquecimento próprio do bom amadorismo praticante. Para mais, a associação tem o propósito de salvaguardar valiosos bens do nosso património cultural, nomeadamente um conjunto de significantes tradições coimbrãs, desde as que dizem respeito ao traje académico até às que se reflectem na escolha do reportório musical e no estilo da sua interpretação, projectando-as não só dentro do País mas também no estrangeiro, onde por igual importa divulgá-las.
Assim, e ainda porque tal actividade se consubstancia de modo a não suscitar um mero passadismo obsoleto, senão que a assumir valores socio-culturais também representativos da nossa actualidade, saúdo os Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra augurando-lhes a continuação dos seus êxitos e o desenvolvimento da sua acção, inclusivamente pela futura passagem de testemunho aos que tiverem vindo depois."
João de Freitas Branco
 
“Os Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra, são portanto, credores da estima e da gratidão de todos os portugueses, quer eles tenham ou não raízes da tradição Académica Coimbrã.”
Maria Madalena de Azeredo Perdigão
 
“Quem passou pela Universidade de Coimbra sabe o que é o “Espirito de Coimbra”, ainda que não consiga defini-lo com palavras de rigor. Esse espírito – que eu diria coenvolver as saudades do passado e aquilo que um poeta chamou as “saudades do futuro” – anima os Antigos Orfeonistas. Se a isso juntarmos uma grande valia musical, na escolha e interpretação das peças, e um inexorável afinco na divulgação da sua mensagem artística, académica e social, bem se compreenderá o grande êxito que, no País e no estrangeiro, directamente ou através de gravações, o grupo tem alcançado.”
Rui de Alarcão
 
“... os Fundadores da Associação dos Antigos Orfeonistas são por isso credores da minha admiração e do meu respeito. Da minha admiração por conhecer sobejamente a importante acção cultural e social que tem vindo a desenvolver como instituição de utilidade pública; pelo meu respeito, pelos reconhecidos méritos artísticos do seu grupo que desde sempre soube utilizar a música Coral, como expressão de elevação espiritual e artística de méritos bem reconhecidos- em Portugal e além Fronteiras.”
Fernando Nogueira
 
“Enquanto embaixador de Portugal junto da UNESCO, senti-me orgulhoso pela presença a meu lado desses outros embaixadores da cultura e da Universidade Portuguesa que são os Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra.”
José Augusto Seabra
 
“Tratando-se, de um modo geral, dos artisticamente mais dotados de cada geração e de pessoas que se afirmaram em ramos diversos das actividades profissionais, o Orfeon dos Antigos Orfeonistas passou a constituir ainda um testemunho inigualável da força formadora da Universidade de Coimbra e dos valores do nosso País, recordados ou dados a conhecer por seu intermédio nos vários pontos do Mundo, onde tem vindo a actuar.”
Manuel Porto
 
Nos 20 anos dos Antigos Orfeonistas do Orfeon Académico de Coimbra
“O Orfeon Académico de Coimbra guarda em si, engrandecido ao longo das gerações, um tesouro de virtudes sociais e cívicas de primeira plana: a alegria e amizade fraternas; o amor e o culto do exercício de uma arte que, apesar de natural, requer muita dedicação, rigor e persistência; o espírito de solidariedade e de entre-ajuda indispensável à criação artística em comum; a consciência diariamente vivida da igual responsabilidade de todos pelos êxitos e insucessos…Na cidade, no país, na comunidade dos povos língua portuguesa e no estrangeiro o Orfeon representa, ainda e de modo exemplar, uma especial maneira de ser dos portugueses: o nosso permanente anseio de ir além rompendo fronteiras, a facilidade do encontro com povos e nações, a ternura com que abraçamos o outro, o gosto de ir ver o Mundo e de por ele andar de Norte a Sul, de Leste a Oeste…
Parabéns pelos 20 anos de vida! Faço o voto de que a saga do Orfeon Académico de Coimbra cresça continuamente pelos tempos fora, em proveito da música coral e dos seus admiradores, para prestígio da Academia e da Universidade de Coimbra e para honra de Portugal.”
António Barbosa de Melo
 
“Uma saudação cordial aos peregrinos de língua portuguesa aqui presentes, e de modo particular aos membros do “Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra”. Dos Anjos, diz-se que cantam no Céu... Nós andamos a ensaiar na terra, para cantar com eles no Céu. Mas um pouco do Céu já se ouve, quando vós cantais. O melhor sucesso! Para Vós e para vossos familiares, a minha Benção Apostólica.”
Sua Santidade o Papa João Paulo II
Basílica de S. Pedro - Cidade do Vaticano (Junho de 1996) 
 

Mensagem do Presidente Barroso

Concerto do Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra

Bruxelas, Parlamento Europeu

2 de Abril de 2009

O Parlamento Europeu acolhe em Bruxelas o Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra, apelidado por muitos como os Embaixadores oficiais da Cidade e da Universidade de Coimbra.

O Coro tem um curriculum impressionante, reflexo da qualidade do trabalho musical que tem vindo a desenvolver em Portugal e no estrangeiro. Ao longo de quase três décadas, tem contribuído para a disseminação da riqueza do património cultural europeu, para a diversidade das expressões culturais e para o reforço da imagem da União Europeia no mundo.

Na era da globalização, é cada vez mais importante a Europa apostar na área cultural, no seu património e na sua diversidade. Num contexto marcado por uma maior mobilidade dos cidadãos, a disseminação da cultura constitui um factor fundamental para preservar a identidade e promover o entendimento intercultural.

A cultura, a arte e o seu ensino têm um papel cada vez mais importante na formação dos nossos jovens, cumprindo importantes funções sociais em matéria de educação e inclusão. O ensino das artes pode dar um grande contributo para uma melhor comunicação no mundo global entre as diferentes gerações e entre as diferentes partes do mundo.

Sinto-me orgulhoso por saber que o Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra vai brindar, uma vez mais, o Parlamento Europeu com um Concerto de incomparável beleza, prestando o seu contributo à dimensão cultural da União Europeia.

Agradeço o convite que Vossas Excelências me dirigiram para assistir a este Concerto. Na impossibilidade de estar presente, gostaria de vos deixar esta mensagem e de felicitar o euro deputado Luís Queiró por esta iniciativa. Não posso deixar de expressar a minha emoção pela homenagem que o Coro presta a Fausto Correia na mesma data em que o Parlamento homenageia também Francisco Lucas Pires. É através de homenagens como esta que se perpetua a memória de grandes homens, políticos e amigos.

Termino parafraseando aquela que penso ser das mais belas referências ao trabalho do Coro dos Antigos Orfeonistas da Universidade de Coimbra por Sua Santidade o Papa João Paulo II:

“Dos anjos, diz-se que cantam no Céu… Nós andamos a ensaiar na terra para cantar com eles no Céu. Mas um pouco do Céu já se ouve, quando vós cantais”.

Muito obrigado.

José Manuel Durão Barroso