a carregar...

UC.PT

Bolonha na FCTUC

O que muda com Bolonha

Segundo Bolonha, o ensino superior divide-se em três ciclos:

CicloDuração típica Designação internacional correnteDesignação nacional oficial
1º ciclo3 anosBachelor of ScienceLicenciatura
2º ciclo2 anosMaster of ScienceMestrado
3º ciclo3 a 5 anosPh.D.Doutoramento

A designação escolhida pela Lei Portuguesa para o primeiro ciclo é infeliz. Deveria chamar-se "bacharelato" e não "licenciatura":

  • Por comparabilidade internacional, como se depreende da tabela acima;

  • Por razões de duração, pois a duração típica das licenciaturas pré-Bolonha é de quatro ou cinco anos, e os 1º ciclos são quase todos de três anos (duração típica dos bacharelatos pré-Bolonha);

  • Por razões de acreditação, pois as ordens profissionais (Engenheiros, Médicos, Arquitectos, Biólogos, etc.) aceitavam a inscrição de licenciados pré-Bolonha, e já afirmaram que não aceitarão licenciados de Bolonha, pois vão passar a exigir diploma de 2º ciclo. Isto é, só poderá ser engenheiro, arquitecto, biólogo, quem tiver completado o 2º ciclo.

Assim, com Bolonha, a palavra "licenciatura" muda de significado. Também a palavra "mestrado" passa a designar, em resultado do processo de Bolonha, um curso menos avançado do que os mestrados pré-Bolonha. Apenas a palavra "doutoramento" mantém o mesmo sentido que tinha antes de Bolonha.

A formação universitária plena é normalmente uma formação de 1º e 2º ciclo. Na FCTUC o primeiro ciclo facilita a mobilidade dos estudantes e o acesso ao 2º ciclo. Todos os alunos que terminem o 1º ciclo na FCTUC têm garantia de acesso ao 2º ciclo da sua área de estudo, mantendo as mesmas propinas do 1º ciclo. Em contrapartida, como nos Politécnicos a formação é menos profunda, os 1º ciclos constituem tipicamente o final do percurso de formação. É esta a principal diferença entre os Politécnicos e as Universidades.

De acordo com Bolonha, os cursos utilizam ECTS. O ECTS - European Credit Transfer and Accumulation System é um sistema de créditos europeu que permite medir o trabalho que um estudante dispende no seu curso.

  • Para terminar um curso um estudante tem de completar um determinado número de créditos em cada uma das áreas de estudo respectivas.

  • Quando muda de escola ou curso, os créditos completados na escola ou curso anteriores, mesmo que noutro país, podem ser aceites no novo curso/escola para que mudou.

  • Os créditos ECTS medem o trabalho do aluno. Um aluno a tempo inteiro deverá trabalhar (incluindo o tempo gasto nas aulas) 8 horas por dia de segunda a sexta durante 40 semanas por ano. Trata-se de um regime intensivo, que muitos estudantes em Portugal não seguem.

Com Bolonha, os métodos de ensino têm de ser adaptados para promover um trabalho continuado do aluno ao longo de todo o período lectivo, em contraste com o hábito muito comum de apenas estudar nas vésperas dos exames.

A FCTUC está muito empenhada em prosseguir essa transformação, que já iniciou há vários anos, generalizando-a a todos os cursos e todos os níveis.