a carregar...

FCTUC

Eventos na FCTUC

Comentários à Arte Edificatória de Leon Battista Alberti

Publication date: 27-10-2014 16:54

Capa_Comentários

Na próxima quinta feira, dia 30 de outubro, pelas 18h, no foyer do Teatro Académico Gil Vicente, é lançada a obra “Comentários à Arte Edificatória de Leon Battista Alberti”, da autoria do Professor Mário Krüger e coedição da Imprensa da Universidade de Coimbra.

Leon Battista Alberti (Génova, 1404 - Roma, 1472), considerado pelos seus contemporâneos como tendo uma criatividade incomensurável pelo cultivo dos mais diversos saberes disciplinares e dos mais variados conhecimentos literá­rios, por mais indecifráveis e improváveis que fossem, é o autor do tratado De re aedificatoria, publicado em 1485, que abriu as portas da modernidade em arquitectura, pela forma inovadora como sistematizou, com inteligibilidade e eloquência, a arte edificatória.

Nestes Comentários que agora se apresentam procura-se estabelecer o sentido das inerentes relações entre este tratado, a obra construída e a escrita deste au­tor do séc. XV, bem como da sua recepção, de forma a se entender a surpreeen­dente atualidade da sua obra com o objectivo de sugerir pistas que conduzam, na contemporaneidade, à construção do saber edificatório.

Mário Júlio Teixeira Krüger nasceu em Lisboa em 1945, é Professor Catedrático do Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e investigador do Centro de Estudos Sociais desta Universidade. Doutorou-se pela Universidade de Cambridge em 1978 e foi membro do Centre for Land Use and Built Form Studies, a unidade pioneira de investigação fundada pelo Prof. Leslie Martin nesta Universidade. Com vários livros publicados e inúmeros artigos em revistas nacionais e internacionais na área de Teoria da Arquitectura, bem como de comunicações em congressos e encontros científicos é, actualmente, coordenador do projecto de investigação Alberti Digital, que tem por objectivo traçar, em ambiente computacional e pela construção de uma gramática generativa da forma, a influência do De re aedificatoria na herança disciplinar da Arquitectura Clássica em Portugal.