a carregar...

Escola de Estudos Avançados

EEA

Prémio Fundação Eng. António de Almeida 2016

A Fundação Eng. António de Almeida instituiu, na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, o Prémio Fundação Eng. António de Almeida, destinado a galardoar, anualmente, uma tese de doutoramento em qualquer uma das áreas cientificas dos Programas de Doutoramento da FEUC.

No ano de 2016, foram admitidos a concurso os doutorados, aprovados com louvor e distinção, no ano civil de 2015. Depois de apreciadas as candidaturas, o júri deliberou sobre a atribuição do Prémio, atendendo ao espírito criativo e inovador das teses de doutoramento. O prémio foi divulgado e entregue em cerimónia pública, no "Dia da FEUC", a 2 de dezembro de 2016.

Foto dia FEUC TAGV 2016

Foto Prémio Pedro Arruda 2016
Premiado: José Pedro Lemos Medeiros Arruda

Título:

A Televisão em Ação - O processo comunicacional mediado como elemento estruturante de mundos coletivos

Resumo: 

Propõe-se um olhar sociológico sobre o processo comunicacional mediado pela televisão. Colocando a ênfase nas possibilidades de ação de produtores e consumidores, procura-se demonstrar como os materiais televisivos são construídos coletivamente, tanto pelos profissionais de TV como pelos públicos. Parte-se de uma retrospetiva teórica das principais correntes e abordagens que marcaram os estudos dos media e da televisão em particular, de onde emergiram os propósitos e as questões centrais a explorar sobre o tema. Esta reflexão conduziu à necessidade de entender a circulação de conteúdos televisivos em diversos lugares e diferentes fases desse processo. Com particular incidência, privilegiaram-se momentos de receção e redistribuição desses conteúdos, visando, também, conferir aos públicos e às suas ações uma maior visibilidade. Rompendo com as abordagens que remetem os telespectadores para conceitos estáticos e monolíticos, como “massa” ou “audiência”, desenvolve-se uma análise etnográfica que permite devolver aos diversos atores implicados neste processo comunicacional uma presença ativa. O trabalho que sustenta esta tese é então marcadamente empírico e ancora-se num período de observação participante em duas localidades portuguesas: a cidade de Guimarães e a freguesia de Vila do Porto, nos Açores. Paralelamente, realizaram-se entrevistas em profundidade com produtores e públicos, na perspetiva de caracterizar as várias fases deste processo, fazendo a ligação entre os lugares de encoding e os lugares de decoding. Acima de tudo, tenta-se mostrar como as dinâmicas de comunicação televisiva não podem ser dissociadas dos mecanismos locais de edificação de mundos coletivos, independentemente do momento escolhido para análise. Dessa forma, estabelece-se aqui um permanente jogo entre solidez e flexibilidade, que ilustra a disputa de poderes entre diferentes mediadores nos fóruns culturais que a TV integra e despoleta. Analisam-se públicos, produtores, materiais, vendedores, revendedores e críticos enquanto redistribuidores de conteúdos televisivos, demonstrando como se estabelecem entre eles relações de poder, contrapoder e resistência, que se relacionam sempre com processos coletivos de ‘colocar algo em comum’. Nas dinâmicas sociais em que ocorre a comunicação televisiva surgem espaços de confronto e de ambiguidade que diluem as tradicionais fronteiras entre público/ privado, produtores/ audiências, local/ global, cidadão/consumidor ou social/ tecnológico. Apresenta-se então a proposta de entender a TV como um mediador entre outros, reconhecendo que, nas suas especificidades e na sua abrangência, detém um extraordinário poder de interação social.

Doutoramento: Sociologia

Orientador: Prof. Doutora Maria Paula Abreu Pereira Silva (FEUC)