a carregar...

GEMF

Grupo de Estudos Monetários e Financeiros

Estudos do GEMF, N.º 04 de 1999

  

Mobilização de Poupança, Financiamento e Internacionalização de Carteiras


João Sousa Andrade
GEMF/Faculdade de Economia, Universidade de Coimbra

Abstract:
Pretendo com este texto chamar a atenção para alguns aspectos ligados à mobilização da poupança em economias menos desenvolvidas e à possibilidade destes beneficiarem da liberdade de movimentos de capitais através da diversificação de carteiras dos investidores internacionais.
A evolução do sistema de pagamentos internacional, o abandono de políticas de repressão financeira e o desenvolvimento de mercados bolsistas alterou radicalmente a situação daquelas economias.
A ideia que o desenvolvimento sustentado obriga a financiamentos de longo prazo leva por vezes a rejeitar a eficiência de financiamentos de curto prazo. Tal não deve ser feito e devemos antes insistir num desenvolvimento do mercado do crédito em que ambos os tipos de operações possam ser desenvolvidos num contexto de estabilidade macro-económica.
A diversificação de carteiras aos níveis nacional e internacional pode aumentar a rentabilidade dos investimentos e reduzir o risco a eles associado. Mas se essa diversificação é importante para pequenas economias, não podemos esquecer que estas não influenciam as taxas de juro internacionais e que mudanças repentinas no mercado mundial se reflectem nelas de forma amplificada.
Os mercados emergentes continuarão a ser importantes num futuro próximo, o que ajudará à diversificação e assim ao aproveitamento de uma poupança mundial por parte dos que sofrem restrições de poupança pela dimensão das suas economias. Mas a uniformização de comportamentos de mercados, assim como os efeitos de contágio parecem reduzir a independência de rentabilidade dos mercados, o que poderá reduzir drasticamente o interesse na diversificação.

Download PDF

Download
(118 KB)