a carregar...

CLP

Centro de Literatura Portuguesa

Revista de Estudos Literários



Apresentação

Uma nova revista de estudos literários

1. Enquanto objecto de investigação e área específica de ensino, a Literatura é hoje muitas vezes questionada nos seus fundamentos e até na sua relevância social e institucional. Sabemos que boa parte dessa desconfiança resulta da crise que afecta as Humanidades no seu todo. Mas, sem que isso seja posto em relevo, uma outra parcela desse cepticismo deriva também do rumo que os estudos literários têm assumido nos últimos tempos.

Os efeitos dessa vertigem traduzem-se, desde logo, numa metalinguagem que, em alguns casos, de especializada, se tornou obscura, fechando cada vez mais sobre si mesmo um domínio do saber que justamente antes se afirmou pela sua capacidade irradiadora, pelo menos em relação às outras áreas do saber humanístico. E consubstanciam-se depois numa quebra da interdisciplinaridade natural, isolando os estudos literários das áreas que lhe são contíguas e, no próprio âmbito dos estudos literários, instituindo especialidades de espectro cada vez mais reduzido, que desacreditam o próprio campo de investigação.

Numa era que ainda não deixou de ser de extremos, é altura de proceder a balanços. Os Estudos Literários têm já uma história secular e sem a conhecermos não é possível compreender os impasses e as derivas que assinalam o nosso tempo. Não é possível, sobretudo, equacionar convenientemente nenhum tipo de reconversão que possa preservar a legitimidade desta área do conhecimento, devolvendo-lhe o potencial transdisciplinar para que está vocacionada.

2. Ao contrário do que sucede com outras unidades de Investigação e Desenvolvimento consagradas ao estudo das chamadas “ciências exactas e experimentais”, um Centro que hoje se dedique ao estudo das Humanidades não pode deixar de reflectir a cada passo sobre os próprios métodos que pratica, as metas que persegue, as estratégias de comunicação que escolhe. Quando se trata de um Centro que congrega especialistas do pensamento e da palavra, torna-se ainda necessário ter em conta o clima de desqualificação ou de suspeita que afecta estas áreas, tidas por menos “úteis”, porque não produzem um saber quantificável, que possa transferir-se para o desempenho das empresas e o crescimento do Produto Interno Bruto.

Enquanto entidade especificamente centrada na investigação do fenómeno literário, o Centro de Literatura Portuguesa, deve (pre)ocupar-se com o estado geral dos estudos literários, com a sua evolução recente, com os caminhos novos que se lhe abrem e com o contributo que deles se espera para o reordenamento das Humanidades e do Conhecimento, em geral.

O instrumento a que agora se recorre para dar corpo a essa preocupação é de natureza convencional. Com efeito, à primeira vista, nada parece existir de mais antiquado do que uma revista impressa. E, no entanto, nas circunstâncias actuais, pareceu-nos que esse foro era ainda o mais adequado para dar testemunho das preocupações que tenho vindo a referir e para suscitar o debate sereno e desenvolvido que se impõe a tal respeito. As vozes que aqui interpretam essa reflexão revelam-se portadoras de diferentes experiências mas são também observadores qualificados da história recente dos estudos literários em Portugal .É nessa dupla qualidade que todos confluem no primeiro número da nova Revista de Estudos Literários.

Queremos que seja “Nova” porque nela queremos implantar práticas novas; mas isso não significa que enjeitemos a tradição. Em Coimbra nunca faltaram revistas quando era e quando não era o tempo delas. No domínio específico dos Estudos Literários, tivemos já a “Revista de História Literária”, fundada e dirigida por Álvaro Júlio da Costa Pimpão entre os anos de 1962 e 1975; tivemos depois os “Cadernos de Literatura” que, sob a direcção de Andrée Crabbé Rocha, viram a luz entre 1978 e 1986. Como era de esperar, as orientações de uma e de outras publicações foram diversas, reflectindo, antes de tudo, uma lógica geracional e, mais do que isso, acusando os estímulos e as expectativas que então se faziam sentir no seio da Universidade.

E se as publicações a que me refiro reflectem contextos e linhas teóricas bem definidos (a história literária e o textualismo predominantemente estruturalista, respectivamente) a Revista que agora se inaugura também surge marcada pela sua época: por um ethos metodológico de recolocação e de procura de sínteses.

No cumprimento desse “ethos”, porém, existe uma etapa incontornável: a de apurar o passado próximo, buscando nesse trabalho não tanto a objectividade pura (à conta dessa ilusão, muitas outras ilusões se criariam) mas o lastro que mais e melhor assinala o nosso presente.

Assim entendemos começar: com a consciência das nossas limitações, porque é sabido que uma parte considerável dos problemas que os estudos literários e humanísticos hoje enfrentam é de carácter exógeno; mas também com a determinação forte de querer contribuir para superar uma situação menos favorável, naquilo que nela também existe também de endógeno e de, por isso mesmo, mais facilmente remediável.

José Augusto Cardoso Bernardes [Diretor da Revista de Estudos Literários, 2009-2012]

Separador Sem TopSeparador Sem Top

Revista de Estudos Literários: Convocatórias de artigos / Calls for papers

Volume Tema Organizadores Prazo para propostas de artigo Prazo para artigos finais Data de publicação
Volume 1 (2011)

Os Estudos Literários em Portugal no Século XX

Literary Studies in Portugal in the 20th Century

António Apolinário Lourenço

Osvaldo Manuel Silvestre

15 janeiro 2009 31 maio 2009 abril 2011
Volume 2
(2012)

Literatura no Século XXI

Literature in the 21st Century

Manuel Portela
15 janeiro 2010
31 maio 2010 abril 2012
Volume 3 (2013)

O Ensino da Literatura

The Teaching of Literature

Cristina Mello

Ana Maria Machado

30 setembro 2011 31 março 2012
dezembro 2013
Volume 4 (2014)

Personagem e Figuração

Character and Representation

Carlos Reis

Marisa das Neves Henriques

31 janeiro 2014 31 julho 2014 dezembro 2014
Volume 5 (2015)

Literaturas Africanas de Língua Portuguesa

Portuguese-language African Literatures

Pires Laranjeira 31 outubro 2012 31 janeiro 2013 setembro de 2016
Volume 6 (2016) Transatlantic Dialogues: Realism and Modernity in Eça de Queirós and Machado de Assis
Estela Vieira
Luciana Namorato
Kathryn Bishop-Sánchez
  
Volume 7 (2017)

A Sátira: Teorias & Práticas

Satire: Theories & Practices

Maria João Simões
Marta Teixeira Anacleto
9 janeiro 2017 1 março 2017
abril 2017
Volume 8 (2018) Do Post-Modernismo ao Hipercontemporâneo: os caminhos das literaturas em língua portuguesa

From Posmodernism to Hypercontemporary: new paths for Portuguese-language literatures
Ana Paula Arnaut
Ana Maria Binet 
1 novembro 2017 30 janeiro 2018 outubro 2018


Revista de Estudos Literários - Normas de Publicação [PDF]

Separador Sem TopSeparador Sem Top

Revista de Estudos Literários: Volumes publicados (2011-)

Capa - Revista de Estudos Literários Nº 1

Nº1 - 2011 

 Capa - Revista de Estudos Literários Nº 2

Nº2 - 2012

Capa - Revista de Estudos Literários Nº 3

Nº 3 - 2013

Capa - Revista de Estudos Literários Nº 4

Nº4 - 2014

Capa - Revista de Estudos Literários Nº 5

Nº5 - 2015 

 Nº6 - 2016