Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Estudantes de Cabo Verde já receberam a bata branca da FMUC

São os primeiros alunos a chegar à UC ao abrigo do protocolo entre a UniCV e a Universidade de Coimbra

Estudantes de Cabo Verde

Fotografia: © UC | Marta Costa

“Ficarão na história, porque são os primeiros. São líderes de futuras gerações que seguirão o mesmo trajeto e que permitirão mudar o panorama da saúde em Cabo Verde e em muitos outros países”. A Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) recebeu assim o primeiro grupo de estudantes provenientes da Universidade de Cabo Verde (UniCV) ao abrigo do Protocolo de Cooperação entre a UniCV e a UC. As palavras são do diretor da FMUC, Duarte Nuno Vieira, que deixou um conselho: “Participem ativamente. Ser estudante universitário não é apenas estudar, é também uma fase de formação em que é fundamental ter outro tipo de atividades, e Coimbra tem, nesse aspeto, uma enorme oferta”. Estou convencido que Coimbra se vai orgulhar de vos ter tido aqui e espero que se orgulhem sempre de terem sido alunos de Coimbra.

Os alunos da UniCV chegaram para frequentar o 4.º e 5.º anos do Mestrado Integrado em Medicina na FMUC. As palavras de boas-vindas foram ainda partilhadas pelo presidente do Núcleo de Estudantes de Medicina, José Borges, e pelo vice-reitor da UC para as Relações Internacionais, Joaquim Ramos de Carvalho, presentes na cerimónia. “Nós estamos orgulhosos de terem chegado aqui e de nos terem escolhido para partilhar este trajeto convosco”, afirmou o vice-reitor. “É uma grande oportunidade que transcende o aspeto académico e formativo”, reforçou Joaquim Ramos de Carvalho. “Que sejam dois anos feitos de memórias vitalícias, porque felizmente estudamos numa cidade diferente e especial, cheia de tradições”, acrescentou José Borges.

Também o coordenador do curso de Medicina em Cabo Verde, Fernando Regateiro, considera “notável” como foi adotado o processo de aprendizagem: “criaram uma comunidade cultural, uma ecologia própria, numa educação médica, que neste momento está a estabilizar e a desenvolver”. “O curso tinha dois objetivos: ser como os melhores em qualquer parte do mundo e serdes os melhores médicos para Cabo Verde. E estou certo que assim será”, acredita Fernando Regateiro.

A FMUC aproveitou ainda, à semelhança do que já tinha sido feito no início do semestre, para realizar a “Cerimónia da Bata Branca”, entregando aos estudantes as batas brancas da faculdade. “Um símbolo de humanismo” afirmou Duarte Nuno Vieira. “Tenham sempre presente uma coisa”, continuou o diretor da FMUC. “Podemos não ter os melhores hospitais, as melhores estruturas ou os melhores equipamentos, mas o primeiro e mais eficaz ato terapêutico é dar a mão ao doente. Aquilo que espero que vejam nesta bata branca é esse símbolo de humanismo. Estou convencido que Coimbra se vai orgulhar de vos ter tido aqui e espero que se orgulhem sempre de terem sido alunos de Coimbra”.


Marta Costa