Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Faculdade de Medicina da UC integra rede de investigação e deteção precoce de leucemia

10 outubro
Grupo de Investigadores do Projeto Ideal-Net
Grupo de Investigadores do Projeto Ideal-Net

A Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC) e a Administração Regional de Saúde (ARS) do Centro são parceiras de um projeto transfronteiriço inovador de investigação e deteção precoce da leucemia, o “IDIAL_NET − Rede Transfronteiriça de Inovação no Diagnóstico Precoce da Leucemia para um envelhecimento saudável”. “Com envelhecimento da população, sobretudo nas pessoas com 65 anos, que pode oscilar entre os 50 e os 80 anos, aumenta a incidência de casos de leucemia (leucemia linfocítica crónica)”, explica a coordenadora do projeto em Portugal, Ana Bela Sarmento Ribeiro.

“Hoje em dia, existe uma entidade pré-malígna que se chama linfocitose B monoclonal, que pode ser detetada na circulação e que torna possível identificar os indivíduos que podem ter maior probabilidade de desenvolver este tipo de leucemia”. Por esta razão, “é tão importante” fazer uma deteção precoce, afirma a também docente de hematologia da FMUC. “Outro aspeto relevante passa por perceber o impacto real do estudo na saúde pública e no envelhecimento ativo das pessoas”, continua Ana Bela Sarmento Ribeiro.


Financiada pela União Europeia em 1,15 milhões de euros – no âmbito do programa INTERREG/POCTEP, envolvendo a Região Centro de Portugal e a Região de Castela e Leão em Espanha – esta rede multidisciplinar pretende promover a prevenção e o diagnóstico precoce do cancro do sangue (leucemia linfocítica crónica, a leucemia mais frequente no mundo ocidental) e das complicações da doença. Entre os seus objetivos estão a implementação de estudos de triagem na população adulta para deteção de células específicas (linfocitose B monoclonal) que permitem identificar estádios pré-malignos da doença; o aumento do conhecimento sobre a evolução deste tipo de cancro; o desenvolvimento de ferramentas de diagnóstico minimamente invasivas e inovadoras e altamente sensíveis; e a transferência do conhecimento adquirido para os Sistemas Regionais de Saúde dos dois Países (rede do Serviço Nacional de Saúde em Portugal e sua equivalente em Espanha).

O consórcio do projeto IDIAL_NET – que envolve investigadores altamente especializados nas áreas da saúde pública, oncologia, hematologia, envelhecimento, genética e diagnóstico laboratorial e com vasta experiência em robótica e desenvolvimento de dispositivos médicos – é constituído por oito parceiros, sendo três deles portugueses, a Universidade de Coimbra (representada pela FMUC), a Administração Regional de Saúde do Centro e a empresa conimbricense InfoGene. De Espanha, participam o Centro de Investigação do Cancro da Universidade de Salamanca, a Direção-Geral de Saúde Pública de Castela e Leão, o Centro Tecnológico CARTIF de Valladolid e as empresas salamanquinas Cytognos e InmunoStep.

O projeto, coordenado pela Fundação de Investigação do Cancro da Universidade de Salamanca (FICUS), foi apresentado no auditório da Unidade de Alcoologia de Coimbra.

UC