a carregar...

FMUC

Faculdade de Medicina

Mestrado em Psiquiatria Social e Cultural

Coordenador
Prof. Doutor Manuel João Rodrigues Quartilho
Duração4 semestres*
Nº Vagas20
ECTS120
Propina anual
1.500,00€ (5.000,00€ estudante internacional)
Contacto para informações

Gestão Académica | Estudos Pós-Graduados da FMUC

Telefone: + 351 239 857 720

e-mail: posgraduado@fmed.uc.pt

Gabinete de Estudos Avançados

Telefone: +351 239 857 729

e-mail: gea@fmed.uc.pt

Para mais informações
https://apps.uc.pt/courses/PT/course/3821

* A conclusão com aproveitamento das unidades curriculares dos dois primeiros semestres, correspondentes a 60 ECTS, confere diploma de estudos pós-graduados em Psiquiatria Social e Cultural

Objectivos:

Com a implementação deste curso, pretende-se que o aluno no final do Curso seja capaz de:

- Conhecer o percurso histórico e as principais referências conceptuais da Psiquiatria Social e Cultural.

- Contextualizar os fatores de stress e as atividades de coping numa relação dialética com fatores sociais e culturais.

- Interpretar os comportamentos para-suicidários à luz da história, da geografia, das sociedades e das culturas.

- Olhar criticamente, numa perspetiva construcionista, para a proliferação contemporânea de diagnósticos psiquiátricos.

- Explorar as controvérsias relacionadas com memória e trauma, com destaque para os aspetos sociais e culturais.

- Sublinhar a importância do estigma associado às doenças mentais, através do tempo histórico, e formas de o atenuar

- Conhecer os rudimentos básicos da história da Psiquiatria em Portugal.

- Apreender noções relevantes sobre sociologia da saúde e da doença, com destaque para os respetivos determinantes sociais e o impacto da desigualdade a nível global.

- Compreender conceitos relacionados com o processo de somatização e idiomas culturais de mal-estar.

- Compreender os efeitos potenciais do processo migratório na saúde mental das populações migrantes, numa dupla perspetiva sociológica e antropológica.

- Conhecer os principais dados da epidemiologia social e cultural, aplicadas à saúde e às doenças.

- Usar e demonstrar a importância das metodologias quantitativa e qualitativa, no processo de investigação.

- Reconhecer a importância e impacto das experiências de adversidade precoce no processo de desenvolvimento individual.

- Explorar uma visão crítica da biomedicina, numa perspetiva antropológica.

- Conhecer e explorar criticamente os estudos atuais, e respetivas conclusões, sobre felicidade e bem-estar subjetivo.

- Demonstrar a importância da espiritualidade e da religião nas suas relações com o sofrimento individual e coletivo.

- Refletir sobre a importância do sofrimento social e da violência nas sociedades contemporâneas.

- Compreender a emergência de novas identidades num panorama de circulação global da informação.

- Entender a sexualidade, os comportamentos sexuais e respetiva patologização, bem como as minorias sexuais e a defesa dos direitos sexuais à luz da história, das sociedades e das culturas.

- Entender os processos terapêuticos na diversidade e na complexidade, valorizar competências comunicacionais e culturais.

- Demonstrar uma relação entre lugares, saúde e qualidade de vida.

Conteúdos Programáticos

Saúde mental global; História da psiquiatria em Portugal; Genética e ambiente: os mecanismos da interface biológico-cultural; Comportamentos suicidários; Identidade, comunicação e cultura; Estigma e doença mental; Psiquiatria excessiva: medicalização e sociedade; Cultura e sexualidades; Stress, sociedade e cultura; Desenvolvimento e psicopatologia: importância e impacto das experiências de adversidade precoce; Qualidade de vida e saúde; Crianças de risco; Violência em contexto familiar; Somatização e idiomas culturais de mal-estar; Epidemiologia social e cultural; Metodologias de investigação quantitativa e qualitativa; Bioética e relativismo cultural; Cultura, migração e saúde mental; Cura e psiquiatria; Memória e trauma; Pesquisa biográfica, migrações e saúde: Implicações teóricas e práticas; Psicopatologia e sociedade: aproximações etnográficas; Sociologia das migrações; Sociologia da saúde e da doença; Sociologia do envelhecimento; Determinantes sociais da saúde e da doença; Os lugares e a saúde; A construção social da felicidade; O impacto das desigualdades sociais; Sociedades saudáveis; Saúde mental pública; Trauma: Intervenção psicossocial na crise; Guerras e psiquiatria; Sofrimento social e violência; Sofrimento e espiritualidade; Medicina e Direitos Humanos; Sofrimento, medicina e religião



Plano de Estudos:
1º Ano 
1º SemestreECTS
Psiquiatria: Local e Global16
Cultura e Sexualidade2
Stress, qualidade de vida, psicopatologia e idiomas somáticos8
Metodologias de investigação4
2º SemestreECTS
Antropologia Médica
10
Determinantes Sociais e Culturais
12
Sofrimento e Trauma
8
2º AnoECTS
Seminários 4
Dissertação da Tese 56

Candidatura 2017/18

Período de candidatura

1ª fase  – Não abre candidaturas nesta fase

2ª fase  – 1 de abril a 15 de julho de 2017

3ª fase – 24 de agosto a 5 de setembro de 2017

Local de candidatura:  Candidatura on-line em https://inforestudante.uc.pt/nonio/security/candidaturas.do



Condições de acesso

a) Titulares do grau de licenciado, mestrado integrado, ou habilitação legalmente equivalente, em Medicina, Psicologia, Serviço Social, Enfermagem, Sociologia e Antropologia ou outras licenciaturas afins consideradas relevantes pelo Conselho Científico da FMUC

b) Titulares de um grau académico superior estrangeiro conferido na sequência de um 1.o ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo;

c) Titulares de um grau académico superior estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos;

d) Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo órgão científico estatutariamente competente do estabelecimento de ensino superior onde pretendem ser admitidos.

2 - O reconhecimento a que se referem as alíneas b) a d) do n.º 1 tem como efeito apenas o acesso ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre e não confere ao seu titular a equivalência ao grau de licenciado ou o reconhecimento desse grau.

Observações

Para mais informações, deverá consultar o site:
http://www.uc.pt/candidatos/


Equipa docente (Informação provisória)

Ana Filipa Queiroz

Anselmo Borges

António Macedo

Alte da Veiga

Amélia Augusto

Ana Roque Dantas

António Barbosa

Carlos Braz Saraiva

Cristina Canavarro

Duarte Nuno Vieira

Elsa Lechner

Gabriela Moita

Helena Nogueira

Isabel Alberto

Isabel Freire

Jeni Canha

João Gouveia Monteiro

João Vasconcelos

Joaquim Cerejeira

José Manuel Mendes

José Morgado Pereira

Luís Quintais

Luísa Sales

Manuel Quartilho

Marco Pereira

Mariana Moura Ramos

Monteiro Ferreira

Paula Gil

Pedro Góis

Pedro Moura Ferreira

Pio Abreu

Renato Miguel do Carmo

Rita Alcaire

Sílvia Portugal

Susana Renca

Tiago Pires Marques

Vítor Santos

Vítor Rodrigues

Local e horário de funcionamento

Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (Pólo I)

Sábados de manhã ou todo o dia