a carregar...

UC.PT

Herbário da Universidade de Coimbra

Sobre o Herbário da Universidade de Coimbra

Missão 

Corynephorus canescens
  • Preservar material vegetal permanentemente para referência e investigação
  • Fornecer material material vegetal e informação para investigação em biodiversidade
  • Divulgar a importância da diversidade vegetal

A organização de COI

Um herbário é uma colecção biológica de plantas, algas, fungos e líquenes com informação associada a cada exemplar sobre onde e quando os estes foram colhidos, informação ecológica e características que se perdem na sua preparação. Os exemplares estão alojados em armários especiais e organizados de acordo com classificações biológicas. O material é cuidadosamente preparado para poder ser manipulado durante décadas e séculos. Um exemplar vegetal (a planta completa ou parte dela) é prensado e seco entre folhas de papel absorvente e fixado com cola, por vezes cozido, em papel rígido e de boa qualidade juntamente com a etiqueta.

Os herbários são conhecidos e citados pelo seu acrónimo internacional – COI é o Herbário do Departamento de Ciências da Vida, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

COI aloja c. 800.000 exemplares, organizados em colecções separadas que reflectem as prioridades de investigação ao longo dos anos.


Herbário de Coimbra - exteriorherbario geral 42herbário africano


Principal acervo de COI

colagem

Colecção Africana (África subsaariana) revela as ligações científicas entre COI e várias instituições britânicas (BM, K) seguindo a mesma organização daquelas, Bentham & Hooker’s Genera plantarum of 1862-1883 (Gen. pl.). Informatização e digitalização foram iniciadas. Cerca de 240.700 exemplares.

Colecção Portuguesa está organizada de acordo com Pereira Coutinho’s Flora de Portugal (2nd ed., revised by R. T. Palhinha 1939). Inclui plantas de Portugal continental e dos Arquipélagos dos Açores e da Madeira. Informatização e digitalização foram iniciadas. Cerca de 100.000 exemplares.

Colecção Geral mantém a organização inicial do Herbário, segundo Dalla Torre’s Genera siphonogamarum of 1900-1907 (Gen. siphon.). Constitui a maior colecção de plantas do mundo em Portugal. Cerca de 207.000 exemplares.

Colecção de Criptogamia está reorganizada alfabeticamente. Inclui algas, hepáticas, musgos, fungos e líquenes de todo o mundo sendo muito rica em exemplares tipo. Está aqui incluída a Colecção Criptogâmica de São Fiel. Informatização e digitalização foram iniciadas. Cerca de 64.500 exemplares.

Herbário de M. Willkomm (1821-1895), colecção histórica que inclui o material que serviu de base à elaboração da primeira Flora de Espanha Prodromus Flora Hispanicae. Totalmente informatizada e digitalizada. Cerca de 29.000 exemplares.

Batotheca de Henri Sudre, utilizada para a publicação Sudre, H. (1908-1913). Rubi Europae. Librairie des Sciences Naturelles Léon L'homme, Paris. Tipos informatizados e digitalizados. Volumes 3-15.

Excicatae encadernadas de criptogâmicas. 86 livros.

Colecção carpológica de frutos africanos associados a exemplares de herbário. 362 exemplares secos e 26 em álcool.

Seminarium que inclui uma colecção de sementes de referência. Informatização foi iniciada. Cerca de 6.500 exemplares.

Colecção de duplicados de material especialmente importante.



Estrutura de gestão

COI é gerido pelo curador, Dr Fátima Sales (Prof. Associada do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra e investigadora do Centro de Ecologia Funcional) e três técnicos de herbário Isabel Corino, Arménio Matos e Joaquim Santos.

A Comissão de Aconselhamento do Herbário (COACH) é constituída por quatro Professores do Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Prof. Dr António Veríssimo, Prof. Dr Carlos Palmeira, Prof Dr Jorge Canhoto and Prof. Dr Teresa Gonçalves, e o Curator.

  

COI mantém um contacto estreito com o Herbarium of the Royal Botanic Garden Edinburgh (E) e tem beneficiado com isso em diversos aspectos, especialmente na modernização de seus métodos e técnicas.