Universidade de Coimbra | www.uc.pt

link voltar a UC.PT Universidade de Coimbra
Imagem de identificação do subsite Imagem de apresentação do subsite
English Imprimir Tamanho de Letra Normal Aumentar Tamanho da Letra Aumentar Tamanho da Letra

Glossário

letras capitais do glossario

Glossário de Termos Botânicos

Rosette  Batarda  Fernandes

revisto  por Fátima Sales(2007)

Este glossário foi inicialmente publicado em Anuário da Sociedade Broteriana 38: 181-292 (1972).

Esta nova edição foi revista e actualizada.

A cada termo no glossário segue-se, quase sempre, entre parêntesis, o seu correspondente em latim ou grego latinizado, no nominativo, singular. Geralmente, este é o termo de onde deriva a respectiva palavra portuguesa. Deste modo, facilita-se a consulta de obras de taxonomia escritas em latim (a maioria das obras antigas) e também a redacção das descrições de taxa novos.

Os substantivos figuram com inicial Maiúscula, enquanto os adjectivos com minúscula, e estes sempre no singular e na sua forma masculina, mesmo quando se apliquem noutra declinação.

Incluem-se termos ecológicos frequentemente utilizados, bem como os respeitantes a métodos de polinização e disseminação, que são referidos em descrições detalhadas dos taxa.

= sinónimo; alguns termos possuem sinónimos sendo a sua definição dada apenas uma vez, naquele cujo uso é mais corrente.

(v) termo cujo significado pode ser encontrado no glossário (ver)

V. sugere-se a consulta de um termo relacionado (ver também)

Consulte  também:

Coutinho, A. X. P. (1939). Flora de Portugal. Ed. 2. Bertrand: Lisboa.

Staern, W. T. (2004). Botanical Latin. Timber Press: Portland, Oregon, USA.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

abaxial (abaxialis). Diz-se da parte ou face de um órgão mais afastada do eixo.

aberrante (aberrans). Que difere da estrutura habitual; diz-se também da planta que difere do tipo de estrutura do taxon (v) em um ou mais caracteres anómalos.

aberto (apertus). Diz-se da prefolheação (v) em que as folhas não se sobrepõem nem se tocam pela margem.

abortivo (abortivus). Que se desenvolve imperfeita ou incompletamente.

Estames abortivos: os reduzidos aos filetes por aborto das anteras ou que possuem vestígios das anteras abortadas.

Aborto (Abortus). Supressão ou paragem do desenvolvimento de um órgão.

Flor masculina (ou feminina) por aborto: flor inicialmente hermafrodita que, por aborto do ovário (ou dos estames), se tornou masculina (ou feminina) respectivamente.

Fruto monospérmico (v) por aborto: fruto proveniente de um ovário com mais de um óvulo, dos quais apenas um deu origem a semente.

abrupto (abruptos). Que se altera rapidamente; não atenuado progressivamente. Aplica-se muitas vezes à forma do ápice.

acapelado (cucullatus). Em forma de capuz ou capelo de frade. = cuculado (v) ou cuculiforme (v).

acaule (acaulis). Sem caule ou aparentemente sem caule.

aceroso (acerosus; aciformis). Comprido, estreito, de secção subcircular ou semicircular, rígido e agudo na ponta; em forma de agulha.

acetinado. Com brilho de cetim, o que é devido a uma cobertura de pêlos aplicados, densos e brilhantes.

acíclico (acyclicus). Com as peças florais inseridas helicoidalmente.

Acícula (Acicula). Acúleo delicado, direito e fino como a ponta de uma agulha, mas não vulnerante; seda rígida e curta.

aciculado (aciculatus). I – Que tem acículas. II – Marcado com riscas muito finas e irregulares como se feitas pela ponta de uma agulha.

acicular (acicilaris). Semelhante a acícula; em forma de agulha muito fina.

ácido (acidus). I – Que tem sabor acre, como vinagre ou semelhante; com pH < 7. Utiliza-se muitas vezes para descrever frutos que são ácidos devido à presença de ácido málico, cítrico, etc.

acidófilo (acidophilus). Diz-se da planta cujo desenvolvimento requer meio ácido (geralmente solo) ou se processa em meio ácido.

acinaciforme (acinaciformis). Diz-se da folha em forma de sabre (espada curva); pode ser carnuda, trigonal, de faces subplanas como em Carpobrutos acinaciformis.

aclavado (clavatus). Estreito na base e alargadamente arredondado para o ápive; com a forma de clava.

acrescente (accrescens). Que continua a crescer depois do período do período normal, como alguns cálices (ex. Diospyrus, Physalis) cujo crescimento prossegue mesmo depois da fecundação até o fruto atingir a maturação.

acrópeto (acropetus). Formado sucessivamente da base para o ápice. Ex.: o desenvolvimento das flores numa inflorescência indefinida (ex. panicula, capítulo). Opõe-se a basípeto (v).

actinomórfico (actinomorphus). Com simetria radial, possuindo um eixo de simetria. = multilateral, radiado (v) ou polissimétrico.

aculeado (aculeatus). Provido de acúleos.

aculeiforme (aculeiformis). Em forma de acúleo.

Acúleo (Aculeus). Formação epidérmica, rígida, aguçada, sem feixes vasculares e, por isso, fácil de destacar.

acumbente (accumbens). Diz-se da radícula que se posiciona em frenteà linha de justaposição dos dois cotilédones. Alternativa: incumbente (v).

Acúmen (Acumen). Extremidade aguda e ligeiramente curva.

acuminado (acuminatus). Que termina em acúmen (v).

acunheado (cuneatus). Em forma de triangulo invertido, com um dos ângulos na base; em forma de cunha. Aplica-se a estruturas bidimensionais. V. cuneiforme.

acutiúsculo (acutiusculus). Que é intermédio entre agudo e obtuso, aproximando-se mais de agudo.

adaxial (adaxialis). Diz-se da parte ou face de um órgão que está mais próximo do eixo.

-adelfo (-adelphus). Palavra de origem grega usada na formação de termos referentes à disposição dos estames em grupos, por fusão dos filetes.

monadelfos, diadelfos, triadelfos,... poliadelfos: estames fundidos em um, dois, três, … muitos grupos.

Aderência (Adhaerentia). Fusão de elementos ou órgãos adjacentes do mesmo tipo ou não, geralmente do mesmo verticilo (v) ou de verticilos adjacentes.

aderente (adhaerens). Fundido com outro.

adesivo (adhaesivus). Diz-se das raízes epígeas ou dos discos no ápice de algumas gavinhas que aderem a um suporte mantendo erguidos caules e ramos.

adnado (adnatus). Diz-se de partes normalmente distintas que se desenvolvem juntas.

adunado (adunatus). Aderentes dois a dois, de modo a constituírem um só.

Folhas adunadas: folhas opostas e sésseis, soldadas pela base, dando a impressão de uma só, atravessada pelo caule (ex. Lonicera periclymenum).

adunco (aduncus). Curvo em forma de gancho ou de unha de ave de rapina.

adventício (adventitius). I – Diz-se do órgão inserido num local anormal (ex. raízes adventícias nas folhas, gemas adventícias nas raizes). II – Diz-se de plantas recentemente introduzidas.

aéreo (aereus; aerius). Por oposto ao subterrâneo ou aquático.

afilo (aphyllus). Desprovido de folhas.

afim (affinis). Filogeneticamente próximo.

afunilado (infundibuliformis). Em forma de funil ou cone invertido. = infundibuliforme (v).

aglomerado (agglomeratus). Agregado de estruturas subesféricas que não se fundem.

aglutinado (agglutinatus). Agregado (v) de estruturas que não se fundem mas se mantêm unidas por substância pegajosa (ex. os grãos de pólen nas polinídias das Orchidaceae.

agregado (aggregatus). Reunido em grupo compacto.

agudo (acutus). Diz-se de qualquer órgão laminar, como folhas, brácteas, sépalas e pétalas, cujas margens confluem no ápice segundo um ângulo agudo; aplica-se também às formas sólidas que terminam em ponta.

Agulha. Nome vulgarmente dado às folhas dos pinheiros.

alabardino (hastatus). Diz-se dos órgãos laminares que terminam em ponta possuindo na base duas projecções laterais (aurículas, v) divergentes ou ± perpendiculares à nervura mediana; em forma de ferro de alabarda. = hastado.

alado (alatus). Provido de asa(s).

uni- (1), bi- (2), tri- (3),  quadri- (4) ... plurialado: com uma, duas, três, quatro, várias asas.

Albinismo. Anomalia que consiste na ausência de pigmentos (v).

albino (albinus). I – Planta destituída de pigmentos apresentando-se, por isso, com as folhas brancas ou amarelo-pálidas. II – Corola branca de espécies que normalmente as possuem coradas.

Albúmen (Albumen). Tecido de reserva formado no saco embrionário após a dupla fecundação nas Magnoliopsida, presente ou não na semente. ≠ endosperma (v).

albuminoso (albuminosus). Que possui albúmen.

aliáceo (alliaceus). Com cheiro ou sabor a alho.

Alogamia (Allogamia). Fecundação de uma flor pelo pólen de outro indivíduo da mesma ou de espécie diferente. = polinização cruzada. O contrário de autogamia (v).

alogâmico (allogamus). Que é fecundado por alogamia (polinização cruzada).

Alopoliplóide (Allopolyploideus). Poliplóide no qual o número básico de cromossomas de cada um dos progenitores se encontra repetido várias vezes em número par.

Alotetraplóide (Allotetraploideus). Alopoliplóide no qual o número básico de cromossomas de cada um dos progenitores se encontra repetido duas vezes. As suas células somáticas possuem, portanto, 2n + 2n' cromossomas, ou seja, quatro vezes o número básico de cromossomas. = anfidiplóide.

alpestre (alpestris). Diz-se das plantas das montanhas abaixo da zona alpina. = subalpino (v).

alpino (alpinus). I – Relativo aos Alpes. II – Relativo à zona ártica das altas montanhas a que correspondem prados ou vegetação lenhosa em cochim ou almofada.

alternipétalo (alternipetalus). Diz-se de estames ou estaminódios inseridos entre* duas pétalas consecutivas. V. epipétalo.

*na realidade inseridos num entrenó acima.

alterno (alternus). Diz-se de folhas ou outros órgãos inseridos ao longo de um eixo, um em cada nó.

alveolado (alveolatus). Provido de alvéolos (v).

Alvéolo (Alveolus). Conjunto de pequenas depressões de contorno ± regular, dispostas compactamente fazendo lembrar um favo de mel.

Amêndoa (Amygdala). Parte da semente constituída apenas pelo embrião ou por este acompanhado de albúmen.

amentáceo (amentaceus). Em forma de amentilho (v) ou que se lhe assemelha.

amentífero (amentifer). Que possui amentilhos.

Amentilho (Amentum). Espiga alongada, pendente, deiscente, de flores unissexuadas, nuas ou com perianto sepalóide, geralmente bracteadas.

amigdalóide (amygdaloideus). Semelhante a uma amêndoa.

amiláceo (amylaceus). Que produz ou que possui amido.

amófilo (ammophilus). Diz-se da planta ou comunidade vegetal que requer solo arenoso. = psamófilo (v).

amorfo (amorphus). Sem forma determinada.

amplexicaule (amplexicaulis). Diz-se das folhas sésseis, estípulas ou brácteas cuja base envolve parcialmente o eixo.

ampliado (ampliatus). Aumentado; dilatado.

anantero(anantherus). Diz-se do estame desprovido de antera.

anastomosado (anastomosans). Reunidos por anastomose.

Anastomose (Anastomosis). União de nervuras formando um retículo.

anátropo (anatropus). Diz-se do óvulo invertido, ou seja, o que sofre uma curvatura de 180º na base invertendo-se de forma que o micrópilo (v) fica colocado mais próximo da placenta (v) do que da calaza (v), soldando-se o funículo lateralmente ao óvulo por uma sutura, designada rafe (v). O saco embrionário não sofre curvatura continuando a calaza e o micrópilo a ocupar extremos opostos.

ancipital; ancípite (anceps; ancipitius). Diz-se do órgão ± comprimido, com margens aguçadas, como o escapo de algumas espécies de Narcissus. = bigúmeo (v).

Androceu (Androecium). Conjunto dos estames.

Andróforo (Androphorum). I – Tubo resultante da concrescência dos filetes de um androceu monadelfo (v). II – Entrenó floral alongado entre o perianto e a inserção dos estames; coluna que ergue os estames.

androgínico (androgynus). Diz-se da inflorescência com flores masculinas e femininas; hermafrodita. Ocasionalmente utilizado no sentido de monóico.

Androginóforo (Androgynophorum). Entrenó floral alongado desenvolvido acima da corola que ergue o androceu e gineceu.

Anel (Annullus). I – Dispositivo dos esporângios dos fetos, formado por uma fiada de células de paredes desigualmente espessadas que promove a deiscência. II – Saliência circular da base dos aquénios de algumas Boraginaceae.

anemocórico (anemochorus). Disseminado pelo vento.

anemófilo (anemophilus), Polinizado pelo vento.

anfíbio (amphibius). Capaz de se desenvolver igualmente em solo emerso como na água.

anficárpico (amphicarpus). Que produz dois tipos de frutos que diferem na forma, período de maturação, etc.

Anfidiplóide. = alotetraplóide.

angular (angularis; angulatus). Que tem ângulo(s), quer se trate de órgão ± plano, quer sólido.

uni- (1), bi- (2), tri- (3) ... multiangular: com um, dois, três ... muitos ângulos.

anisofilo (anisophyllus). Que possui folhas de forma ou dimensões diferentes inseridas ao mesmo nível.

anómalo (anomalus). Diferente do comum.

anotino (annotinus). Diz-se de ramos ou folhas que têm um ano de idade, que se desenvolveram no último ano.

Antela (Anthela). Cimeira multípara com eixos secundários desiguais entre si ultrapassando em altura o eixo principal.

Antera (Anthera). Parte do estame onde se forma e que contêm o pólen (v).

anterífero (antheriferus). Que possui antera(s).

anterior (anticus). Que ocupa posição frontal; que esta à frente.

Estames anteriores: os do lado da bráctea ou folha axilante.

Lábio anterior (da corola ou do cálice): idem.

Ântese (Anthesis). Estritamente o período de expansão da flor. Também utilizado para designar o período durante o qual a flor está aberta.

Antocarpo (Anthocarpium). Fruto seco, unilocular e monospérmico, que se torna complexo pelo facto de a parede do ovário se unir à parte inferior do androceu e do tubo do perianto persistente (endurecido ou carnudo). Ex. fruto com acessórios, por vezes pseudocarpos, como o do morango e ananás.

Antófito (Anthophytum). Planta com flor. = Magnoliopsida, Angiospérmica, Fanerogâmica.

Antóforo (Anthophorum). Entrenó floral, mais ou menos alongado, desenvolvido acima do cálice e que suporta no extremo a corola, o androceu e o gineceu (ex. algumas Caryophyllaceae).

antropocórico (anthropochorus). Disperso directa ou indirectamente pelo homem.

antrorso (antrorsus). Que se dirige para o ápice ou para a frente. Opõe-se a retrorso (v). Aplica-se particularmente a formações epidérmicas, como pêlos, acúleos, etc.

anual (annuus). Diz-se da planta cujo ciclo de vida se completa num ano ou em tempo inferior. Com um ano de duração.

anular (annularis). Em forma de anel; relativo ao anel do esporângio dos fetos.

apedado; pedado; pedato (pedatus). Diz-se da folha cuja nervura principal se divide na base em duas nervuras divergentes, cada uma dividida, por sua vez, em símpodo (v) escorpióide.

apedatipartido (pedatipartitus). Com nervação apedada e o limbo partido.

apedatissecto (pedatiscetus). Com nervação apedada e o limbo dividido até à base.

Apêndice (Appendix). Prolongamento(s) que se encontra(m) na base ou no ápice (v) de alguns órgãos como nos filetes dos estames de Allium, na base das anteras de algumas espécies de Erica, etc.

apendiculato (appendiculatus). Que possui um ou mais apêndices.

Apendículo (Appendiculum). Pequeno apêndice.

apétalo (apetalus). Diz-se da flor destituída de pétalas.

apical (apicalis). Localizado na parte do órgão oposta à sua inserção; que pertence ao ponto distal de qualquer órgão.

Estilete apical: o que está no prolongamento da parte terminal do ovário; por oposição a estilete ginobásico, ou seja, inserido na base do ovário.

Ápice (Apex). Local de qualquer órgão que se opõe ao seu ponto de inserção; ponto terminal ou vértice.

apiculado (apiculatus). Provido de apículo.

Apículo (Apiculum). Ponta curta e aguda, mas não rígida, na extremidade de uma folha, pétala, sépala, etc. V. mucrão.

apincelado (penicillatus). = penicilado (v).

aplicado (applicatus; appressus; adpressus). Encostado estreitamente em toda a extensão, mas não aderente.

Folhas aplicadas: as encostadas ao caule ou/e ramos.

Pêlos aplicados: os deitados sobre a superfície do órgão em que se inserem.

apocárpico (apocarpus). Diz-se da flor, gineceu ou fruto que possui vários carpelos independentes uns dos outros.

Apocarpo (Apocarpium). Fruto formado pelo conjunto de vários frutos parciais, cada um resultante de um carpelo independente, mas todos de uma só flor. O apocarpo pode ser formado por aquénios (Ranunculus, Fragaria), por drupas (Rubus), por folículos (Paeonia), etc. = fruto apocárpico.

Apófise (Apophysis). Protuberância piramidal e endurecida das escamas dos estróbilos (v) de algumas Pinaceae.

apogâmico (apogamus). Diz-se do embrião ou do esporófito desenvolvido sem que tenha ocorrido fecundação.

aproximado (approximatus). Junto, muito próximo mas não unido.

áptero (apterus). Sem asa(s).

aquático (aquaticus). Diz-se das plantas que vivem na água, enraizadas ou não no fundo.

Aquénio (Achaenium). Fruto seco, indeiscente e monospérmico no qual o pericarpo não adere à semente.

di - (2); tetra- (4) aquénio: frutos múltiplos, formados por dois ou por quatro aquénios.

aquilhado (carinatus). Que apresenta uma saliência em gume na linha mediana longitudinal assemelhando-se à quilha de um barco. = carenado.

aracnóide (arachnoideus; arancosus). Diz-se do indumento formado por pêlos muito finos, macios e flexíveis, tenuemente entrecruzados; semelhante à teia de uma aranha. = tearâneo.

arbóreo (arboreus). Semelhante ou pertencente a árvore.

arborescente (arborescens). Semelhante a uma árvore pela altura e ramificação; com o aspecto de árvore.

arbustivo (fruticosus). Com porte de arbusto.

Arbusto (Frutex). Planta lenhosa inferior a cinco metros de altura, sem um tronco principal ramificando-se a partir da base.

Área (Area). Conjunto das localidades ocupadas por indivíduos pertencentes ao mesmo taxon.

arenícola (arenicola). Que vive em ou requer terreno arenoso.

Aréola (Areola). I – Espaço limitado pelas nervuras anastomosadas das folhas dos fetos. II – Pequenas concavidades ou saliências em alguns órgãos onde, por vezes, se encontra um tufo de pêlos, sedas, etc.

areolado (areolatus). Que possui aréolas.

argênteo (argenteus). Que possui brilho semelhante ao da prata, aspecto que é devido à presença de um indumento formado por pêlos abundantes, esbranquiçados e aplicados.

Arilo (Arillus). Apêndice ou invólucro acessório, por vezes carnudo, de algumas sementes que se desenvolve a partir do hilo ou da parte superior do funículo e que as pode envolver completamente.

Arista (Arista). Formação delgada ou setiforme, mais ou menos longa e rígida, inserida geralmente no ápice ou no dorso de alguns órgãos (glumas, glumelas, bractéolas, dentes do cálice, aquénios, etc.).

aristado (aristatus). Provido de arista(s).

armado (armatus). Munido de qualquer género de formações agudas e mais ou menos rígidos, como espinhos, acúleos, etc.

aromático (aromaticus). Com cheiro mais ou menos agradável devido, geralmente, à presença de óleos essenciais.

arqueado (arcuatus). Ligeiramente curvo em arco.

arredondado (rotundatus). Com a parte superior ou inferior em arco de círculo, de forma a poder incluir um ângulo recto.

Articulação (Articulatio). Zona pela qual partes contíguas se separam naturalmente sem ruptura de tecidos, deixando uma cicatriz geralmente bem definida.

articulado (articulatus). Provido de articulações (v) (ex. frutos de Coronilla, Hippocrepis, etc., caules de Haloxylon, Salicornia, etc.).

Artículo (Articulus). Porção compreendida entre duas articulações (v) consecutivas, as quais correspondem frequentemente a zonas de estrangulamento.

arvense (arvensis). Diz-se da vegetação ou plantas daninhas que invadem as culturas e ou prados semeados.

Árvore (Arbor). Planta lenhosa, geralmente superior a 5 metros de altura, com caule (tronco) indiviso até certa distância do solo, dividindo-se então em maior ou menor número de ramos (v).

Asa (Ala). I – Expansão laminar, foliácea ou membranosa, como a da semente do pinheiro bravo. II – Cada uma das pétalas laterais da corola papilionácea (v). III – Cada uma das sépalas laterais, maiores e petalóides (v) do cálice das Polygalaceae.

ascendente (ascendens; adscendens). Diz-se dos órgãos que se desenvolvem primeiro e em pequena extensão horizontalmente ou quase, encurvando-se depois até assumirem uma postura aproximadamente vertical.

Ascídia (Ascidium). Formação utricular (v) ou urceolada (v) resultante da transformação das folhas de algumas espécies.

áspero (asper). Coberto de pequenas saliências ou de pêlos curtos e rígidos que tornam a superfície rugosa ao tacto. = escabro (v).

assalveado (hypocrateriformis). Diz-se da corola simpétala com tubo longo e estreito que se dilata bruscamente em limbo plano ou côncavo. = hipocrateriforme (v).

assépalo (asepalus). Desprovido de sépalas; sem cálice.

asseptado (aseptatus). Sem septos ou tabiques.

assexuado; assexual (asexualis). I – Desprovido de órgãos reprodutores masculinos e femininos. II – Que se forma sem recorrer a reprodução sexuada.

assimétrico (asymmetricus). Diz-se do órgão sem qualquer plano de simetria.

Folha assimétrica: aquela cujo limbo é bastante desigual de um e outro lado da nervura principal.

assovelado (subulatus). Que termina abruptamente em ponta aguda como a da sovela. = subulado.

atenuado (attenuatus). Que estreita progressivamente para o ápice.

Atrofia (Atrophia). Paralização do desenvolvimento; definhamento.

atrópico (atropus). = ortotrópico.

Aurícula (Auricula). Expansão lobada, semelhante a uma pequena orelha, na base de órgãos laminares, como folhas, sépalas, etc., ou no ápice de alguns frutos (ex. aquénios de Anthemis), etc.

auriculado (auriculatus). Provido de aurícula(s) (v).

auriculiforme (auriculiformis). Em forma de aurícula (v).

autocárpico (autocarpus). Diz-se do fruto resultante de autofecundação.

autóctone (autochton). Diz-se do taxon originário de uma determinada zona. = espontâneo, indígena.

auto-estéril (autosterilis). Diz-se da flor (ou da planta) hermafrodita cujo(s) óvulo(s) não produz(em) semente(s) como resultado da polinização pelo pólen da mesma flor ou de flores do mesmo indivíduo; apenas produz(em) semente(s) quando polinizado(s) pelo pólen de flores de outro indivíduo da mesma espécie. Oposto de auto-fértil (v).

auto-fértil (autofertilis). Diz-se da flor (ou da planta) hermafrodita cujo(s) óvulo(s) produz(em) semente(s) como resultado da polinização pelo pólen da mesma flor ou de flores do mesmo indivíduo. Oposto de auto-estéril (v).

Autogamia (Autogamia). Polinização de uma flor hermafrodita pelo seu próprio pólen ou pelo pólen de flores do mesmo indivíduo. Opõe-se a alogamia (v).

autogâmico (autogamicus). Diz-se da planta (ou flor) hermafrodita que é fecundado pelo seu próprio pólen.

Autopoliplóide. Poliplóide (v) em que o número básico de cromossomas se encontra repetido três ou mais vezes.

aveludado (velutinus). Coberto de pêlos finos, curtos, densos e erectos, semelhante a veludo. = velutino.

axial; áxil (axialis). Diz-se da placentação de um ovário bi-pluricarpelar, sincárpico, cujos óvulos se inserem no eixo central do ovário.

Axila (Axilla). Vértice do ângulo formado por um órgão com o eixo em que se insere (ex. axila da folha).

axilante (axillans). Diz-se da folha, bráctea ou outro órgão em cuja axila se encontra um ramo, pedúnculo, pedicelo ou flor; a folha, bráctea, etc., são axilantes desse ramo, pedúnculo, etc.

axilar (axillaris). I – Situado na axila. II – Diz-se também, incorrectamente, da placentação axial ou áxil (v).

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo


letras capitais do glossario


baciforme (bacciformis). Semelhante a baga (v).

Baga (Bacca). Fruto indeiscente, geralmente sincárpico e polispérmico, com epicarpo geralmente delgado, mesocarpo carnudo, endocarpo muito ténue ou formado por tecido muito fino.

Bainha (Vagina). I – Parte basilar, mais ou menos alargada de algumas folhas e que envolve ± o eixo. II – Peça formada pela união das folhas das Equisetaceae que rodeia a base dos entre-nós.

Balaústia (Balaustium). Fruto sincárpico, proveniente de ovário ínfero, com o pericarpo coriáceo e o interior, dividido em cavidades por lamelas delgadas, repleto de sementes encostadas umas às outras, com episperma (v) sucoso (ex. fruto da romanzeira, Punica granatum).

Barba (Barba). Conjunto de sedas agrupadas em tufo.

barbado (barbatus). = barbudo.

barbudo (barbatus). Que tem barbas.

basal (basalis). Próprio da base; relativo à base; situado na base. = basilar.

Base (Basis). A parte de um órgão junto ao seu ponto de inserção.

basifixo (basifixus). Aderente ou preso pela base.

Anteras basifixas: as inseridas nos filetes pela base.

basífugo (basifugus). Diz-se do órgão cujo crescimento se processa da base para o ápice (fugindo da base). = acrópeto (v).

basilar (basilaris). Relativo à base; que serve de base; que se situa na base ou próximo desta.

Folhas basilares: as inseridas pouco acima do colo da raiz.

Placentação basilar: aquela em que os óvulos se inserem no fundo da cavidade do ovário.

basípeto (basipetus). Crescendo em direcção à base. Opõe-se a acrópeto (v) e basífugo (v).

basófilo (basophilus). Diz-se das plantas ou das comunidades vegetais que se desenvolvem em meios de ph > 7 (básico).

bi- (dois, duas vezes). Prefixo de origem latina usado na formação de termos que indica um órgão ou uma estrutura se encontram repetidos duas vezes. (ex.: biaristado, com duas aristas; bibracteado, com duas brácteas; bifloro, com duas flores).

bianual; bienal (biennalis; biennis). Diz-se da planta vive mais do que um período vegetativo, não ultrapassando dois, dando-se a germinação e crescimento no primeiro ano e a floração e frutificação no segundo.

bicolor (bicolor). Diz-se do órgão que apresenta duas cores.

bicorne (bicornis). Que possui duas pontas semelhantes a pequenos chifres.

bifacial (bifacialis). Com duas faces.

bífido (bifidus). Dividido em duas partes mais ou menos até meio. = bifendido.

biforme (biformis). Que tem duas formas. = bimorfo.

bifurcado (bifurcatus). Com duas furcas ou ramos partindo do mesmo ponto.

bigeminado (bigeminatus). Diz-se das folhas compostas com dois folíolos, cada um peciolulado.

bigúmeo (anceps). = ancipital (v).

bilabiado (bilabiatus). Diz-se do cálice sinsépalo ou corola simpétala com segmentos dispostos em duas partes, os lábios, opostas.

bilateral (bilateralis). Que tem dois lados ou se dispõe em duas filas, de um e outro lado de um órgão.

Simetria bilateral: a dos órgãos que possuem dois planos de simetria apenas, perpendiculares entre si.

bípara. Cimeira cujos ramos, sob cada flor terminal, são opostos.

bipartido (bipartitus). Dividido em duas partes até mais do meio, mas sem atingir a base.

bipenatifendida (bipinnatifidus). Folha penatifendida cujas divisões são, por sua vez, fendidas.

bipenatipartida (bipinnatipartitus). Folha penatipartida cujas divisões são, por sua vez, partidas.

bipenatissecto (bipinnnatisectus). Folha penatissecta com os segmentos divididos, por sua vez, até à nervura.

bissexual (bisexualis). = hermafrodita.

biternado (biternatus). Diz-se da folha composta trifoliada em que cada um dos três pecíolulos possui três folíolos; folha ternada duas vezes.

bolbífero (bulbifer). Que possui bolbo(s). = bolboso.

bolbiforme (bulbiformis). Com a forma de bolbo; que se assemelha a um bolbo.

bolbilhífero (bulbillifer). Que possui bolbilhos.

bolbilho (bulbillus; bulbulus). Pequenos bolbos (v) formados na axila das escamas de bolbos, na axila de folhas, sobre algumas folhas ou em inflorescências, a partir dos quais a planta se repruduz vegetativamente.

Bolbo (Bulbus). Caule curto, geralmente subterrâneo, com a gema rodeada por folhas carnudas (escamas) e a porção axial (prato ou disco) muito contraída.

B. entunicado: aquele em que as escamas são mais ou menos concêntricas, cada uma envolvendo completamente a anterior e envolvida pela seguinte.

B. escamoso: aquele cujas escamas são estreitas e imbricadas.

B. sólido: o caule subterrâneo que é envolvido por poucas escamas membranosas ou fibrosas possuindo, ao contrário dos acima mencionados, a parte central sólida bastante desenvolvida e mais ou menos carnuda.

bolboso (bulbosus). Que tem ou produz bolbos (v).

bolhoso (bullosus; bullatus). Com a epiderme erguida em forma de bolhas ou vesículas.

Bolsa (Bursa). Concavidade nos tecidos.

Bóstrix (Bostryx). Cimeira unípara helicóide em que os ramos sucessivos não se situam todos no mesmo plano.

Botão floral (Alabastrum). Gomo que produz flores.

Bráctea (Bractea). Folha mais ou menos modificada (distinta das normais pela dimensão, forma, consistência ou cor), em cuja axila se insere a flor, ou situada próximo da flor ou da inflorescência.

bracteado (bracteatus). Que tem bráctea(s).

bracteiforme (bracteiformis). Semelhante a bráctea.

Bractéola (Bracteola). Bráctea de segunda ordem, geralmente menor do que a bráctea, situada sobre um eixo floral lateral ou inserida no pedicelo. Nas Apiaceae (Umbeliferae) são brácteas as formações laminares que rodeiam o ponto de inserção dos raios no ápice do pedúnculo e bractéolas as que rodeiam a base das umbélulas.

bracteolado (bracteolatus). Provido de bractéolas.

Braquiblasto (Brachyblastus). Ramo curto sobre o qual se inserem apenas folhas ou flores.

Bursículo (Bursicula). Pequena bolsa que contém um ou dois retináculos (v) (ex. flor das Orchidaceae).

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Cacho (Racemus). Inflorescência cujas flores, providas de pedicelos, se inserem ao longo do mesmo eixo. Se o eixo é simples, o cacho é simples; se ramificado, o cacho é composto.

caducifólio (caducifolius). Diz-se das árvores ou arbustos que perdem as folhas na estação desfavorável.

caduco (caducus). Que se separa espontaneamente, por vezes precocemente.

Sépalas caducas: as que se soltam antes da flor abrir por completo (ex. Papaver, papoilas).

Estípulas caducas: as que se desprendem antes da folha.

Calaza (Chalaza). Tecido da base do óvulo, oposta ao micrópilo onde se inserem os tegumentos.

calcícola (calcicola). Que vive em terreno calcário (básico), evitando o silicioso (ácido). = calcófilo.

calcífugo (calcifugus). Que normalmente não pode viver em terreno calcário (básico).

calcófilo (calciphilus). = calcícola.

Cálice (Calyx). Conjunto das peças florais externas (sépalas) do perianto diferenciado, as quais são, em geral, verdes e de consistência herbácea.

caliciforme (calyciformis). Com a forma de cálice.

calicinal (calycinus). Pertencente ao cálice ou relativo ao cálice.

caliculado (calyculatus). Que possui calículo ou epicálice (v).

caliculiforme (calyculiformis). Com a forma de calículo ou epicálice (v).

Calículo (Calyculus). = epicálice.

Calosidade (Callus). Endurecimento semelhante a um calo.

caloso (callosus). Que possui calosidade(s). Folha com margem calosa ou folha caloso-marginada tem a margem endurecida e, por vezes, de tom claro, amarelado ou esbranquiçado.

Câmara. Espaço existente entre células.

C. aerífera: espaço intercelular grande no parênquima das plantas hidrófitas.

C. secretora: espaço intercelular, subgloboso ou elipsóide, onde se acumulam os produtos de secreção das células que o limitam. = bolsa secretora.

Câmbio (Cambium). Tecido meristemático constituído por uma camada de células indiferenciadas que se dividem mitoticamente continuamente originando células que se diferenciam em vários tecidos.

Câmbio vascular (ou libero-lenhoso): câmbio que dá origem ao xilema para o interior da planta e floema para o exterior da planta.

C. súbero-felodérmico ou felogénio: o que se desenvolve na periferia do caule ou da raiz, produzindo súber para o exterior da planta e feloderme para o interior.

Caméfito (Chamaephytum). Diz-se da planta cujas gemas de renovo se situam a menos de 25 cm da superfície do solo.

campanulado (campanulatus). Em forma de sino invertido, ou seja, alargando bruscamente junto à base e pouco ou nada a partir dela.

campilotrópico (campylotropus). Diz-se do óvulo em forma de rim que se curva cerca de 90º, de modo que o micrópilo se situa junto à calaza, aproximando-se do funículo.

Canal (Canalis). I – Escavação em forma de goteira ou calha. II – Cavidade no interior dos tecidos, alongada e estreita, resultante, por vezes, da reabsorção de células e onde se depositam produtos de secreção (canal secretório).

canaliculado (canaliculatus). Escavado longitudinalmente em forma de canal estreito, como na face superior de alguns pecíolos.

canelado (sulcatus). Com sulcos longitudinais ou caneluras.

capilar (capillaris). Comprido e fino como um cabelo.

capitado (capitatus). I – Em forma de cabeça, ou seja, alargando-se subitamente em corpo globoso ou quase, como alguns estigmas e alguns pêlos glandulosos. II – Reunindo-se em inflorescência semelhante a uma cabeça (capítulo ou glomérulo).

capituliforme (capituliformis). Em forma de capítulo; parecido com capítulo.

Capítulo (Capitulum). Inflorescência capitada (globosa), achatada ou não na parte superior, de flores geralmente sésseis, reunidas num receptáculo comum geralmente rodeadas por um invólucro de brácteas.

Cápsula (Capsula). Fruto seco, deiscente, sincárpico, polispérmico.

C. loculicida: a que abre (deiscente) por meio de fendas longitudinais, correspondentes à nervura mediana de cada carpelo. Neste caso, a deiscência é valvar e dorsal.

C. septicida: a que abre (deiscente) longitudinalmente ao longo dos septos dos lóculos, separando-se a parte correspondente a cada carpelo. Neste caso, a deiscência é valvar e sutural.

C. septífraga: a que abre (deiscente) por fendas longitudinais que separam a face dorsal dos carpelos completamente dos septos.

C. circuncisa: V. pixídio.

C. deiscente por dentes: a que abre por curtas fendas longitudinais ou dentes divergentes na parte superior.

C. poricida: aquela em que a deiscência se faz por poros.

C. valvar: a que abre (deiscente) por fendas longitudinais, mais ou menos a todo o comprimento, que separam o pericarpo em porções designadas valvas.

capsular (capsularis). Com caracteres de cápsula; pertencente a cápsula.

Carena (Carina). I – V. quilha. II – Saliência longitudinal em gume ao longo da linha mediana da face dorsal de um órgão.

carenado (carinatus). = aquilhado.

carenal (carinalis). Diz-se da prefloração da corola pseudo-papilionácea das Caesalpinioideae em que a quilha ou carena cobre as asas e estas o estandarte.

Cariopse (Caryopsis). Fruto seco, indeiscente e monospérmico, com o pericarpo aderente à semente (ex. nas Poaceae).

cárneo (carneus). Cor de carne.

carnívoro (carnivorus). Diz-se das plantas que capturam pequenos animais, geralmente insectos, dos quais extraem nutrientes, especialmente azoto. V. insectívoro.

carnudo (carnosus). Suculento mas firme.

Caroço (Nucleus; Putamen). Parte interna e dura do pericarpo a qual rodeia a semente nas drupas.

carpelar (carpellaris). Relativo ou pertencente ao carpelo.

uni- (1), bi- (2), tri- (3)... pluri - (vários) carpelar: diz-se do gineceu formado por um, dois, três..., vários carpelos.

Carpelo (Carpellum). Cada uma das unidades que compõem o gineceu, correspondendo cada uma a uma só folha transformada.

Carpóforo (Carpophorum). Prolongamento do eixo ou do receptáculo de algumas flores, no ápice do qual se inserem os carpelos e depois os frutos.

cartáceo (chartaceus). Com a consistência de papel ou de pergaminho e de cor não verde.

cartilagíneo (cartilagineus). Semelhante a cartilagem, ou seja, firme mas um tanto elástico.

Carúncula (Caruncula). Excrescência carnosa do tegumento (v) junto ao micrópilo da semente.

Casca (Cortex). Parte externa dos troncos e das raízes das árvores e arbustos, situada fora do câmbio líbero-lenhoso e que é fácil de destacar. Também se emprega vulgarmente para designar o exocarpo (v) ou epicarpo (v) de frutos e a tecido externo das sementes.

Catafilo (Cataphyllum). Folhas situadas em órgãos subterrâneos, frequentemente escamiformes, escariosas e desprovidas de clorofila.

caudado (caudatus). Provido de cauda, ou seja, de um prolongamento ou apêndice estreito e longo.

Caudículo (Caudicula). Parte atenuada em forma de pedículo que liga a polinídia ao retináculo.

Caule (Caulis). Tipicamente, é a parte do eixo da planta que suporta as folhas; situa-se a seguir à raiz e cresce em sentido oposto ao desta.

caulescente (caulescens). Diz-se da planta com caule(s) bem desenvolvido(s);  oposto a acaule.

Caulículo (Cauliculo). A parte do eixo do embrião a partir da qual se desenvolve o caule primário da planta.

caulinar (caulinaris; caulinus). Pertencente ao caule.

Folhas caulinares: as que se inserem ao longo do caule, por oposição às basilares.

Cecídia (Cecidium). Neoformação ou hipertrofia de tecidos vegetais, resultante da acção de insectos (zoocecídias) ou de outras plantas (fitocecídias) (ex. bugalhos dos carvalhos são zoocecídias).

-céfalo (-cephalus). Com cabeça ou capítulo.

Mono- (1), di - (2), tri- (3), oligo- (poucos), poli - (muitos) céfalo: diz-se da inflorescência, caule, planta, com um, dois, três..., poucos, muitos capítulos.

Celha (Cilium). = cílio.

celheado (ciliatus). = ciliado.

central livre. Tipo de placentação do ovário unilocular cujos óvulos se inserem sobre uma coluna no centro daquele.

centrífugo (centrifugus). Que se desenvolve do centro para a periferia. Opõe-se a centrípeto (v).

centrípeto (centripetus). Que se desenvolve da periferia para o centro. Opõe-se a centrífugo (v).

Cepa (Cauecx). Base subterrânea do caule de uma planta perene e lenhosa. Também se aplica à parte inferior, mas não subterrânea de alguns caules, como nas videiras.

ceroso (cereus). Revestido de cera ou com a cor e a textura da cera.

Céspede (Caespes). Tufo formado pelos caules muito juntos de algumas plantas multicaules herbáceas.

cespitosa (caespitosus). Aplica-se à planta que forma céspedes (v).

chanfrado (emmarginatus). = emarginado.

ciatiforme (cyathiformis). Em forma de ciato (v).

Ciato (Cyathium). Inflorescência das espécies do género Euphorbia com flores unissexuais e nuas (a feminina solitária e pedicelada no centro, rodeada por 5 masculinas, cada uma possuindo apenas um estame), circundadas por um invólucro caliciforme, assemelhando-se o conjunto a uma flor hermafrodita.

Cicatriz (Cicatrix). Marca deixada pelo desprendimento de um órgão no local de inserção.

cíclico (cyclicus). Disposto em verticilos (v). Opõe-se a acíclico ou helicoidal (v).

ciliado (ciliatus). Provido de cílios.

Cílio (Cilium). Pêlos finos, paralelos uns aos outros ou pouco divergentes, semelhantes a pestanas, geralmente inseridos na margem de órgãos laminares (ex. nas folhas de Erica ciliaris e E. tetralix).

ciliolado (ciliolatus). Provido de cílios muito curtos.

Cimeira (Cyma). Inflorescência com o eixo principal de crescimento limitado (definido), terminando numa flor; este modelo repete-se nos eixos inferiores laterais; as primeiras flores a abrir encontram-se no topo da inflorescência ou no centro de um aglomerado de flores. Opõe-se a inflorescência indefinida (v) ou racemosa.

C. unípara: com um só eixo sob cada flor terminal. = monocásio.

C. bípara: com dois eixos opostos sob cada flor terminal, aparentando uma dicotomia. = dicásio.

C. multípara: com mais de dois ramos no mesmo verticilo sob cada flor terminal, aparentando uma umbela. = pleiocásio.

C. escorpióide: a cimeira unípara com os eixos sucessivos inserindos alternadamente para um e outro lado (as brácteas são alternas) (ex. cíncino, v, ou ripídio, v).

C. helicóide: cimeira unípara com os eixos inseridos todos para o mesmo lado (brácteas dispondo-se todas para o mesmo lado) (ex. bóstrix ou drepânio, v).

cimoso (cymosus). Semelhante a cimeira; dispondo-se em cimeira.

Cíncino (Cincinnus). Cimeira unípara escorpióide com os ramos sucessivos situam em planos diferentes.

cinéreo (cinereus). Cor de cinza.

circinado (circinatus). Vernação na qual as folhas se encontram enroladas em espiral para a página inferior.

circular (circularis). V. orbicular.

circunciso (circumscissus). Diz-se de cápsulas (v. pixídio) ou anteras cuja deiscência se processa mediante a separação da parte superior segundo uma linha transversal em torno de todo o órgão.

Cirro (Cirrhus). = gavinha.

cirroso (cirrhosus). Terminando num apêndice filiforme, enrolado no ápice ou flexuoso.

citrino (citrinus). De cor amarelo-limão.

Cladódio (Cladodium). Caule achatado ou laminar especialmente adaptado à função fotossintética, mas que retém a sua função de caule nele se inserindo por vezes ramos, folhas reduzidas e flores.

clavado (clavatus). = aclavado.

claviforme (claviformis). Em forma de clava, ou seja, de estrutura alongada, de secção transversal circular e dilatada da base para o ápice arredondado. = aclavado.

cleistogâmico (cleistogamus). Aplica-se às flores sempre fechadas nas quais a autofecundação é obrigatória. Opõe-se a casmogâmico.

coalescente (coalescens). Fundido. = concrescente.

Coca (Coccus). Cada uma das partes em que se dividem alguns frutos esquizocárpicos (v), cada uma correspondendo a um carpelo e contendo uma só semente; as cocas são secas ou pouco carnudas.

coccíneo (coccineus). De cor entre escarlate e carmim.

cocleado (cochleatus). Enrolado em hélice curta, como a concha de um caracol.

coclear (cochlearis; cochleariformis). Em forma de colher.

-coco (-coccus).

bi, tri- ... coco: que se divide em duas, três... cocas.

colateral (collateralis). Que está colocado ao lado de outro.

colector (collector). Diz-se dos pêlos de alguns estiletes que retêm o pólen.

Colmo (Culmus). Caule cilíndrico com nós bem diferenciados e entrenós ± longamente revestidos pelas bainhas das folhas (ex. nas Poaceae).

Colo (Collum). I – Prolongamento em forma cilíndrica ou de gargalo. II – Zona de ligação da raiz ao caule.

Coma (Coma). I – Tufo de folhas, de brácteas estéreis ou de flores estéreis inserido no ápice de algumas inflorescências ou infrutescências (ex. fruto de Ananas comosus). II – Tufo formado pelas folhas das palmeiras no cimo do espique (v).

Comissura (Commissura). Superfície ou linha de união de duas ou mais partes ou órgãos.

comissural (commissuralis). Relativo ou pertencente à comissura.

comoso (comosus). Provido de coma.

completo (completus). Que possui todas as partes.

Folha completa: com bainha, pecíolo e limbo.

Flor completa: com perianto duplo, androceu e gineceu.

composto (compositus). Diz-se de partes semelhantes, reunidas num todo.

Folha composta: a que é formada por duas ou mais lâminas parciais (folíolos), inseridas num pecíolo comum.

Inflorescência composta: aquela cujo eixo principal se ramifica em eixos secundários nos quais se inserem flores ou eixos terciários, etc.

comprimido (compressus). Achatado dorsal ou lateralmente.

concolor (concolor). Com cor igual ou muito semelhante em ambas as páginas (folhas) ou em todas as peças da corola ou do perianto ou em todas as flores (capítulo). Opõe-se a discolor.

concrescente (concrescens). Diz-se dos órgãos ou partes de órgãos que se desenvolvem ligados entre si; fundido.

condensado (condensatus). Reunidos em grupo compacto, devido ao encurtamento dos eixos.

Inflorescência condensada: inflorescência multiflora e com as flores muito aproximadas.

conduplicado (conduplicatus). Dobrado ao meio ao longo da nervura mediana de modo a que as metades do limbo ficam justapostas ou quase.

Vernação conduplicada: aquela em que as folhas no interior da gema são conduplicadas.

Cone (Conus; Strobilus). V. estróbilo.

Conectivo (Connectivum). Tecido estéril da antera que liga os sacos polínicos e se prolonga no filete.

confluente (confluens). Que gradualmente se reúnem; que se reúnem devido a desenvolvimento ulterior.

conforme (conformis). Com a mesma forma.

conivente (connivens). Aplica-se a órgãos separados na base cujos ápices se inclinam e aproximam até contactarem mas sem se fundirem.

conóide (conoideus). Quase cónico.

contínuo (continuus). Diz-se do caule, ramo ou fruto desprovido de articulações. Opõe-se a articulado.

contorcido (contortus). Diz-se da prefloração em que cada peça floral cobre a margem da peça seguinte sendo a sua outra margem coberta pela da peça anterior, encontrando-se o conjunto enrolado helicoidalmente.

contraído (contractus; constrictus). I – Estreitado subitamente (folha contraída no pecíolo, folha contraída no cimo em acúmen, etc.). II – Apertado (inflorescência contraída).

convergente (convergens). I – Que tendem a aproximar-se no ápice como os estames coniventes (v). II – Diz-se das nervuras que unem no ápice da folha encurvando-se.

convoluto (convolutus). Tipo de prefolheação (ou de prefloração) em que cada peça está enrolada longitudinalmente sobre si mesma, incluindo no seu interior a imediata. = enrolado.

Copa (Coma). Conjunto das ramificações de uma árvore.

corado (coloratus). Aplica-se a todo a estrutura que possua cor diferente de verde ou branca.

cordado (cordatus). Em forma de coração estilizado invertido, ou seja, de contorno geral ovado-triangular, base com dois lobos arredondados e subiguais separados por um sinus ± profundo e estreito.

cordiforme (cordiformis). = cordado.

coriáceo (coriaceus). Firme e um pouco espesso; com consistência semelhante à do couro; aplica-se especialmente a folhas.

corimbiforme (corymbiformis). Em forma de ou semelhante a corimbo (v).

Corimbo (Corymbus). Inflorescência racemosa em que as flores se situam ± ao mesmo nível devido ao comprimento gradualmente inferior dos pedicelos ao longo do eixo.

corimboso (corymbosus). Que se dispõem em corimbo ou que possui corimbo(s).

Cormo (Cormus). I – Parte subterrânea, curta e engrossada do caule de algumas Liliidae (Monocotiledóneas), semelhante a um bolbo, mas desprovida de gema, com escamas papiráceas ou fibrosas ou sem escamas. Impropriamente chamado bolbo sólido. II – Eixo das plantas superiores, formado pela raiz e pelo caule.

córneo (corneus). Duro como chifre, mas de textura fina, o podendo ser cortado sem dificuldade.

corniculado (corniculatus). Semelhante a cornículo (v) ou com partes em forma de cornículo.

Cornículo (Corniculum). Prolongamento ou apêndice em forma de pequeno chifre, ou seja, delgado, agudo e recurvado.

Coroa (Corona). Apêndice ± circular como um rebordo de uma taça.

C. do perigónio ou da corola: Estrutura circular resultante da união de apêndices petalóides (em algumas Amaryllidaceae) de escamas das pétalas (em algumas espécies de Silene e Lychnis).

C. estaminal: expansão formada pela união de partes petalóides do androceu nas Asclepiadaceae.

C. do aquénio: expansão situada no ápice dos frutos de Asteraceae, Dipsacaceae, Valerianaceae, etc, que é, na realidade o limbo do cálice transformado e persistente.

coroado (coronatus). Provido de coroa.

Corola (Corolla). Conjunto das pétalas, livres ou unidas.

corolino (corollinus). Semelhante a corola; pertencente a corola; inserido sobre a corola.

coroniforme (coroniformis). Em forma de coroa.

corrugado (corrugatus). Diz-se da prefloração em que as pétalas se encontram irregularmente enrugadas. = enrugado.

Cortiça (Suber). Camada externa mais ou menos espessa do tronco e ramos de alumas árvores, formada por células mortas de paredes suberificadas. V. súber.

cosmopolita (cosmopolitas). Designação dada às espécies com distribuição mundial.

Costa (Cotia). Estrutura longitudinal saliente ± pronunciada.

costado (costatus). Possuindo uma ou mais costas.

Cotilédone (Colyledon). Folha embrionária (ou seminal) com reservas nutritivas. Em número de um nas Liliidae (Monocotiledoneas) e de dois nas Magnoliidae (Dicotledoneas) e em número de dois a vários nas gimnospérmicas.

crassiúsculo (crassiusculus). Moderadamente carnudo.

crasso (crassus). Engrossado, espesso, carnudo.

crenado (crenatus). Provido de recortes arredondados convexos na margem.

duplamente crenado (duplicato-crenatus): com os recortes arredondados na margem por sua vez recortados em outros semelhantes mas menores.

crenulado (crenulatus). Que tem a margem com recortes arredondados convexos muito pequenos.

crespo (crispus). I Irregularmente encaracolado ou ondulado, como alguns pêlos. II – Diz-se da margem de órgãos laminares irregularmente recortada e apertadamente ondulado-plissada. = encrespado.

Criptófito (Cryptophytum). Forma biológica cujas gemas de renovação se situam abaixo da superfície do solo ou da água.

Crista (Crista). Saliência ou apêndice irregularmente recortado ou laciniado de alguns órgãos.

cristado (cristatus). Que possui crista(s).

crucífera (cruciformis; cruciatus). Diz-se da corola dialipétala com quatro pétalas dispostos em cruz e com unha ± longa.

cuculado (cucullatus). = acapelado.

cultivado (cultus). I – Diz-se da planta que depende dos cuidados humanos. II – Aplica-se ao terreno trabalhado (Arvum) pelo homem com o objectivo de nele estabelecer culturas ou onde já se desenvolvem culturas.

cuneiforme (cuneiformis). Em forma de pirâmide invertida; aplica-se a estruturas tridimensionais. V. acunheado.

Cúpula (Cupula). I – Invólucro duro e espesso em forma de taça, formado por numerosas brácteas imbricadas, concrescentes inferiormente; encontra-se na base das flores femininas de Quercus e posteriormente reveste inferiormente o fruto. II – Fruto eriçado de espinhos com deiscência apical, vulgarmente designado ouriço (ex. fruto de Castanea sativa, castanheiro).

cupuliforme (cupuliformis). Em forma de cúpula, ou taça.

curvinérveo (curvinervis). Diz-se das folhas de Magnoliidae (Dicotiledóneas), geralmente ovadas ou elípticas, com várias nervuras longitudinais, aproximadas nas extremidades e ± arqueadas na parte restante.

cuspidado (cuspidatus). Com ápice agudo e rígido, não muito longo.

Cutícula (Cuticula). Película formada por cutina que reveste externamente a epiderme.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario


decíduo (deciduus). Que se destaca naturalmente, como as folhas no Outono ou as pétalas depois da ântese (v).

declinado (declinatus). Inclinado ou curvo para a frente ou para baixo.

decumbente (decumbens). Desenvolvendo-se sobre o solo apenas com a extremidade ascendente.

decurrente (decurrens). Que se prolonga abaixo do nível de inserção.

Limbo decurrente no pecíolo: o que se prolonga de um ou dos dois lados do pecíolo.

Folha decurrente: folha séssil cujo limbo se prolonga ao longo do caule ou ramo.

definido (definitus). Eixo com crescimento limitado.

Inflorescência definida: V. cimeira.

Deiscência (Dehiscentia). Processo ou mecanismo natural mediante o qual o fruto, antera ou esporângio abrem na maturação para libertar o seu conteúdo.

deiscente (dehiscens). Que se abre espontaneamente na maturação.

deliquescente (deliquescens). Que se transforma numa massa ± fluida.

deltóide (deltoideus). Em forma de tetraedro.

densifloro (densiflorus). Com muitas flores e estas aproximadas entre si.

denso (densus). Apertado, basto, muito junto, como algumas inflorescências cujas flores são em grande número e próximas, ou o indumento no qual os pêlos são muito bastos.

dentado (dentatus). Provido de dentes ± perpendiculares à linha da margem.

duplamente ou duplicado-dentado (duplicato-dentatus): com dentes divididos em outros menores.

Dente (Dens). Saliência triangular, pequena e ± pontiaguda que se projecta para além da superfície ou margem de um órgão.

denticulado (denticulatus). Que tem dentes muito pequenos ou dentículos.

depauperado (depauperatus). I – Pouco desenvolvido, enfraquecido. II – Reduzido a um número inferior ao normal.

Inflorescência depauperada: a que tem poucas flores.

deprimido (depressas). Comprimido perpendicularmente ao eixo.

descendente (descendens). Que se dirige progressivamente para baixo.

Óvulo descendente: óvulo pendente para a base do ovário.

dextrorso (dextrorsum). Diz-se dos caules volúveis que se enrolam em hélice da esquerda para a direita* em torno de um suporte. Opõe-se a sinistrorso (v).

* quando o observador se supõe colocado no suporte ou eixo.

di- (dois, duas vezes). Prefixo em palavras de origem grega para significar que um órgão ou estrutura se encontram repetidos duas vezes*. Equivale ao prefixo latino bi-.

* Palavras com este prefixo e que não figuram na letra D deste glossário, devem ser procuradas no respectivo letra, depois de suprimido o prefixo.

diáfano (diaphanus). Muito delgado, quase transparente e desprovido de cor.

dialipétalo (dialypetalus). Diz-se da corola com as pétalas completamente livres.

dialissépalo (dialysepalus). Diz-se do cálice com as sépalas completamente livres.

dialitépalo (dialytepalus). Aplica-se ao perigónio (v) com as tépalas completamente livres.

Dicásio (Dichasium). = cimeira bípara.

diclamídeo (dichlamydeus). Aplica-se à flor com perianto diferenciado em cálice e corola.

diclínico (diclynus). Diz-se da flor unissexuada.

Dicotomia (Dichotomia). Tipo de ramificação em que um eixo se bifurca.

dicotómico (dichotomus). Que sucessivamente se ramifica por dicotomia.

didinâmico (didynamus). Diz-se de quatro estames livres dispostos em dois pares, um mais longo do que o outro.

diferenciado. Que tem partes morfológica e funcionalmente diferentes.

Embrião diferenciado: o que se diferencia em radícula, caulículo e cotilédones.

Perianto diferenciado: o que é constituído por cálice e corola distintos.

difuso (diffusus). I – Com os ramos dispostos laxa e irregularmente divergindo do eixo em ângulo bastante aberto. II – Diz-se da coloração em que uma cor penetra através de outra.

digitado (digtíatus). Diz-se da folha composta cujos folíolos se inserem no ápice do pecíolo divergindo uns dos outros, divergindo como dedos numa mão aberta.

dilatado (dilatatus). Alargado; aumentando em largura ou diâmetro.

dimorfo (dimorphus). Que tem duas formas. = biforme.

dióico (dioecius; dioicus). Diz-se da planta ou taxon com flores unissexuadas, masculinas e femininas, em indivíduos diferentes.

díploclamídeo (diplochlamydeus). Diz-se da flor com perianto (v) formado por dois verticilos iguais ou diferenciados.

Diplóide (Diploideus). A fase do ciclo de vida ou o organismo cujas células têm 2n cromossomas.

disciforme (disciformis; discoidalis; discoideus). Em forma de disco (v).

Disco (Discus). I – Excrescência glandulosa em forma de disco ou anel localizada em algumas flores.

D. epigínico: o que está situado sobre o ovário.

D. hipogínico: o que está situado abaixo do ovário e tem origem no receptáculo.

D. perigínico: o que se localiza em torno do ovário.

II – Porção central do capítulo das Asteraceae (Compositae) constituída pelo conjunto das flores de corola tubulosa. III – Parte sólida do bolbo onde se inserem as escamas carnudas e cuja base emite numerosas raízes. = prato.

discóide (discoideus). I – Semelhante a um disco, ou seja, de contorno circular, achatado, mas com a margem mais espessa do que o centro. = disciforme. II – Capítulo das Asteraceae (Compositae) em que as corolas liguladas marginais estão ausentes ou são rudimentares, encontrando-se o disco reduzido às flores tubulosas.

discolor (discolor). De cores diversas, em geral duas. Aplica-se, especialmente, às folhas com dois tons diferentes nas duas faces e aos capítulos das Asteraceae (Compositae) cujas lígulas têm cor diferente da das flores do disco.

distal (distalis). Diz-se do ponto oposto ao da inserção.

dístico (distichus). Que se dispõe em duas filas opostas, de um e outro lado de um mesmo eixo.

diurno (diurnus). Diz-se da flor que abre apenas durante o dia.

divaricado (divaricatus). Que se insere num eixo segundo um ângulo muito aberto (± 90º). Aplica-se às ramificações de segunda ordem e seguintes.

divergente (divergens). Aproximado de outro em certa extensão afastando-se depois em direcção oposta.

Divisão (Divisio). Partes em que um todo se decompõe.

D. primárias: as que resultam de uma primeira partição.

D. secundárias: as resultantes da partição das primárias.

dobrada (plenus). I – Diz-se da flor que apresenta um número de pétalas muito superior ao normal. II – Diz-se do capítulo radiado em que todas as corolas do disco ou parte delas se transformam também em corolas liguladas.

dolabriforme (dolabriformis). Em forma semelhante a um machado, como algumas folhas carnudas, com uma das margens espessa e rectilínea e a outra delgada e em arco.

dormente (dormiens). Que se encontra em estado de vida latente, como algumas gemas que só emergem anos após a sua formação.

dorsal (dorsalis). Relativo ao dorso ou inserido no dorso.

Página dorsal ou face dorsal: a superfície que está mais afastada do eixo; nas folhas é a página inferior, externa ou abaxial.

Nervura dorsal: é a nervura longitudinal mediana ou principal, geralmente mais saliente na página inferior.

Deiscência dorsal: a da cápsula loculicida e que se efectua pela nervura mediana dos carpelos.

dorsifixo (dorsifixus). Diz-se da antera que se insere no filete pelo dorso.

dorsiventral (dorsiventralis). Que apresenta superfícies superior e inferior, nitidamente diversas, possuindo um só plano de simetria.

Dorso (Dorsum). À face inferior ou externa de um órgão.

Drepânio (Drepanium). Cimeira unípara helicóide, pouco enrolada, com os eixos das flores situados todos no mesmo plano. Também se designa por monocásio falciforme.

Drupa (Drupa). Fruto carnudo e indeiscente com uma (ou mais) semente(s), incluída(s) num só caroço lenhoso ou ósseo (ou cada semente em seu caroço independente).

drupáceo (drupaceus). Assemelhando-se a uma drupa.

duplicado- (duplicato-). Duas vezes. = duplamente. V. crenado, dentado.

duriúsculo (duriusculus). Um tanto duro.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

ebracteado (ebracteatus). Desprovido de bráctea(s).

efémero (ephemerus). Diz-se das flores que duram muito pouco, um dia ou menos.

Eixo (Axis). I - Estrutura ± alongada na qual se inserem com certa ordem elementos vários, como, por exemplo, o caule relativamente aos ramos, estes relativamente às folhas, a ráquis das folhas compostas relativamente aos folíolos, o pedúnculo de uma inflorescência relativamente aos pedicelos, etc.

E. primário, secundário, terciário: o de primeira ordem (ou principal), o de segunda ordem, o de terceira ordem, respectivamente.

II - Elemento imaginário - eixo de simetria - em volta do qual se dispõem as partes integrantes de um todo.

eglandular (eglandulosus). Desprovido de glândula(s).

Elater (Elater). Estrutura higroscópica ligada a uma célula, o conjunto contribuindo para a dispersão dos esporos nas plantas que não se reproduzem por semente. Cada uma das quatro bandas higroscópicas dos esporos da cavalinha (Equisetum spp.). Plural: elateres.

eligulado (eligulatus). Desprovido de lígula.

elipsóide (ellipsoideus). Com a forma do corpo sólido cujas secções longitudinais são elipses e as transversais círculos.

elíptico (ellipticus). Diz-se da estrutura plana, simétrica, oblonga, limitada por linhas curvas que estreita para as duas extremidades.

emarginado (emarginatus). Com um pequeno entalhe ou chanfro a meio do ápice.

Embrião (Embryo). Planta nos seus primeiros estados de desenvolvimento encontrando-se ainda no interior da semente.

Emergência. (Emergentia). Saliência à superfície dos órgãos, constituída pela epiderme e por tecidos subepidérmicos (ex. acúleos).

emerso (emersus). Diz-se dos órgãos das plantas aquáticas que não se encontram dentro mas fora de água.

encrespado (crispus). Com a margem (órgãos laminares) irregularmente recortada e densamente ondulado-plissada.

encurvado (incurvatus; incurvus). Dobrado sobre si próprio.

endémico (endemicus). Diz-se da planta ou taxon nativo exclusivamente de determinado local ou região.

Endemismo. Taxon endémico.

Endocarpo (Endocarpium). Parte interna do pericarpo, correspondente à epiderme interna, superior ou adaxial da folha (ou folhas) carpelar(es).

Endosperma (Endosperma). Tecido de reserva das sementes das gimnospérmicas formado anteriormente à fecundação e que constitui o gametófito feminino. Também se designa por endosperma primário; endosperma secundário é a designação menos correcta do albúmen (v) das Magnoliopsida.

enérveo (enervius; enervis). Que é aparentemente desprovido de nervura(s).

enrolado (convolutus). = convoluto.

enrugado (corrugatus). = corrugado.

ensiforme (ensiformis). Semelhante à lâmina de uma espada, ou seja, achatado, alongado, de margens agudas e paralelas em grande extensão, e terminando em ponta. Aplica-se particularmente a folhas.

entomófilo (entomophilus). Diz-se da flor polinizada por insectos.

Entrenó (Internodium). Porção do eixo compreendida entre dois nós consecutivos. = meritalo.

entunicado (tunicatus). V. bolbo entunicado.

Epicálice (Epicalix). Conjunto de bractéolas (ex. em Malvaceae) ou de estipulas (ex. em Fragaria e Potentilla), situadas na base do cálice ou próximo formando um invólucro independente ou parcialmente soldado àquele, sugerindo um segundo cálice. = calículo.

Epicarpo (Epicarpium). Tecido mais externo do pericarpo o qual corresponde à epiderme da página exterior, inferior ou abaxial da(s) folha(s) carpelar(es).

Epicólito (Epicotylum). Entrenó situado entre o(s) cotilédone(s) e a primeira folha.

Epiderme (Epidermis). Tecido primário de revestimento, formado, geralmente, por uma só camada de células.

Epífito (Epiphytum ). Planta que vive sobre outra não a parasitando.

epígeo (epigaeus). Que cresce sobre ou acima do solo.

epigínico (epigynicus; epigynus). I - Que se insere de facto sobre o ovário. II - Diz-se das peças florais (perianto e androceu) que parecem inserir-se sobre o ovário por estarem em parte fundidas com a parede deste, ou por o receptáculo estar fundifo com o ovário, elevando-se a inserção dos estames e pétalas ao nível do ápice do ovário ou acima deste.

epipétalo (epipetalus). Diz-se do estame ou estaminódio inserido sobre uma pétala. = opositipétalo. V alternipétalo.

epissépalo (episepalus). Diz-se do estame ou estaminódio inserido sobre uma sépala.

epitépalo (epitepalus). Diz-se do estame ou estaminódio inserido sobre uma tépala.

Episperma (Episperma). Tecido que reveste a semente, formado geralmente por duas camadas. = tegumento (v).

equifacial (aequifacialis). Laminar e com as duas faces iguais, como as folhas submersas de muitas plantas aquáticas.

equinado (echinatus). Coberto de espinhos rectos, rígidos e ± divergentes, assemelhando-se a um ouriço.

equinulado (echinulatus). Como equinado, mas com espinhos muito curtos.

equitante (equitans). I - Diz-se das folhas conduplicadas e dísticas em que a base de cada uma envolve a da imediatamente superior do lado oposto. II -Tipo de prefolheação em que cada folha, dobrada pela nervura mediana, envolve uma outra folha também assim dobrada.

erecto (erectus). Direito, vertical ou próximo da posição vertical a partir da base.

eroso (erosus). = roído.

Erva (herba). Planta geralmente de pequeno porte cujo caule, não ou pouco lenhificado, seca depois da frutificação. As ervas podem ser anuais, bienais, vivazes ou perenes.

escábrido (scabridus; scabriusculus). Ligeiramente escabro (v).

escabro (scaber). Áspero ao tacto devido à presença de pequenas saliências ou de pêlos muito curtos e ríjidos.

Escama (Squama). Formação laminar ou ± achatadas, ± estreitamente aplicada sobre uma superfície ou imbricadas, geralmente não verdes. Pode ser carnuda, escariosa, lenhosa.

escamiforme (squamiformis). Semelhante a escama.

Pêlos escamiformes: pêlos pluricelulares, laminares, paralelos à superfície do órgão sobre o qual se inserem mediante um pedículo por vezes muito curto.

escamoso (squamosus). I - Que tem escamas. II - Com indumento de pêlos escamiformes.

escamuloso (squamulosus). Provido de escamas muito pequenas (escâmulas).

escandente (scandens). = trepador.

escapiforme (scapiformis). Semelhante a um escapo (v).

Escapo (Scapus). Pedúnculo geralmente afilo, mas com brácteas ou escamas, terminando numa flor ou numa inflorescência, rodeado ou não na base por folhas, as quais, como ele, se originam num bolbo, cormo ou rizoma. = haste floral.

escarioso (scariosus). Membranáceo mas seco, um tanto firme e translúcido, geralmente corado mas não verde.

escorpióide (scorpioideus). V. cimeira escorpióide.

escrobiculado (scrobiculatus; scrobicularis). Com a superfície apresentando numerosas e pequenas depressões ou cavidades.

Escudo (Scutum). Parte externa e visível, ± desenvolvida, das escamas do cone (pinha) das Pinaceae.

esculento (esculentus). Que serve de alimento; alimentício.

esférico (sphaericus). V. globoso.

Espadice (Spadix). Espiga de eixo frequentemente espesso e carnudo e de flores geralmente unissexuadas e pouco vistosas, envolvida pela espata (v).

esparso (sparsus). Pouco denso.

Espata (Spatha). Bráctea grande frequentemente corada e vistosa ou par de brácteas que rodeiam algumas inflorescências.

espatáceo (spathaceus). Em forma de ou com o aspecto de espata.

espatulado (spathulatus). Em forma de espátula, ou seja, achatado, oblongo, arredondado no ápice e longamente atenuado para a base.

espiciforme (spiciformis; spicatus). Em forma de espiga (v), que se assemelha a uma espiga.

Espiga (Spica). I - Inflorescência indefinida simples, com as flores sésseis, geralmente inseridas sobre um eixo ± alongado. Designa-se também por espiga a inflorescência composta de algumas Poaceae (Gramineae) que, na verdade, é uma espiga de espiguetas. II - Conjunto dos esporângios de algumas Criptogâmicas vasculares, inseridos sobre um eixo longo. III - Conjunto dos esporófilos quando diferentes das outras folhas e localizados na extremidade do eixo. V. estróbilo.

Espigueta (Spicula). Inflorescência elementar das Cyperaceae e Poaceae (Gramineae); nestas últimas é constituída por duas (também uma ou três) brácteas estéreis (glumas) na base, um eixo (raquila) com número variável de nós inserindo-se disticamente uma flor em cada um; o perianto é reduzido a duas (por vezes três) lodículas (v) ou ausente; as flores são rodeadas geralmente por duas brácteas (glumela inferior ou lema e glumela superior ou pálea).

espinescente (spinescens). Com a extremidade transformada em espinho; que se transforma em espinho (v).

Espinho (Spina). Estrutura pontiaguda e rígida, resultante da modificação de um ramo, pecíolo ou estípula. Possui feixes vasculares ligados ao sistema condutor principal sendo, por essa razão, difícil de destacar, ao contrário dos acúleos.

espinhoso (spineus; spinifer; spinosus). Provido de espinhos.

espiniforme (spiniformis). Em forma de espinho.

Espínula (Spinula). Espinho pequeno ou formação com aspecto de espinho pequeno e delgado.

espinuloso (spinulosus). Que apresenta espínulas, às vezes microscópicas.

Espique (Truncus). Caule, geralmente cilíndrico e desprovido de ramos, terminando num tufo de grandes folhas, com feixes vasculares fechados numerosos e irregularmente dispostos (ex. em Arecaceae ou Palmae, palmeiras).

espontâneo (spontaneus). Diz-se da planta ou taxon que se encontra na sua região ou local de origem, desenvolvendo-se e propagando-se sem os cuidados humanos.

esporádico (sporadicus). Diz-se da planta dispersa, pouco comum.

Esporângio (Sporangium). Órgão onde se formam e estão contidos os esporos.

Esporão (Calcar). Prolongamento oco, cónico, cilíndrico ou saciforme, invertido e fechado no ápice que se encontra na base de pétalas ou de sépalas livres (ex. Aquilegia) ou de corolas simpétalas (ex. Linaria).

Esporo (Spora). Estrutura reprodutora globular, haplóide, geralmente unicelular, adaptada à dispersão, de cujo desenvolvimento resulta um gametófito.

esporoado (calcaratus). Que possui esporão.

Esporocarpo (Sporocarpium). Estrutura protectora das Marsiliaceae e Salviniaceae que contém um ou mais soros com esporângios.

Esporófilo (Sporophyllum). Folha ± modificada onde se diferenciam os esporângios.

Esporófito (Sporophytum). Corpo da planta com células vegetativas diplóides (num ciclo de vida com alternância de gerações).

Esporófita: fase diplóide das plantas que possuem alternância de gerações.

Esquizocarpo (Schizocarpium). Fruto seco, proveniente de 2-vários carpelos concrescentes que se separam na maturação formando 2-vários frutos parciais, monospérmicos, indeiscentes (mericarpos), designados, em alguns casos, por cocas.

Estame (Stamen). Órgão da flor onde se produz o pólen.

estaminado (staminatus; stamineus). Que possui estames mas não possui pistilo(s)ou carpelos.

estaminal (staminalis). Relativo ao(s) estame(s) ou ao androceu.

Estaminódio (Staminodium). Estame estéril ou estrutura com aspecto de estame, por vezes vistosa e petalóide.

Estandarte (Vexillum). Pétala superior (posterior) da corola papilionácea, geralmente maior do que as outras quatro.= vexilo.

Estatura (Statura). Altura da planta ou altura e envergadura. Não confundir com porte ou hábito.

estéril (sterilis). I - Que não se reproduz; que não produz semente. II - Órgão reprodutor que não desempenha a sua função habitual.

Flor estéril: a que não tem sexo por aborto dos órgãos sexuais.

Estame estéril: o que não produz pólen.

Lóculo (do ovário) estéril: aquele cujos óvulos abortaram.

Folha estéril das Pteridophyta: por oposição a folha fértil ou esporófilo, é aquela onde se não formam esporos.

Caule estéril das Equisetaceae: por oposição a caule fértil, é aquele onde não se formam estróbilos (v).

Estigma (Stigma). Parte terminal da folha carpelar ou pistilo, sobre a qual se fixa e germina o pólen. Pode ser séssil, quando se situa directamente sobre o ovário, ou não, encontrando-se, neste caso, no ápice do estilete.

estigmático (stigmaticus). Relativo ao estigma.

estigmatífero (siigmatifer). Que possui estigma(s).

Estilete (Stylus). Parte(s) ± delgada(s) do carpelo ou pistilo compreendida(s) entre o ovário e o(s) estigma(s).

Estilopódio (Stylopodium). Disco epigínico nectarífero, resultante do espessamento da base dos estiletes das Apiaceae (Umbelliferae) e persistente sobre os frutos.

estipitado (stipitatus). Provido de estípite (v).

Estípite(Stipes). Pedículo de alguns carpelos e frutos.

Estípula (Stipula). Apêndices, geralmente em número de dois, morfologicamente variáveis (estruturas laminares, glândulas, pêlos, espinhos, escamas), localizados em ambos os lados da base do limbo de uma folha séssil ou base do pecíolo das Rosaceae; comum também nas Fabaceae (Leguminosae), etc.

estipuláceo (slipulaceus). Semelhante a estípula(s).

estipulado (stipulatus; stipularis; stipulosus). Que tem estípulas.

estipuliforme (stipuliformis). Semelhante a estípula.

Estipúlula (Stipulula). Estípula de segunda ordem, situadas na base dos folíolos das folhas compostas ou recompostas.

Estivação (Aestivatio). = prefloração.

Estolho (Stolo). Ramo prostrado, longo, delgado, capaz de enraizar nos nós e originar outras plantas.

E. epígeo: provido de folhas verdes e desenvolvendo-se à superfície do solo.

E. hipógeo: com folhas rudimentares ou escamas e desenvolvendo-se abaixo da superfície do solo.

estolhoso (stolonifer). Que possui estolhos.

estoloniforme (stoloniformis). Semelhante a um estolho.

estrangulado (strangulatus). Contraído bruscamente entre duas partes alargadas.

Estrangulamento (Strangulatio; Isthmus). = istmo.

estrelado (stellatus). Com ramos ou partes irradiando de um centro, como os raios de uma estrela.

estrelado-puberulento: com indumento de pêlos estrelados minúsculos.

estrelado-tomentoso: coberto por tomento (v) de pêlos estrelados.

estriado (striatus). Provido de estrias, ou sejam, sulcos finos e superficiais, ± longos e paralelos entre si.

estrobiliforme (strobiliformis; strobilaceus; strobilinus). Em forma de estróbilo, como algumas inflorescências cujas brácteas imbricadas formam um conjunto semelhante a uma pinha ou cone.

Estróbilo (Strobilus). Estrutura reprodutora que consiste num conjunto de folhas modificadas (esporófilos) inseridas helicoidalmente ou em verticilos em torno da porção terminal de um eixo. Podem ser masculinos ou femininos conforme são constituídos por microsporófilos ou por macrosporófilos, ou mistos. Nos estróbilos de algumas Pinaceae, os macrosporófilos (escamas ovulíferas) encontram-se na axila de brácteas lenhosas ou coriáceas, quer livres, quer ± fundidas com eles. Os estróbilos das Coniferae são também designados cones (pinhas e gálbulas).

Estrofíolo (Strophiolum). Excrescência que se forma ao longo da rafe de algumas sementes.

exótico (exoticus). Diz-se da planta não nativa de uma região.

explosivo (explodens). Aplica-se às estruturas (frutos, anteras) que abrem bruscamente, expelindo o seu conteúdo com violência a alguma distância.

Exocarpo (Exocarpium). = epicarpo.

exserto (exsertus). Diz-se dos estames salientes do tubo da corola ou da corola saliente do cálice. Opõe-se a incluso (v).

extra-axilar (extra-axillaris). Que se não insere numa axila de folha ou bráctea. Opõe-se a axilar.

extra vaginal (extravaginalis). Que se desenvolve ou forma fora da bainha da folha, ou que não permanece envolvido por ela.

extrorso (extrorsus). Diz-se das anteras cujas fendas, válvulas ou poros de deiscência estão voltados para a parte exterior da flor.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Face (Pagina). = página ou superfície.

Fácies (Facies). Aspecto geral, forma externa.

falcado (falcatus). Estreito, ± achatado e encurvado como uma foice.

falciforme (falciformis). = falcado.

Falso-arilo (Pseudo-arillus). Excrescência constituindo invólucro acessório, parcial ou completo, de algumas sementes formado junto ao micrópilo. V. carúncula.

Falso-septo (Pseudoseptum). Divisória interna do ovário que não resulta da fusão das paredes dos carpelos (ex. nas Brassicaceae, Cruciferae).

Fanerófito (Phanerophytum). Forma biológica cujas gemas de renovação se encontram a mais de 25 cm do solo.

Fanerófito escandente. Planta trepadora sarmentosa cujo caule, lenhoso mas flexível, pode atingir muitos metros de comprimento. = liana, cipó.

farinhoso; farinoso; farináceo (farinosus; farinaceus). Coberto de pó branco com aspecto de farinha; semelhante a farinha.

-fário (-farius). Dispondo-se em filas.

bi- (2), tri- (3), quadri- (4), quinque- (5) ... multi- (muitos) fário. Que se encontram dispostos em duas, três, quatro, cinco... muitas filas.

fasciado (fasciatus). I – Que coalesce com partes contíguas ou próximas, originando estruturas teratológicas (anormais, com defeitos de conformação, monstruosidades) achatadas. II – Com largas faixas paralelas transversais de cores diferentes.

fasciculado (fasciculatus). Reunidos em feixe ou em grupo.

Folhas fasciculadas: as que se reúnem em grupos densos em ramos curtos e que muitas vezes se desenvolvem menos do que o normal.

Flores fasciculadas: as dispostas em cimeiras de eixos primários ± curtos parecendo agrupadas em feixes.

fastigiado (fastigiatus). Com os ramos rectos, inseridos em ângulo muito agudo com o eixo, formando um conjunto alongado e estreito.

Fauce (Fauces). Garganta, entrada do tubo cálice, da corola ou do perianto indiferenciado.

fecundado (fecundatus). Diz-se do óvulo que se fundiu com sucesso com o gâmeta masculino; que sofreu fecundação.

Feixe líbero-lenhoso. Feixe condutor fechado da estrutura primária das plantas constituído por células lenhosas (xilema) e liberinas (floema).

feminino (foemineus). Diz-se da célula sexual com grande quantidade de substância de reserva, susceptível de ser fecundada por uma célula reduzida, ou praticamente reduzida, ao núcleo;diz-se também da planta, flor ou outro órgão onde se forma(m) a(s) célula(s) feminina(s).

Flor feminina: a que possui carpelos e não tem estames.

Inflorescência ou planta feminina: a que só possui flores femininas.

fendido (fissus). Dividido até cerca de meio (do semilimbo se trata de folhas peninérveas).

bi- (2), tri- (3)... multifendido*: fendido em dois, três, muitos segmentos.

*= (auct.) -fido, usado em obras estrangeiras. Mas a bífido, trífido, etc associa-se a partição em segmentos mais estreitos e agudos do que a expressa por fendido, bifendido, etc.

fenestrado (fenestratus). Que apresenta a lâmina foliar com aberturas.

ferruginoso (ferrugineus). Cor de ferrugem.

fértil (fertilis). I – Diz-se da planta, ou parte desta, que contém ou produz elementos reprodutores capazes de originar novas plantas.

Flor fértil: a que produz fruto com sementes capazes de originar novas plantas.

Planta fértil: que tem flores férteis.

Folha fértil (das Pteridophyta); caule fértil (das Equisetaceae): respectivamente, a folha e caule onde se formam esporângios.

Antera fértil: a que produz pólen, por oposição a estaminódio (antera abortada ou estéril).

Lóculo fértil (do ovário): o que produz óvulos bem desenvolvidos.

Fibra (Fibra)*. Filamento alongado, ± resistente.

*Não no contexto anatómico.

Fibrilha (Fibrilla). Fibra muito delgada.

fibriloso (fibrillosus). Que tem fibrilhas (v).

fibroso (fibrosus). Que possui fibras ou é delgado e comprido como uma fibra.

-fido (-fidus). Dividido aproximadamente até meio. Usa-se em palavras compostas (V. fendido).

bí- (2), trí- (3)... multífido: dividido em dois, três, … muitos segmentos.

filamentoso (filamentosus). Delgado como um filamento ou formado por filamentos.

Filete (Filamentum). Parte do estame, muitas vezes delgada, que sustenta a antera.

filiforme (filiformis). Delgado e comprido como um fio.

Filocládio (Phyllocladium). Ramo curto, laminar, de crescimento limitado, provido de clorofila e que desempenha a função de folha (ex. Ruscus aculeatus).

Filódio (Phyllodium). Pecíolo alargado e achatado com aspecto de limbo foliar (o qual se encontra frequentemente abortado) que desempenha a função deste (ex. espécies de Acácia).

fimbriado (fimbriatus). Com uma franja formada pela divisão da zona marginal em segmentos filamentosos, muito finos e ± paralelos.

fistuloso (fistulosus). Cilíndrico e com uma cavidade central longitudinal, ± longa. Opõe-se a sólido (v).

flabelado (flabellatus). Em forma de leque.

flabelado-partido: diz-se do limbo foliar de contorno em forma de leque e dividido em segmentos estreitos quase até à base.

flabeliforme (flabelliformis). = flabelado.

flavescente (flavescens). Amarelado, que se torna amarelo.

flocoso (floccosus). Com indumento constituído por pêlos frouxos que formam glomérulos ou flocos irregulares, facilmente destacáveis.

Flor (Flos). Conjunto das estruturas reprodutoras das Magnoliopsida (estames, carpelos ou ambos, acompanhados ou não de perianto).

Floração (Florescentia). Período do ciclo de vida das Magnoliopsida que se estende desde a abertura das flores mais precoces até o murchar das mais tardias.

floral (floralis). Relativo a flor ou que tem flor(es).

florífero (florifer; floriger). Que produz flores.

-floro (-florus). Com flor(es). Usa-se em palavras compostas que dizem respeito à(s) flor(es).

uni- (1), bi- (2), tri- (3) ... pauci- (poucos), pluri- (vários), multi- (muitos) floro(s): com uma, duas, três ..., poucas, várias, muitas flores.

flutuante (fluitans). Diz-se da planta aquática ou partes de planta aquática, como folhas, flores, etc. que flutuam à superfície da água.

Folha (Folium). Órgão lateral de crescimento limitado que se insere no caule ou em ramos, geralmente laminar e provido de clorofila mas que pode apresentar-se ± modificado. V. nomofilo.

Folheação (Foliatio). Período em que aparecem as primeiras folhas numa planta vivaz ou perene e que é mais óbvio nas árvores e arbustos caducifólios (v).

Folheatura (Vernatio). = prefolheação, vernação.

folhoso (foliosus). Que tem ou produz folhas; revestido de folhas.

foliáceo (foliaceus). Semelhante a folha. Aplica-se a sépalas, lobos do cálice e brácteas com textura, forma e cor semelhantes a folhas.

foliar (foliaris). Próprio da folha, relativo à folha.

folicular (follicularis; folliculatus). Relativo a folículo (v) ou semelhante a folículo.

Folículo (Folliculus). Fruto seco, polispérmico, deiscente por uma fenda longitudinal correspondente à sutura ventral do carpelo único a partir do qual se desenvolve.

Folíolo (Foliolum). Cada um dos limbos parciais da folha composta ou recomposta.

-foliolado (-foliolatus). Com folíolos. Usa-se em palavras compostas.

uni- (1), bi- (2), tri- (3) ... etc. foliolado: folha composta com um, dois, três, etc. folíolos.

forquilhado (furcatus). Dividido em duas hastes terminais; como um forcado. = bifurcado.

foveolado (foveolatus). Que tem na superfície pequenas depressões ou pequenos orifícios orbiculares.

Fronde (Frons). I – Folha de feto. II – Corpo não diferenciado que produz as flores das Lemnaceae.

frutescente (frutescens). Que se torna arbustivo. V. sufrutescente.

fruticoso (fruticosus). = arbustivo.

frutículo (fruticulus). Pequeno arbusto.

frutífero (fructifer). Que produz fruto(s).

Fruto (Fructus). Estrutura das Magnoliopsida constituída pelo ovário ou grupo de ovários maduros contendo 1 ou mais sementes, juntamente com todos os tecidos adjacentes que com ele podem estar fundidos na maturação. Em muitas espécies o fruto é a estrutura que contribui em maior ou menor grau para a disseminação das sementes. Os frutos podem ter origem em tecidos muito diferentes sendo, por isso, difícil estabelecer uma nomenclatura que abranja todas as variantes.

Fruto múltiplo: Aquele formado numa só flor cujo ovário é apocárpico, cada um dos carpelo dando origem a um fruto independente (ex. Rubus, amora).

Infrutescência: Estrutura complexa que resulta do desenvolvimento de uma inflorescência quando ocorre a maturação dos frutos; envolve o próprio eixo da inflorescência e pedicelos, e até as bracteas (ex. infrutescência em cacho, em espiga, em capítulo e ainda casos como o figo e o ananás).

Falsos frutos; pseudocarpos (pseudocarpus): Na realidade infrutescências (ex. figo, ananás) ou estruturas que se assemelham a frutos mas que não se formam como consequência da fecundação de uma flor ou flores. Algumas gimnospérmicas como Taxus baccata (teixo) que possuem arilos carnudos e Juniperus (zimbro e outros) com cones carnudos parecem desenvolver frutos; contudo o termo “fruto” é aqui erradamente aplicado.

fugaz (fugax). Que cai muito rapidamente ou que dura muito pouco. Aplica-se particularmente a flores e corolas.

Funículo (Funiculus). Filamento que liga o óvulo ou a semente à placenta no interior do ovário.

furfuráceo (furfuraceus). Coberto de pequenas escamas irregulares, como farelo ou caspa.

fusiforme (fusiformis). ± em forma de fuso, ou seja, dilatado na parte mediana mas adelgaçando para ambas as extremidades e com secção transversal circular.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Gálbula (Galbulus). Estróbilo (v) ou cone modificado e globoso do género Cupressus (gimnospérmica), cujas escamas ovulíferas são peltadas (com o ápice alargado) e oposto-cruzadas separando-se na maturação.

Gálbula baciforme: gálbula do género Juniperus, pequena, globosa, indeiscente, com as escamas ovulíferas carnudas soldadas entre si.

Galha (Galla). Cecídia (v) de forma esférica ou quase, frequente em algumas espécies de Quercus, designada vulgarmente por bugalho.

Gametófito. Geração haplóide que produz células reprodutoras sexuadas (gâmetas).

gamófilo (gamophyllus). = sinfilo.

gamopétalo (gamopetalus). = simpétalo.

gamossépalo (gamosepalus). = sinsépalo.

gamotépalo (gamotepalus). = sintépalo.

Gavião (Caudex radicalis). Raiz principal, proveniente do crescimento da radícula do embrião nas plantas que se originam de sementes. = raiz mestra ou principal.

Gavinha (Cirrus; Cirrhus). Extremidade de folhas ou de ramos que se transformam em estruturas filamentosas capazes de se enrolar em hélice, podendo fixar as plantas a suportes.

gavinhoso (cirratus; cirrosus; cirrhosus). Que possui gavinha(s).

Gema (Gemma). Botão ou gomo foliar, ou seja, ramo e folhas associadas no estado embrionário formando uma estrutura ovóide, cónica ou subesférica frequentemente protegida por escamas. Quanto à localização as gemas podem ser axilares, terminais ou adventícias.

gemífero (gemmifer; gemmiparus). Provido de gema(s).

geminado (geminatus). Que se dispõe aos pares; que se encontra repetido duas vezes.

Gémula (Gemmula). Pequena gema terminal do caulículo do embrião.

geniculado (geniculatus; genuflexus). Dobrado bruscamente aproximadamente em ângulo recto. Aplica-se principalmente a caules, primeiro prostrados e depois erectos a partir de um dos nós inferiores; aplica-se também a aristas.

Geófito (Geophytum). Criptófito (v) cujas gemas de renovo se situam abaixo da superfície do solo localizando-se na raiz, no rizoma, no tubérculo ou no bolbo).

giboso (gibbosus; gibbus). Que possui uma saliência ou dilatação semelhante a um saco (ex. algumas corolas simpétalas).

Gineceu (Gynoecium). Conjunto dos carpelos (órgãos femininos da flor).

ginobásico (gynobasicus). Diz-se do estilete que (1) se insere na base do ovário, ou (2) parece inserir-se no receptáculo por entre os carpelos de um ovário apocárpico ou (3) atravessa o ovário, parecendo inserir-se no receptáculo em alguns ovários sincárpicos.

Ginóforo (Gynophorum). Porção alongada do eixo floral, compreendida entre o androceu e o gineceu e que ergue os carpelos.

Ginostémio (Gynostemium). Prolongamento colunar e unilateral do eixo das flores das Orchidaceae que se desenvolve por cima do ovário e em cuja porção anterior se inserem o(s) estame(s) e o estigma.

gipsícola (gypsicola). Diz-se das plantas e formações vegetais que crescem em solos ricos em gesso.

gipsófilo (gypsophilus). Plantas características dos solos ricos em gesso.

glabérrimo (glaberrimus). Superlativo que se emprega para acentuar a falta absoluta de pêlos.

glabrescente (glabrescens). Que se torna glabro (v), ou quase, com a maturação. Não confundir com subglabro, ou seja, com indumento de pêlos esparsos.

glabro (glaber). Desprovido de pêlos.

Glande (Glans). Fruto seco, indeiscente, monospérmico, com pericarpo coriáceo, ± envolvido por uma cúpula; provém de um ovário plurilocular cujos lóculos e óvulos, à excepção de um, abortam. É o fruto de Quercus (carvalhos).

Glândula (Gladula). Estrutura capaz de produzir uma secreção.

glandular (glandularis). Referente a glândula(s).

glanduloso (glandifer; glandulifer; glandulosus). Que possui glândula(s).

glaucescente (glaucescens). Que se torna glauco (v).

glauco (glaucus). De cor verde-cinzenta-azulada.

globoso (globosus). Diz-se do corpo sólido ± isodiamétrico.

Glomérulo (Glomerulus). Cimeira multiflora, muito contraída, frequentemente globosa (v) ou subglobosa.

Glomérulo frutífero. Infrutescência resultante da fusão dos frutos provenientes das flores de glomérulos floríferos.

Gluma (Gluma). I – Cada uma das brácteas férteis e estéreis da espigueta das Cyperaceae. II – Cada uma das brácteas estéreis da base da espigueta das Poaceae (Gramineae); geralmente duas, gluma inferior e gluma superior podendo ser 1 ou 3.

glumáceo (glumaceus). Que se assemelha a gluma.

Glumela (Glumella). Cada uma das peças bracteiformes ou escamiformes (geralmente duas), escariosas ou herbáceas, que envolve cada flor das Poaceae (Gramineae).

G. inferior: a glumela inserida inferiormente, 3-multinérvea, geralmente consistente, por vezes aristada ou mucronada. = lema.

G. superior: a glumela inserida superiormente, claramente 2-nérvea, hialina. = palea.

Glumélula (Glumelula). = lodícula (v).

glutinoso (glutinosus). Coberto com uma secreção pegajosa.

gomiloso. Em forma de jarro ou gomil, ou seja, com uma parte inferior alargada que estreita em colo, o qual alarga um pouco no ápice.

-gonal, -gono (-gonus). Que diz respeito aos ângulos de um objecto a três dimensões.

tri- (3), tetra (4), penta- (5), hexa- (6), etc. gonal, gono*: com três, quatro, cinco, seis, etc. ângulos.

*As palavras formadas com -gono são esdrúxulas.

graminiforme (graminiformis). Com aspecto de gramínea.

granuloso (granularia; granulatus; granulosus). Coberto de saliências muito pequenas, semelhantes a grânulos.

gregário (gregarius). Que vive em grupo com outros do mesmo tipo.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Habitat (Habitatio). Ambiente de crescimento de um organismo.

Hábito (Habitus). = porte.

Halófito (Halophytum). Planta própria de solos fisiologicamente secos, devido à grande concentração de sais (principalmente cloreto de sódio).

haploclamídeo (haplochlamydeus). Com perianto simples, formado por um só verticilo. = monoclamídeo.

haplóide (haploideus). Que tem n cromossomas.

hastado (hastatus). = alabardino.

Haustório (Haustorium). Órgão subterrâneo das plantas parasitas que penetra a raiz da planta hospedeira e através do qual é feita a absorção de nutrientes. = sugador.

Helicoidal (helic-). Disposição em espiral.

1. Mathematics. A three-dimensional curve that lies on a cylinder or cone, so that its angle to a plane perpendicular to the axis is constant.

2. A spiral form or structure.

hemicíclico (hemicyclicus). Diz-se da flor em que parte das peças florais se dispõe em verticilos, sendo a restante disposta em espiral.

Hemicriptófito (Hemicryptophytum). Forma biológica  em que as gemas de renovo se situam à superfície do solo; verifica-se em plantas bienais ou perenes cuja parte aérea morre anualmente).

hemiginobásico (hemigynobasicus ). Diz-se do estilete inserido um pouco acima da base do ovário.

Hemiparasita (Hemiparasitus). Planta que parasita outra, da qual extrai nutrientes através de haustórios (v), mas que não depende exclusivamente do hospedeiro visto possuir clorofila. = semiparasita.

herbáceo (herbaceus). De consistência não ou pouco lenhoso e verde.

hermafrodita (hermaphroditus; bisexualis). Diz-se da flor que possui estames e carpelos funcionais ou da planta que possui flores funcionais com ambos os sexos.

Hesperídio (Hesperidium). Fruto dos Citrinos (laranjeiras, limoeiros, etc.), resultante de um ovário súpero e sincárpico, com epicarpo delgado e colorido provido de bolsas secretoras de óleos essenciais, mesocarpo esponjoso esbranquiçado (formando, juntamente com o epicarpo, a porção vulgarmente designada por casca) e endocarpo membranoso (película que envolve os gomos), revestido na face interna por numerosos pêlos repletos de suco e que constituem a parte propriamente apetecível do fruto.

heterândrico (heterandrus). Que possui estames ou anteras diferentes umas das outras pela dimensão ou forma.

heterocárpico (heterocarpux). Que produz frutos de duas ou mais formas diferentes.

heterocíclico (heterocyclious). = heterómero.

heteroclamídeo (heterochlamydeus). Aplica-se à flor diploclamídea cujo perianto se distingue em cálice e corola.

heterofilo (heterophyllus). Que possui folhas com mais do que uma forma inseridas a níveis diferentes do caule.

heterogâmico (heterogamus). Aplica-se aos capítulos das Asteraceae (Compositae) cujas flores radiadas apresentam sexo diferente das do disco, femininas ou neutras as do raio e hermafroditas ou masculinas as do disco.

heterómero (heteromerus; heteromericus). Diz-se das flores cujos verticilos têm diferente número de peças. Opõe-se a isómero.

heteromorfo (heteromorphus). Que diverge da forma habitual; que tem órgãos cuja forma ou comprimento variam. V. polimorfo.

heterospérmico (heterospermus). Que possui sementes nitidamente diferentes no mesmo fruto ou em frutos diferentes do mesmo indivíduo.

heterospórico (heterosporus). Que possui esporos de tipo diferente.

Heterostilia (Heterostylia). Existência de estiletes de comprimentos diferentes em indivíduos da mesma espécie e estames de comprimento co-relacionado variando em dimensão e posição (por ex. em Primula vulgaris).

H. dimorfa: aquela em que há dois tipos de flores (brevistílicas e longistílicas).

H. trimorfa: aquela em que há três tipos de flores (brevi- , longi- e medistílicas).

heterostílico (heterostylus). Espécie ou flor em que se verifica a heterostilia (v).

hialino (hyalinus). Transparente e sem cor.

hibernante (hybernans). Diz-se da planta ou do órgão desta que passa a estação desfavorável em estado de vida latente retomando o desenvolvimento normal no período vegetativo seguinte.

Hidrocórico (hydrochorus). Planta cujo agente de disseminação é a água.

Hidrófito (Hydrophytum). Criptófito (v) cujas gemas de renovação estão submersas; planta aquática, parcial ou totalmente submersa.

hidrogâmico (hydrogamus). Planta cujo agente de transporte do pólen é a água.

Higrófito (Hygrophytum). Planta nativa de ambientes muito húmidos.

Hilo (Hilum). Região do óvulo ou da semente onde se insere o funículo ou, no caso dos óvulos sésseis, a região da sua inserção na placenta.

Hipocótilo (Hypocotylus). Porção de um embrião ou plântula situada entre os cotilédones e a radícula; é uma parte do caulículo (v).

hipocrateriforme (hypocrateriformis). = assalveada.

hipógeo (hypogaeus). Que está situado ou que se efectua debaixo do solo.

hipogínico (hypogynus). Diz-se da corola e dos estames que se inserem abaixo do gineceu.

Hipsofilo (Hypsophyllum). Bráctea de inflorescência ou folha reduzida ou modificada, situadas na porção terminal do caule na zona floral.

hirsuto (hirsutus). Coberto de pêlos um tanto compridos, um pouco rígidos mas flexíveis e patentes ou quase.

híspido (hispidus). Revestido de pêlos muito rígidos, quase picantes, patentes e não muito densos.

hispídulo (hispidulus). Com pêlos curtos e rígidos.

homocárpico (homocarpus). Com um só tipo de frutos. Opõe-se a heterocárpico (v).

homoclamídeo (homochlamydeus). Diz-se das flores diploclamídeas (v) em que os dois verticilos do perianto são iguais.

homofilo (homophyllus). Com todas as folhas ± da mesma forma. Opõe-se a heterofilo (v).

homogâmico (homogamus). I – Diz-se do capítulo das Asteraceae (Compositae) em que todas as flores são hermafroditas. II – Com todas as flores do mesmo sexo.

Homostilia (Homostylia). Existência de estiletes e estames de um só tipo no na mesma espécie. Opõe-se a heterostilia (v).

homostílico (homostylus). Espécie ou flor em que se manifesta homostilia.

hornotino ( hornotinus ). Que se desenvolveu ou formou no presente ano; que não completou um ano de duração.

hortense (hortensis). Que é criado em hortas ou jardins.

Hospedeiro (Hospes). Organismo parasitado por outro.

humícola (humicola). Que se desenvolve sobre húmus.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

imaculado (imaculatux). Sem manchas ou máculas. Opõe-se a maculado.

imberbe (imberbis). Desprovido de barbas, sedas ou franjas na margem.

imbricado (imbricatus). Diz-se de uma estrutura que simultaneamente sobrepõe e é sobreposta por outras semelhantes como as escamas dos peixes ou as telhas de um telhado, o seu conjunto revestindo completamente uma superfície.

imbricativa (imbricativus). I – Tipo de prefolheação ou prefloração em que os elementos estão imbricados (v).

imerso (immersus). Diz-se das estruturas completamente submersas ou da planta aquática completamente submersas.

imparipenatissecto (imparipinnatisectus ). Diz-se da folha penatissecta com os segmentos dispostos ± aos pares, sendo um terminal (ímpar).

imparipinulado (imparipinnatus). Que é pinulado, com os folíolos dispostos aos pares, sendo um terminal (ímpar).

impresso (impressus). Marcado em profundidade na superfície de um órgão, como algumas nervuras no limbo das folhas.

inciso (incisus). Com a margem um tanto profunda, irregular e agudamente recortada.

inciso-dentado: quando os dentes são perpendiculares à margem.

inciso-serrado: quando os dentes se orientam para o ápice do órgão.

incluso (inclusus). Não ultrapassando determinado nível. Opõe-se a exserto (v).

Estames e estigma inclusos: os que não são salientes do tubo da corola ou do perianto.

Corola inclusa: a que não é mais longa do que o cálice.

incompleto (incompletus). Diz-se da flor a que falta um ou dois verticilos do perianto.

inconspícuo (inconspicuus). Diz-se do órgão, estrutura, aspecto, etc. não óbvio.

incumbente (incumbens). Diz-se da radícula que, no embrião, se posiciona sobre o dorso de um cotilédone. Alternativa: acumbente (v).

indefinido (indefinitus). I – Em número elevado e variável.

Estames indefinidos: em número superior a 10 (ou 15-20) e variável.

II – Que tem crescimento contínuo.

Inflorescência indefinida: aquela em que as primeiras flores a atingir a maturação são as da base ou as da periferia (em aglomerado de flores); ex. racemos, paniculas, espigas, corimbos, umbelas, capítulos são inflorescências indefinidas.

indeiscente (indehiscens). Diz-se do fruto que não abre naturalmente.

indígena (indigenus). = autóctone e espontâneo.

indiviso (indivisus). Não dividido em lobos ou segmentos; a margem pode ser dentada, serrada ou crenada.

Indumento (Indumentum). Conjunto de pêlos, escamas ou glândulas que cobre a superfície dum órgão.

induplicativo (induplicatus). Tipo de prefloração em que as peças são conduplicadas, tendo as margens voltadas para o centro da flor e contactando pelas faces externas, sem que haja enrolamento.

Indúsio (indusium). Formação laminar que cobre os soros de muitos fetos.

inequilátero (inacquilaterus; inacquilateralis). Diz-se das folhas assimétricas, ou seja, aquelas cujos dois lados da nervura mediana são muito desiguais.

inerme (inermis). Destituído de quaisquer estruturas picantes como espinhos, acúleos, etc.

inferior (inferior). Diz-se de um órgão ou parte de órgão inserido abaixo de outro; na flor aparenta estar mais afastada do eixo relativamente a este.

Lábio inferior do cálice ou da corola: o que fica voltado para baixo ou para a frente quando a bráctea ou a folha axilar está dirigida para o observador. = lábio anterior.

Página ou face inferior da folha: aquela que fica voltada para o exterior quando a folha se aplica de encontro ao caule ou ramo. = página abaxial ou dorsal.

ínfero (inferus). Diz-se do ovário fundido com o receptáculo ou com o tubo do cálice de modo que as restantes peças florais (epigínicas) aparentam inserir-se sobre ele ou acima dele.

inflado (inflatus). Assemelhando-se a um pequeno balão oco com parede delgada, membranosa, um pouco transparente.

inflectido (inflexus). Curvado bruscamente para dentro.

Inflorescência (Inflorescentia). Disposição em grupo das flores numa planta. Aplica-se às flores, em número superior a um, que se inserem sobre um mesmo pedúnculo.

I. definida: V. cimeira.

I. indefinida: V. indefinido (II).

infra- (infra-). Inserido abaixo de ou na face inferior (abaxial).

infra-axilar (infra-axillaris). Inserido por baixo da axila.

infra-estaminal (infrastaminalis). Inserido abaixo dos estames (aparenta estar colocado por fora destes).

Infrutescência (infrutescentia). Conjunto dos frutos provenientes de uma inflorescência (ex. infrutescência em cacho, em espiga, em capítulo). V. sícone e sorose.

infundibuliforme (infundibuliformis; infundibularis). = afunilado.

Inovação (Innovatio). Rebento basilar que renova uma planta herbácea vivaz.

insectívora (insectivorus). Diz-se da planta que aprisiona pequenos insectos, de que em parte se nutre.

Inserção (Insertio). Modo ou local em que os órgãos se ligam ao seu suporte.

inteiro (integer). Com a margem não recortada.

intercostal (intercostalis). Situado no espaço ou sulco compreendido entre duas costas consecutivas do caule ou de outros órgãos. V. valécula.

interfloral (interfloralis). Inserido entre as flores. Aplica-se, particularmente, a brácteas (escamas) do receptáculo de capítulos.

Internérvio (Internervium). Porção do parênquima situada entre as nervuras. = intervénio.

interpeciolar (interpetiolaris). Situado entre o pecíolo e o eixo onde se insere a folha.

interrompido (interruptus). Não contínuo; sequência de partes em que algumas se encontram mais afastadas.

Espiga interrompida: aquela cujo eixo não apresenta flores em parte do seu comprimento.

Folha interrompidamente penatissecta: a folha penatissecta a que faltam alguns segmentos ou com alguns segmentos muito menores do que os normais.

Intervénio (Intervenium). = internérvio.

intrafloral (intrafloralis). Situado no interior da flor.

intrastaminal (intratlaminalis). Situado entre o androceu e o centro da flor, como o disco intrastaminal.

intravaginal (intravaginalis). Que se encontra ou se produz no interior da bainha da folha.

intricado (intricatus). Emaranhado; com muitos filamentos ou muito ramificado e com as ramificações entrelaçadas.

introduzido (introductus). Diz-se da planta que não cresce naturalmente numa região tendo sido para aí levada. = sinantrópico.

introrso (introrsus). I – Diz-se da antera cuja deiscência se dá para o centro da flor. II – Que está voltado para o eixo.

Invaginação (Invaginatio). Prolongamento para o interior em forma de dedo de luva ou estreito como a bainha de uma espada.

invaginante (vaginans). Envolvente; que possui base dilatada envolvendo o eixo como uma bainha.

Involucelo (Involucellum). Conjunto das brácteas das umbélulas das Apiaceae (Umbelliferae).

involucrado (involucratus). Provido de invólucro.

involucral (involucralis). Próprio do ou relativo ao invólucro.

Invólucro (involucrum). Conjunto de brácteas, livres ou aderentes, que se inserem na base de flores ou inflorescências rodeando-as.

involutivo (involutivus). Tipo de vernação em que as duas metades do limbo se encontram enroladas sobre a face superior.

involuto (involutus). Com as margens enroladas longitudinalmente sobre a página superior. Opõe-se a revoluto (v).

irregular (irregularis). I – Sem plano de simetria ou apenas um. II – Não regular.

Irregularmente dentado ou serrado: com a margem recortada (dentada ou serrada) em dentes desiguais.

isómero (isomerus). Que possui um verticilo floral com número de peças igual ao de outro ou de outros. Opõe-se a heterómero.

isospórico (isosporus). Que possui um só tipo de esporos.

Istmo (Isthmus). Porção estreita de um órgão alongado (geralmente fruto) situada entre duas partes dilatadas consecutivas (correspondentes às sementes). = estrangulamento.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario


-jugo (-jugus; -jugatus). Que se dispõe aos pares. Usa-se em palavras compostas que indicam o número de pares de folíolos de uma folha composta pinulada.

uni- (1), bi- (2), tri- (3), ... multi- (muitos) jugo: com um, dois, três... muitos pares de folíolos.

junciforme (junciformis; junceus). Que é semelhante a folhas de junco, ou seja, longo, cilíndrico, flexível, oco e verde.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Labelo (Labellum). I – Tépala mediana posterior do perianto das Orchidaceae a qual, por torção do eixo floral, se apresenta em posição anterior; geralmente apresenta forma, dimensões e, muitas vezes, cor diferentes das outras tépalas. II – Raramente aplicado ao estaminódio petalóide maior do que os outros e dirigido de ordinário para baixo (Scitamineae).

labiado (labiatus). Diz-se do cálice ou da corola sinfilos (v) (com as peças ± fundidas) com o limbo profundamente dividido em duas porções ou lábios (bilabiado ou 2-labiado), de dimensões iguais ou diferentes, podendo um dos lábios ser abortado (unilabiado ou 1-labiado). Os dois lábios podem ser inteiros ou lobulados.

Lábio (Labium). Cada uma das duas partes do cálice ou da corola labiada.

lacerado (laceratus). Com a margem irregularmente recortada em pequenas porções, como que rasgada.

Lacínia (Lacinia). Segmento longo, estreito e pontiagudo da margem de alguns órgãos.

laciniado (laciniatus). Dividido em lacínias.

Lacuna (Lacuna). Espaço intercelular relativamente grande e irregular.

lacunoso (lacunosus). Provido de lacunas.

ladanífero (ladanifer). Que possui ou produz ládano (exsudação resinosa e aromática).

lageniforme (lageniformis). Em forma de garrafa bojuda ou de cabaça.

Lamela (Lamella). Lâmina pequena e muito delgada.

lamelar (lamellaris). Semelhante a lamela ou relativo a lamela.

lameliforme (lamelliformis). Em forma de lamela.

lameloso (lamellosus). Composto de lamelas ou disposto em camadas de finas lâminas.

Lâmina (Lamina). A parte dilatada das folhas, das pétalas ou das tépalas. = limbo.

lanceolado (lanceolatus). Em forma de ponta de lança. Aplica-se a órgãos laminares com o comprimento cerca de três vezes a largura, que estreitam para ambos as extremidades agudas ou subagudas; a localização da maior largura é controversa: a meio para Lineu (como em Plantago lanceolata), abaixo do meio na literatura botânica anglo-saxónica (Bentham, A. Gray). O termo é aqui utilizado na acepção anglo-saxónica; na acepção de Lineu deverá hoje utilizar-se o termo elíptico.

lanoso (lanatus). Coberto de pêlos longos e crespos, semelhantes a lã de carneiro. Aplica-se também ao indumento formado por pêlos desse tipo e aos próprios pêlos.

lanuginoso (lanuginosus). Coberto de pêlos crespos e macios mas pouco longos.

-lateral (-lateralis). Que se insere no lado de um órgão.

unilateral: diz-se do caule ou da inflorescência com, respectivamente, todos os ramos ou flores inseridos no mesmo lado do eixo.

plurilateral: com os ramos ou flores inseridos em vários lados do eixo.

Látex (Latex). Secreção de aspecto geralmente leitoso podendo também ser amarela, alaranjada ou vermelha.

laticífero (laticifer; latescens). Que produz látex, que contém látex.

laxifloro (laxiflorus). Com as flores afastadas umas das outras.

laxo (laxus). Pouco denso; com os elementos constituintes afastados uns dos outros.

leitoso (lacteus; lactaneus; lactineus). Da cor do leite (branco com um tom levemente azulado).

Lema (Lemma). Glumela inferior das flores das Poaceae (Gramineae).

Lenho (Lignum). Parte endurecida e resistente do tronco e ramos das gimnospérmicas e Magnoliidae (dicotilidóneas) arbóreas e arbustivas, situada internamente ao câmbio; corresponde ao xilema secundário e é constituída por fibras de celulose (40-50%) e hemicelulose (15-25%) ligadas por linhina (15-30%). O lenho é cortado e seco e utilizado em construção e como combustível.

lenhoso (lignosus). Que pertence ao lenho ou está lenhificado; que tem a consistência da madeira.

Lenticela (Lenticella). = lentícula.

lenticelado (lenticellatus). = lenticulado.

Lentícula (Lenticula). Saliência esponjosa, circular, oval ou alongada, no tecido suberoso das raízes, caules, ramos e até frutos (ex. maçã, pêra) que permite trocas gasosas entre o interior e o exterior das plantas vasculares que desenvolvem peridermes espessas; formam-se geralmente associadas a estomas. = lenticela.

lenticulado (lenticellatus). Que tem lentículas ou lenticelas.

lenticular (lenticularis; lentiformis). Em forma de lente biconvexa.

lepídoto (lepidotus). Coberto de pêlos escamosos.

Liana: V. fanerófito escandente.

Líber (Liber). Tecido vascular constituído essencialmente por elementos crivados, células parenquimatosas, fibras e esclerídeos. = floema.

líbero-lenhoso. Diz-se dos feixes vasculares constuídos internamente por xilema e externamente por floema separados por câmbio.

Lígula (Ligula). I – Excrescência geralmente membranosa, situada na superfície interna (adaxial) das folhas de algumas plantas, principalmente Poaceae (Gramineae), na união da bainha com o limbo. II – Nas Selaginellaceae e Isoetaceae, apêndice membranoso que se encontra na base da folha. III – Corola da periferia dos capítulos radiados das Asteraceae (Compositae). = corola ligulada.

ligulado (ligulatus). I – Provido de lígula. II – Em forma de lígula, ou seja, de pequena língua.

Corola ligulada: com lábio extremamente alongado ou liguliforme. Na realidade, trata-se de uma corola simpétala, zigomórfica com tubo muito curto, lábio superior ausente e inferior extremamente desenvolvido.

liguliforme (liguliformis). Em forma de lígula.

Limbo (Limbus). I – Parte distal geralmente laminar e verde da folha. II – Parte alargada, laminar das pétalas ou tépalas, acima da unha (v). III – A parte livre da corola, cálice ou perianto sinfilos (v), ligada ao tubo na fauce (v).

linear (linearis). Estreito e comprido (comprimento 6-12 ou mais vezes a largura), com as margens paralelas ou quase.

linguiforme (linguiformis; lingulatus). Longo, plano-convexo, carnudo e com a extremidade arredondada; em forma de língua.

lirado (lyratus). Diz-se das folhas ± divididas, com o segmento terminal arredondado e muito maior do que os laterais, os quais diminuem gradualmente de dimensões na direcção da base da folha.

liso (laevis). De superfície regular, sem rugosidades ou esculturas.

Lista; Listra. Linha estreita e comprida, diferindo da cor principal do órgão em que se encontra.

listado; listrado (vittatus). Que tem listas ou listras. = raiado (v).

lívido (lividus). Cor em que se junta o cinzento, azul e esverdeado-amarelado pálido.

livre (liber). Não unido com outro(s).

Estames livres: aqueles que não estão ligados nem pelos filetes nem pelas anteras.

Ovário livre: ovário súpero, não aderente às outras peças florais.

Carpelos livres (carpelos apocárpicos): os que, embora pertencendo à mesma flor, são independentes uns dos outros. Por oposição a carpelos cujas paredes estão fundidas (carpelos sincárpicos, v).

lobado (lobatus). Que está dividido em lobos, ou seja, partições que não atingem o meio do limbo (ou do semilimbo se se trata de folha peninérvea).

bi- (2), tri- (3), quadri- (4) ... pauci- (poucos), multi- (muitos) lobado: com dois, três, quatro... poucos, muitos lobos.

Lobo (Lobus). Porção de limbo, larga e geralmente arredondada, compreendida entre incisões que não alcançam o meio do limbo (ou do semilimbo se se trata de folha peninérvea).

lobulado (lobulatus). Que está dividido em lóbulos.

Lóbulo (Lobulus). Pequeno lobo.

-locular (-locularis). Com lóculo(s). Aplica-se a ovários, cápsulas ou anteras.

uni- (1), bi- (2), tri- (3), .... multi- (muitos) locular: com um, dois, três..., muitos lóculos.

loculicida (loculicidus). V. cápsula.

Lóculo (Loculus). Cavidade ou compartimento de alguns órgãos (ovários, cápsulas e anteras).

Lodícula (Lodicula). Cada uma das 2-3 peças escamiformes que constituem o perianto transformado e muito reduzido nas Poaceae (Gramineae), inseridas sob o ovário, opostas à glumela superior e aos estames.

lomentáceo (lomentaceus). Relativo a lomento (v) ou parecido com ele.

Lomento (Lomentum). Vagem indeiscente e articulada que, na maturação, se separa pelas articulações em porções monospérmicas.

longistílico (longistylus). Aplica-se às flores das espécies heterostílicas (v) que possuem estilete bem longo e estames com anteras posicionadas inferiormente ao estigma, quer pelo comprimento reduzido dos filetes quer pela sua inserção num ponto inferior.

lunular (lunularis). Em forma de crescente lunar.

lustroso (lucidus). Que tem a superfície lisa e lustrosa, quer glabra, quer coberta de pêlos densos e aplicados (acetinados).

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Macrofanerófito (Macrophanerophytum). Fanerófito com mais de 2 m de altura (V. nanofanerófito, mesofanerófito e megafanerófito).

Macroprotalo (Macroprothallus). Protalo que, nas plantas heterospóricas, se forma a partir dos macrósporos e no qual se desenvolvem os arquegónios. = protalo feminino.

Macrosporângio (Macrosporangium). Esporângio que produz macrósporos.

Macrósporo (Macrospora). Esporos de maiores dimensões que se desenvolvem em protalos femininos (onde só se formam arquegónios), designados macroprotalos.

Macrosporófilo (Macrosporophyllum). Esporófilo que produz macrosporângios.

Mácula (Macula). Mancha de color diferente, geralmente mais escura do que a parte restante. Podem ser únicas num órgão (como na base das pétalas de algumas flores), ou múltiplas, neste caso em número geralmente reduzido.

maculado (maculatus). Provido de máculas ou manchas.

maduro (maturus). Aplica-se aos órgão quando atingem o seu máximo desenvolvimento.

magenta (magenteus). Cor vermelha-púrpura.

majúsculo (majusculus). Relativamente grande.

malacófilo (malachophilus). Diz-se da planta que é polinizada por moluscos (geralmente lesmas ou caracóis).

maliforme (maliformis). Em forma de maçã.

mamiforme (mammiformis). Em forma de mama ou teta.

Mamilo (Mamilla). Proeminência ou papila em forma de bico de peito ou de teta.

mamiloso (mamillatus). Provido de mamilo(s).

marcescente (marcescens). Que seca ou murcha sem se desprender do eixo como algumas folhas, cálices ou corolas.

Margem (Margo). Contorno ou bordo dos órgãos laminares ou comprimidos.

marginado (marginatus). Limitado por uma margem de constituição, cor ou espessura diferentes das do órgão circundado.

marginal (marginalis). Situado perto da ou sobre a margem.

Nervura marginal: a que percorre o limbo junto à margem.

Placentação marginal: aquela localizada na margem da folha carpelar.

marmoreado (marmoratus). Com manchas e veios de cores diferentes que se interpenetram dando o aspecto de mármore.

mascarino (personatus). = personado.

masculino (mas; masculus; masculinus). I – Diz-se dos órgãos ou a planta onde se formam as células reprodutoras masculinas. II – Diz-se da célula sexual de pequenas dimensões, móvel ou não, reduzida exclusivamente, ou quase, ao núcleo.

Flor masculina: a que tem estames mas não tem carpelos ou estes são rudimentares e não funcionais.

Planta masculina: a que tem só flores masculinas.

Inflorescência masculina: a que, numa planta dióica ou monóica, tem as flores todas masculinas.

Maturação (Maturitas). Período durante o qual órgãos estão totalmente formados.

matutino (matutinus). Diz-se das flores que se abrem ao romper do dia ou durante a manhã. Opõe-se a vespertino (v).

mediano (medianus). I – Que se situa entre duas partes iguais, que pertence ao meio. II – De dimensões nem muito grande nem muito pequeno; neste sentido é um termo impreciso e deve ser evitado.

mediterrâneo; mediterrânico (mediterraneus). I – Aplica-se à zona geográfica que circunda o mar Mediterrâneo. II – Diz-se da vegetação característica da zona que circunda o mar Mediterrâneo bem como da vegetação com adaptações semelhantes que se encontra em outros pontos do planeta com clima semelhante: Califórnia, zona costeira do Chile, sul da África e Sudoeste da Austrália.

Medula (Medulla). Parênquima que ocupa a parte interna do cilindro central do caule da maioria das Magnoliopsida (Angiospérmicas).

medular (medullaris). Relativo a medula.

meduloso (medullosus). Diz-se do caule e ramos com medula esponjosa como no sabugueiro (Sambucus).

Megafanerófito (Megaphanerophytum). Fanerófito com gemas de renovo a mais de 30 m do solo. As grandes árvores incluem-se nesta categoria.

membranáceo (membranaceus). Semelhante a uma membrana, ou seja, muito delgado e ± flexível.

Mericarpo (Mericarpium). Cada uma das partes (monospérmicas e indeiscentes) em que se divide um fruto esquizocárpico (v), cada uma correspondente a um só carpelo.

Meristema (Meristema). Tecido indiferenciado, constituído por células que se dividem por mitose a uma taxa elevada e do qual resultam os tecidos definitivos.

meristemático. Pertencente ou relativo ao meristema.

Meritalo (Merithallus). V. entrenó.

-mero (-merus). Sufixo que se adiciona a numerais para significar as partes em que se divide ou decompõe um todo, ou o número de peças que o constituem.

- (2), trí- (3), tetrâ- (4), pentâ- (5), hexâ- (6) …mero: dividido em ou com uma, duas, três, quatro, cinco, seis... partes ou peças.

Mesocarpo (Mesocarpium): Tecido do fruto que corresponde à camada mediana do pericarpo, compreendido entre a epiderme (ou epicarpo) e a porção mais interna (endocarpo); um fruto com esta estrutura desenvolve-se a partir do(s) carpelo(s) ou folha(s) carpelar(es) correspondendo, então, o mesocarpo ao mesofilo da folha transformada.

Mesofanerófito (Mesophanerophytum). Fanerófito com as gemas de renovo 8-30 m acima do solo. São árvores de porte mediano.

Mesófito (Mesophytum). Planta que requere condições intermédias de humidade.

mesostílico (mesostylus). V. medistílico.

Micorriza (Mycorrhiza). Simbiose entre o micélio de alguns fungos e as raízes de muitas plantas.

Microfanerófito (Microphanerophytum). Fanerófito com gemas de renovo situadas a 2-8 m do solo. Nesta categoria, incluem-se os grandes arbustos e as pequenas árvores.

micropilar. Pertencente ou relativo ao micrópilo.

Micrópilo (Micropyle). Abertura do óvulo através do(s) tegumento(s).

Microprotalo (Microprothallus). Protalo que se desenvolve a partir de um micrósporo e no qual se formam os anterídeos.

Microsporângio (Microsporangium). Esporângio onde se formam os micrósporos (v).

Micrósporo (Microspora). Esporo de tamanho menor relativamente ao macrósporo e que origina um protalo masculino ou microprotalo (v) onde se desenvolvem anterídeos.

Microsporófilo (Microsporophyllum). Esporófilo (v) que produz microsporângios.

monadelfos. V. -adelfos.

moniliforme (moniliformis). Em forma de colar ou rosário, ou seja, com saliências subglobosas ou elipsóides que alternam regularmente com estrangulamentos acentuados.

mono- (mon-; mono-). Um(a), com um(a). Prefixo de termos de origem grega que indica que qualquer orgão ou parte são únicos.

monocárpico (monocarpus; monocarpicus: monocarpacus). I – Diz-se do fruto simples, resultante de um ovário unicarpelar. II – Diz-se das plantas perenes que só florescem e produzem fruto uma vez, morrendo em seguida (ex. Agave).

Monocásio (Monochasium). = cimeira unípara (v).

monocéfalo. V. -céfalo.

monocíclico (monocyclicus). I – Diz-se da flor que possui apenas um verticilo de peças reprodutoras, estames ou carpelos, sendo destituída de perianto. II – Que vive apenas durante um ciclo vegetativo. = anual.

monoclamídeo (monochlamydeus). Que possui perianto de um só verticilo (cálice ou corola).

monoclínico (monoclinus). Diz-se da flor que reúne os dois sexos. Opõe-se a diclínico.

monóico (monoccius; monoicus). Diz-se do taxon com flores unissexuadas, masculinas e femininas, no mesmo indivíduo.

monopodial (monopodialis). Próprio ou relativo ao monopódio.

Monopódio (Monopodium). Eixo principal de uma planta, provido ou não de ramos.

monospérmico. V. -spérmico.

monotípico (monotypicus). Diz-se do género composto unicamente por uma espécie. O termo aplica-se também a outras categorias taxonómicas (ex. família com um só género).

Monstruosidade. I – Deformação ou desenvolvimento anormal de uma planta ou de um órgão; quando se refere aos indivíduos de uma espécie designa-se por lusus.

montano (montanus). Diz-se das plantas que vivem nas montanhas, abaixo da zona subalpina.

montícola (monticola). = montano.

mucilaginoso (mucilaginosus; mucosus). Que possui mucilagem ou que é formado por ela.

Mucrão (Mucro). Ponta curta, aguda e rígida, ocupando posição terminal ou subterminal.

mucronado (mucronatus). Que tem mucrão.

mucroniforme (mucroniformis). Semelhante a mucrão.

mucronulado (mucronulatus). Com pequeníssimo mucrão.

multi- (mult-; multi- ). Prefixo de origem latina que se emprega na composição de muitas palavras para significar que um órgão, disposição, etc. se encontram repetidos muitas vezes.

multicaule (multicaulis). Diz-se das plantas que se ramificam junto à base, produzindo vários caules, sensivelmente da mesma espessura e altura; ou das plantas cujo rizoma emite vários caules aéreos semelhantes em altura, espessura, etc.

multífido. V. -fido.

multípara. V. cimeira multípara.

multipartido. V. -partido.

múltiplo. Diz-se do fruto que resulta de um ovário apocárpico, ou seja, conjunto de frutos monocárpicos, independentes, inseridos no mesmo receptáculo. V. apocarpo.

muricado (muricatus). Coberto de saliências curtas, agudas e duras.

Mutação (Mutatio). Alteração estrutural, permanente, súbita e hereditária do DNA.

Mutante. Indivíduo ou forma apresentando um carácter resultante de mutação.

mútico (muticus). Sem mucrão nem arista.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

-nados (-nati). Inseridos no mesmo nó.

bi- (2), ter- (3) ...: com dois, três... no mesmo nó.

Nanofanerófito (Nanophanerophytum). Fanerófito cujas gemas de renovo se encontram 0,25-2,00 m acima do solo. Incluem-se nesta forma biológica os subarbustos e os pequenos arbustos.

napiforme (napiformis). Em forma de nabo, de cúpula árabe invertida. Aplica-se a raízes tuberculosas.

nativo (nativus). Natural, próprio da região em que vive. = autóctone, indígena, espontâneo.

naturalizado (inquilinus). V. subespontâneo.

Naveta (Carina). = quilha.

navicular (navicularis). Que tem forma semelhante à quilha de um barco.

Néctar (Nectar). Líquido rico em hidratos de carbono (açucares: sucrose, glucose e frutose) podendo conter também amino ácidos, nectarina I (proteína), compostos fenólicos, flavonoides, alcalóides, terpenos, ácidos orgânicos, glicósidos, vitaminas e óleos. É produzido em (1) glândulas (nectários, v) localizadas na flor constituindo atracção para animais polinizadores (insectos, aves, morcegos e outros), constituindo o principal componente do mel das abelhas; ou, mais raramente, em (2) locais vários da planta atraindo insectos que se alimentam de néctar e outros insectos, funcionando como agentes de “limpeza”.

nectarífero (nectarifer; nectareus). Que possui néctar ou o segrega.

Nectário (Nectarium). Órgão onde é segregado e se acumula o néctar e que pode estar localizado na flor – nectário floral (no cálice, tépalas, pétalas, estames, carpelos, receptáculo) – ou não – nectário extrafloral (ex. em estípulas).

neotropical. Zona florística que compreende as zonas tropicais e subtropicais das Américas (Novo Mundo). V. paleotropical.

Nervação (Nervatio). Forma como se dispõem as nervuras das folhas.

-nérveo (-nervius; nervis). Com nervura(s). I - Precedido de um numeral ou adjectivo indefinido, indica o número de nervuras principais.

uni- (1), bi- (2), tri- (3) ... pluri- (várias), multi- (muitas) nérveo(s): com uma, duas, três ... várias, muitas nervuras longitudinais.

II – Precedido.de um qualificativo, refere o modo como se dispõem as nervuras (ex. palminérveo, v ).

nervoso (nervosus; nervatus). Com as nervuras muito ramificadas e bastante visíveis. = venoso.

Nérvulo (Nervulus; Nervilus). Últimas ramificações, muito ténues, das nervuras. = vénula.

nervuloso. Com nervuras delgadas e aparentes.

Nervura (nervus). Estrutura composta por elementos condutores e mecânicos existente no limbo foliar ou em outros órgãos de natureza foliar, geralmente bem distinta e, por vezes, muito saliente, principalmente na página inferior.

N. dorsal, média, mediana, principal ou central: a que ocupa posição mediana; é, geralmente, a maior e mais saliente encontrando-se no prolongamento de um feixe líbero-lenhoso do pecíolo ou do peciolulo.

N. longitudinais: as que se originam na base do limbo; nas folhas paralelinérvias, a mediana pode ser pouco distinta.

N. secundárias: as que se inserem na nervura mediana ou nas nervuras longitudinais, sendo, portanto, ramificações destas.

N. marginal: v. marginal.

neutro (neuter). Sem sexo devido a aborto ou atrofia dos estames e dos carpelos e, por conseguinte, estéril.

Nicho ecológico. Local e/ou função de um dado organismo no seu ecosystema (ex.: numa floresta pode existir o nicho ecológico para uma planta de grande porte que necessite de poucos nutrientes; este nicho pode ser ocupado por um pineiro bravo)

nictitrópico (nyctitropus). Diz-se de movimentos provocados pela alternância da acção conjunta do dia e da noite (luz e escuro) sobre alguns órgãos.

nítido (nitidus; nitens). Liso, sem pêlos nem glândulas, e brilhante.

nitrófilo (nitrophilus). Diz-se das plantas que requerem solo rico em matéria orgânica, especialmente substâncias azotadas.

(Nodus). Região do caule, ramo ou eixo da inflorescência onde se insere uma folha ou folha transformada (bráctea, sépala, pétala, estame, carpelo) ou mais do que uma simultaneamente.

noctifloro (noctiflorus). Que possui flores que abrem à noite e fecham de manhã.

nocturno (nocturnus). I – Que ocorre durante a noite, como a polinização de algumas flores. II – Diz-se das flores que abrem à tarde, mantendo-se abertas durante a noite e fechando-se com a luz do dia.

nodoso (nodosus). Com os nós muito salientes ou com saliências semelhantes a nós.

Nomofilo (Nomophyllum). A folha normal, que desempenha a função clorofilina, para a distinguir de catafilo (v) e de hipsofilo (v).

Noz (Nux). Subtipo de drupa, com a parte externa do mesocarpo pouco carnuda ou coriácea e a interna ± óssea desenvolvida juntamente com o endocarpo. Pode resultar de um ovário ínfero (Juglans regia, nogueira) ou súpero (Prunus dulcis, amendoeira).

nu (nudus). Aplica-se ao órgão ou parte de órgão desprovido de peças que normalmente estão presentes em outra espécie.

Caule nu: o que não tem folhas.

Inflorescência nua: sem brácteas.

Flor nua: a que não tem perianto, encontrando-se reduzida aos órgãos sexuais.

Receptáculo (do capítulo) nu: que não possui escamas, pêlos ou sedas interflorais.

Tubo da corola nu: aquele cuja fauce está desprovida de pêlos ou escamas.

Fauce da corola nua: sem escamas.

nulo (nullus). Que não existe; ausente.

nutante (nutans). Com o ápice voltado para baixo, pendente.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

ob- (ob-). Prefixo que indica posição ou forma invertida.

obclavado; obclaviforme (obclavatus). Da forma de uma clava invertida, ou seja, com a parte mais espessa para baixo.

obcónico (obconicus). Em forma de cone invertido, ou seja, com a base no ápice e o vértice na base.

obcordado; obcordiforme (obcordatus). Em forma de coração de carta de jogar, ou seja, com a parte mais larga e o sínus opostos ao ponto de inserção.

oblanceolado (oblanceolatus). Lanceolado, mas com a maior largura um pouco acima do meio.

oblíquo (obliquus). I – Diz-se da posição oblíqua de um órgão relativamente à vertical. I – Diz-se de parte de um órgão relativamente ao seu plano mediano; aplica-se a órgãos laminares com as porções de cada lado da linha mediana um pouco desiguais.

oblongo (oblongus). Em forma de elipse alongada, com o eixo maior três a seis vezes mais comprido que o menor.

obovado (obovatus). De forma ovada invertida, com a parte distal mais alargada. Aplica-se a estruturas planas.

Obovóide (obovoideus). De forma ovóide invertida, como um ovo com parte distal mais alargada. Aplica-se a estruturas a 3 dimensões.

obsoleto (obsoletus). Pouco evidente, rudimentar, pouco desenvolvido, quase não se notando.

obtusiúsculo (obtusiusculus). Entre agudo e obtuso, aproximando-se mais de obtuso.

obtuso (obtusus). I – Diz-se dos órgãos laminares que terminam em ângulo obtuso ou em curva arredondada (V. agudo). II – Também se aplica aos órgãos de figura sólida que terminam em superfície curva.

ocráceo (ochraceus). Com a cor do ocre.

Ócrea (Ocrea). Formação tubular resultante da lígula ou da concrescência de duas estipulas opostas e que envolve a base do entrenó semelhante a uma bainha.

oficinal (officinalis). Diz-se da planta ou partes desta que são usadas em preparações farmacêuticas.

oleaginoso (oleaginosus). Carnudo e rico em azeite, em óleo.

oleífero (oleifer). Que contém ou que produz azeite ou outros óleos semelhantes.

oligo- (olig-; oligo-). Prefixo de origem grega, com o significado de pouco, com poucos.

oliváceo (olivaceus). De cor verde-azeitona.

ondulado (undulatus). Com margem alternadamente deprimida e elevada, segundo curvas arredondadas; aplica-se geralmente a folhas e pétalas.

opaco (opacus). Não transparente; oposto a nítido.

opercliado (operculatus). Provido de opérculo (v).

Opérculo (Opcrculum). I – Pequena tampa destacável, geralmente presente em frutos. II – Peça que resulta da concrescência das pétalas em Eucalyptus e que se destaca como um todo. III – Parte terminal e móvel das ascídias (v) de algumas plantas carnívoras (Nepenthes; Utricularia; etc). IV – Peça da cápsula das Bryophyta.

opositi- (oppositi-). Prefixo de origem latina que significa oposição entre peças. V. oposto.

opositífólio (oppositifolius). Que se opõe à folha, como algumas gavinhas.

opositipétalo (oppositipetalus). Diz-se do estame que se insere em frente a uma pétala (v. alternipetalo).

oposto (oppositus). Que se insere em face de outro e ao mesmo nível (no mesmo nó).

oposto-cruzado. Diz-se das folhas opostas ou ramificação em que pares consecutivos formam entre si um ângulo de 90o. = de-cussado.

oposto-pinado; oposto-pinulado (oppositipinnatus). Diz-se das folhas pinadas (ou pinuladas) cujos folíolos são opostos.

orbicular (orbicularis). Com o contorno de um círculo ou quase.

ortotrópico (orthotropus). Diz-se do óvulo que não apresenta qualquer curvatura, encontrando-se o hilo e o micrópilo em posições opostas. = atrópico (v).

ósseo (osseus). Duro ± como osso.

Ouriço. Invólucro espinhoso das flores e frutos do castanheiro. V. cúpula (II).

outonal (autumnalis). Que se forma, desenvolve ou aparece no Outono. V. serôdio.

ovado (ovatus). Diz-se dos órgãos laminares com a forma da secção longitudinal de um ovo, ou seja, com base larga e arredondada, lados curvos convergentes para o ápice que pode ser obtuso ou agudo e o comprimento um tanto maior do que a largura.

oval (ovalis). Elíptico e com o comprimento ± duplo da largura.

Ovário (Ovarium). Parte basilar do carpelo ou pistilo (v) na qual se formam os óvulos.

ovóide (ovoideus). Com a forma de um ovo, ou seja, corpo sólido mais largo na base do que no ápice, de secção transversal circular e de secção longitudinal ovada.

-ovulado (-ovulatus). Que possui óvulo(s).

uni- (1), bi- (2), tri- (3) ... pauci- (poucos), multi-ovulado: com um, dois, três... poucos, muitos óvulos. Aplica-se a carpelos, ovários e lóculos de ovário.

Óvulo (Ovulum). Estrutura das plantas com semente que contém o gametófito feminino (nucelo) e um a três integumentos; após a fecundação o óvulo transforma-se em semente.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Página (Pagina). Cada uma das duas superfícies de um órgão laminar, geralmente aplicado a folhas. = face (v).

P. superior: a que fica voltada para o eixo ou que se encosta a este quando se aplica a folha contra ele. = p. adaxial

P. inferior: = p. abaxial

Palato (Palatum). Saliência do lábio inferior da corola personada, a qual encerra a fauce (tubo da corola) por se encostar ao lábio superior.

Pálea (Palea). I – Escamas interflorais do receptáculo das Asteraceae (Compositae). II – = glumela superior das Poaceae (Gramineae).

paleáceo (paleaceus). Que possui páleas (escamas interflorais). = palheáceo.

paleoárctico (palaeoarcticus). Relativo ou pertencente à divisão fitogeográfica que abrange a Europa, o norte de África até ao Sahara e a Ásia até ao norte da península Arábica e o norte dos Himalaias.

Paleoendemismo. Taxon geralmente taxonomicamente isolado cuja distribuição restrita constitui o resto de uma distribuição originalmente alargada que foi reduzida por razões várias.

paleotropical. (palaeotropicalis). Relativo á divisão fitogeográfica compreendida entre os trópicos e que abrange a África a região Indomalesiana e a Polinésia. V. neotropical.

palheáceo (paleaceus). I – Que possui páleas; = paleáceo. II – Cuja consistência lembra a da palha, ou seja, delgado e quebradiço.

palmado (palmatus). Dividido em partes divergentes, assemelhando-se à mão com os dedos abertos.

palmati- (palmati- ) Prefixo de origem latina que indica a divisão em partes divergentes, como os dedos na palma de uma mão aberta.

palmatifendido (palmatifidus). Com nervação palmada e o limbo fendido.

palmatífido (palmatifidus). = palmatifendido.

palmatilaciniado (palmatilaciniatuss). Com nervação palmada e o limbo laciniado (v).

palmatilobado (palmatilobus). Com nervação palmada e limbo lobado.

palmatinérveo (palmatinervius; palmatinervis). = palminérveo.

palmatipartido (palmatipartitus). De nervação palmada e limbo partido.

palmatissecto (palmatisectus). De nervação palmada e limbo dividido por incisuras muito fundas, que atingem o ponto de divergência das nervuras.

palminérveo (palminervius). Diz-se das folhas com várias nervuras, sensivelmente da mesma espessura, que partem todas de um ponto. = palmatinérveo.

palustre (palustris). Diz-se das plantas que vivem nos pântanos ou lagoas ou em terrenos inundados no Inverno.

panduriforme (panduriformis; panduratus). Em forma de violino (v).

Panícula (Panicula). Inflorescência indefinida (racemosa) em que o comprimento dos ramos decresce da base para o ápice; os ramos são simples ou compostos (divididos). Pode também ser designada por cacho simples ou cacho de cachos ou de outras inflorescências primárias (como nas Poaceae em que a inflorescência primária é uma espigueta, v).

paniculado (paniculatus). Que se dispõe em panícula.

paniculiforme (paniculiformis). Semelhante a panícula.

pantropical (pantropicalis). Que se distribui pelas regiões intertropicais de todo o Mundo: África e Ásia (Mundo Antigo) e Américas (Novo Mundo), ou seja, as zonas paleotropical e neotropical.

Papila (Papilla). Saliência epidérmica, geralmente não muito alongada, e obtusa.

papilar (papillaris). Relativo a papila ou próprio de papila; semelhante a papila.

Papilho (Pappus). Tufo de pêlos ou sedas ou conjunto de escamas, que coroa alguns frutos e sementes.

papilhoso (papposus). Provido de papilho.

papilionáceo (papilionaceus). Aplica-se à corola dialipétala e zigomórfica formada por cinco pétalas: uma superior ou posterior (estandarte ou vexilo) geralmente maior e ± perpendicular ao eixo da flor e que envolve as restantes quando em botão; duas laterais (as asas) que envolve mais duas quando em botão; estas duas últimas peças são concrescentes (v) ou coniventes (v) formando uma estrutura navicular (quilha ou naveta) que envolve o androceu e gineceu.

papiloso (papillosus). Provido de papilas.

papiráceo (papyraceus). Pouco espesso e de consistência de papel.

Pápula (Papula). Protuberância epidérmica suculenta ou vesícula com líquido aquoso.

papuloso (papuloso). Que tem pápulas.

Paráfise (Paraphysis). Formações epidérmicas que se encontram nos soros de algumas Pteridophyta.

paralelinérveo (parallelinervius; parallelinervis). Que possui várias nervuras longitudinais, aproximadamente paralelas. V. curvinérveo.

Parasita (Parasita; Parasitus). Que se nutre de outra planta viva (hospedeiro).

Parênquima (Parenchyma). Tecido constituído por células vivas de membrana celulósica delgada e ísodiamétricas ou quase.

parietal (parietalis). Que se insere na ou pertence à parede.

Deiscência parietal: aplica-se a carpelos; dá-se por duas fendas, uma de cada lado da sutura.

Placentação parietal: inserção dos óvulos na parede do ovário.

paripinado (paripinnatus). = paripinulado.

paripinulado (paripinnatus). Diz-se da folha composta, com os folíolos ± opostos e desprovida de folíolo ímpar terminal.

Partenocarpia. Formação de fruto sem fecundação; não há, habitualmente, sementes ou estas são estéreis.

Partenogénese (Parthenogenesis). Desenvolvimento de um indivíduo a partir do óvulo sem ocorrência de fecundação.

partenogenético. Próprio da partenogénese.

partido (partitus). Dividido em segmentos até mais de meio (do semi-limbo, tratando-se de folhas peninérveas)

bi- (2), tri- (3), quadri- (4) ... multipartido: partido em dois, três, quatro ... muitos segmentos.

patente (patens). Que se insere segundo um ângulo próximo de 90º com o eixo. = pátulo.

pátulo (patulus). = patente.

pauci- (pauci- ). Prefixo, derivado do latim paucus (pouco, poucos), que indica número reduzido.

peciolado (petiolatus). Provido de pecíolo; oposto a séssil.

Pecíolo (Petiolus). Porção ± alongada da folha, reduzida, ou quase, ao feixe vascular principal, que une o limbo à bainha ou directamente ao eixo.

peciolulado (petiolulatus). Que tem peciolulo.

Peciolulo (Petiolulus). Pecíolo (v) dos folíolos (v) das folhas compostas.

pectinado (pectinatus). Dividido em partes ± perpendiculares ao eixo, estreitas, aproximadas e paralelas, como os dentes de um pente.

pedatinérveo; pedatipartido; pedatíssecto. V. respectivamente apedado, apedatipartido, apedatissecto.

pedicelado (pedicellatus). Provido de pedicelo.

Pedicelo (Pedicellus). O eixo de suporte da flor.

pediculado (pediculatus). Que possui pedículo (v).

Pedículo (Pediculus). Suporte delgado que não seja pedicelo, pedúnculo ou pecíolo.

pedunculado (pedunculatus). Que tem pedúnculo.

Pedúnculo (Pedunculus). Eixo da inflorescência simples ou da composta.

Pêlo (Pilus). Formação epidérmica, uni ou pluricelular, simples ou ramosa.

peltado (peltaust). Que tem forma aproximadamente circular ligando-se perpendicularmente ao eixo (pecíolo, se se trata de folha) ± no centro do limbo.

peludo (pilosus). Que apresenta pêlos.

penatifendido (pinnatifidus). Diz-se da folha peninérvea dividida aproximadamente até ao meio do semi-limbo.

penatilobado (pinnatilobus). Diz-se da folha peninérvea, dividida em lobos até menos do meio do semilimbo.

penatipartido (pinnatipartitus). Peninérveo e com o limbo dividido para além do meio do semilimbo, mas sem atingir a nervura mediana.

penatissecto (pinnatisectus). Peninérveo e com o limbo dividido até à nervura mediana; os segmentos designam-se folíolos (v).

pendente (pendens; pendulus). Pendurado devido ao encurvamento brusco do eixo de suporte o qual pode ser um ramo, pecíolo, pedúnculo, pedicelo, funículo, etc.

penicilado (penicillatus). Semelhante a um pincel, ou seja, com numerosos ramos ± do mesmo comprimento, subparalelos, inseridos sobre o mesmo ponto (ex. alguns pêlos ramosos e alguns estigmas). = apincelado.

peninérveo (penninervius; penninervis). Com uma nervura mediana claramente mais espessa inserindo-se de um e outro lado desta nervuras secundárias ± paralelas entre si.

penta- (penta-). Numeral grego que indica número cinco.

Pepónio (Pepo). Fruto sincárpico, resultante de um ovário ínfero, de três ou cinco carpelos, com endocarpo ténue (por vezes liquefeito), mesocarpo carnudo e firme, epicarpo muito duro, por vezes lenhificado e placentas muito desenvolvidas. É o fruto de algumas Cucurbitaceae (ex. abóbora).

perene (perennis). Diz-se da planta que vive três anos ou mais.

perfoliado (perfoliatus). Diz-se das folhas alternas, sésseis, cujas aurículas bem desenvolvidas contornam o ramo soldando-se pela margem parecendo a folha atravessada pelo ramo.

Perianto (Perianthium). Conjunto das peças florais que rodeiam os órgãos sexuais da flor.

P. simples: com um só verticilo (de sépalas ou de pétalas).

P. duplo: com dois verticilos de paças semelhantes ou não.

P. homogéneo ou não diferenciado: com todas as peças ± semelhantes (tépalas).

P. diferenciado: constituído por cálice e corola distintos.

Pericarpo (Pericarpium). Parede do fruto; desenvolve-se a partir da parede do ovário (folha carpelar) e é ocnstituído por 3 partes de fora para dentro: epicarpo, mesocarpo e endocarpo correspondendo respectivamente ao desenvolvimento da epiderme abaxial, mesofilo e epiderme adaxial da folha carpelar.

perigínico (perigynus). Diz-se do cálice, corola e estames inseridos na margem do receptáculo ± côncavo que rodeia o ovário. O ovário é súpero quando o receptáculo é livre; o ovário é semi-ínfero quando receptáculo e ovário são parcialmente aderentes; o ovário é ífero quando o receptáculo e ovário são aderentes. O termo aplica-se também às flores com estas características.

Perigónio (Perigonium). Perianto simples ou duplo não diferenciado das flores haploclamídeas (v) e homoclamídeas (v).

Perisperma (Perisperma). Tecido de reserva de algumas sementes cuja origem é exterior ao saco embrionário.

Pernada. Ramificação primária das árvores. = arranca.

persistente (persistens). Que persiste para além da sua duração funcional; que dura muito tempo.

Cálice persistente: é o que permanece depois da floração, mantendo-se no fruto.

Estilete persistente: o que persiste no fruto.

Folhas persistentes: as que não passam por um período de senescência simultânea; as plantas que as possuem permanecem sempre verdes embora as folhas em alturas diferentes caiam com a idade.

personado (personatus). Diz-se da corola simpétala e bilabiada cuja fauce é fechada por uma saliência do lábio inferior (palato, v) que se encosta ao lábio superior.

Pétala (Petalum). Cada uma das peças da corola geralmente coradas ou brancas; podem encontrar-se parcilmente ou totalmente fundidas (simpétals).

-pétalo (-petalus). Emprega-se na composição de palavras que se referem às peças da corola (pétalas).

petalóide (petaloideus). Semelhante a pétala pela cor e consistência.

pétreo (petraeus). Tão duro que parece pedra, como algumas células (células pétreas) do mesocarpo de alguns frutos (ex. pêra), também designadas esclereídos.

Pigmento (Pigmentum). Substância que absorve selectivamente a luz de diferentes comprimentos de onda reflectindo outros apresentado a cor que reflecte. Os principais pigmentos nas plantas são clorofilas (nos cloroplastos; verdes), carotenoides (em cromoplastos; de amarelo a laranja) e flavonoides que incluem as antocianinas (no vacúolo celular; de vermelho a azul) e os flavonóis. Outras substâncias emitem luz elas próprias por fluorescência, fosforescência ou luminescência.

piloso (pilosus). Que tem pêlos, geralmente afastados e débeis.

pinado (pinnatus). = pinulado.

pinatífido* (pinnatifidus). V. penatifendido*.

* Estes dois termos são aqui usados na acepção de De Candolle. Há autores para quem as incisões das folhas designadas pinatífidas vão mais além do meio do semi-limbo; neste caso pinatífido teria o mesmo significado que penatipartido.

pinatilobado (pinnatilobus). = penatilobado.

pinatinérveo (pinnatinervius; pinnatinervis). = peninérveo.

pinatipartido (pinnatipartitus). = penatipartido.

pinatissecto (pinnatisectus). = penatissecto.

Pinha (Strobilus). Estróbilo (v) de Pinaceae.

pinulado (pinnatus). Diz-se da folha composta, com os folíolos articulados ao longo do eixo comum ou ráquis.

Folha bipinulada ou bipinada: folha composta, com eixos secundários sendo estes os que suportam os folíolos.

Folha tripinulada ou tripinada: folha recomposta, com eixos secundários e terciários sendo estes últimos os que suportam os folíolos.

piriforme (piriformis; pyriformis). Em forma de pêra.

pisiforme (pisiformis). Subgloboso e de tamanho aproximado do de uma ervilha.

pistilado (pistillatus). Diz-se da flor que possui um ou mais pistilos e não possui estames. É uma flor unissexuada e feminina.

Pistilo (Pistillum). Conjunto do ovário, estilete e estigma quer de um só carpelo, quer resultante da fusão de dois ou mais carpelos.

Pistilódio (Pistillodium). Pistilo rudimentar e não funcional que existe por vezes nas flores masculinas.

Pixídio (Pyxidium). Cápsula com deiscência transversal, na qual a parte superior se ergue como uma tampa, desprendendo-se completamente. = cápsula circuncisa.

Placenta (Placenta). Região interna do carpelo onde se inserem os óvulos; corresponde, geralmente, à margem da folha carpelar.

Placentação (Placentatio). Disposição das placentas e, portanto, dos óvulos no ovário.

P. axial: V. axial.

P. basilar: V. basilar.

P. central: V. central.

P. marginal: V. marginal.

P. parietal: V. parietal.

Pleiocásio (Pleiochasium). Inflorescência cimosa em que, sob o ápice do eixo primário que termina em flor, se formam dois ou mais ramos secundários, os quais, por sua vez, repetem este padrão de ramificação. Podem ser do tipo pseudo-umbela (v) ou antela (v).

plicado; plicativo (plicatus). Tipos de vernação e de prefloração em que o limbo foliar ou a peça floral se encontra dobrado em pregas, geralmente no sentido longitudinal, como um leque fechado.

plumoso (plumosus). Com ramificações laterais, longas e ténues, inseridas num eixo, assemelhando-se o conjunto a uma pluma ou pena.

Plúmula (Plumula). A gema primária do embrião.

pluri- (pluri-). Vários; com vários; em número inferior a multi- e poli- (muitos).

Pneumatóforo (Pneumathophorum). Raízes de geotropismo negativo (epígeas ou emersas), com aerênquima muito desenvolvido, próprias de plantas de solos pantanosos ou dos mangais, mediante as quais se fazem as trocas de gases das partes submersas da planta com a atmosfera.

Pólen (Pollen). Micróscopo que contém um microgametófito maduro ou imaturo; ocorre nas plantas com semente.

poli- (poly-). Muitos, com muitos. Prefixo de origem grega que confere a ideia de número indefinido e elevado.

policárpico (polycarpus). I – Que possui numerosos carpelos. II – Diz-se da planta que frutifica várias vezes (plantas perenes). V. monocárpico.

poligâmico (polygamus). Diz-se das espécies que possuem flores hermafroditas e unissexuais (masculinas e femininas), seja qual for a forma como os três tipos de flores estão dispostos na planta.

Polimorfismo. Existência de formas diferentes do mesmo órgão na mesma planta ou no mesmo taxon.

polínico (pollinicus). Próprio do ou relativo ao pólen.

Polinídia (Pollinium). Conjunto dos grãos de pólen de cada lóculo de uma antera quando aglutinados entre si.

Polinização (Pollinisatio). Transporte do pólen da antera e sua deposição sobre o estigma (nas Magnoliopsida) ou na abertura micropilar do óvulo (nas Gimnospérmicas).

Poliplóide (Polyploideus). Célula ou organismo com mais do que duas guarnições de cromossómicas homólogas.

Polvilho (Pruina). = pruina.

polvilhoso (pruinosus). = pruinoso.

Pomo (Pomum). Fruto carnudo e indeiscente, proveniente de um ovário ínfero sincárpico, no qual a principal parte carnuda deriva da úrnula (v) da flor, e o endocarpo é membranáceo, coriáceo ou cartilagíneo. É o fruto de algumas Rosaceae (macieira, pereira, etc.).

Pontuação (Punctus). I – Áreas minúsculas punctiformes que correspondem, geralmente, a glândulas. II – Pequena mancha.

pontuado (punctatus). Com pontuações.

Pontuado-elevado: Com pontos salientes.

Pontuado-escavado: Com pequenas cavidades.

Pontuado-maculado: Com pequenas manchas de cor.

poricida (poricidus). Deiscente por poros. Aplica-se a anteras e cápsulas.

Poro (Porus). Pequena abertura ou orifício.

Porte (Habitus). Aspecto geral ou aspecto de crescimento habitual de uma planta. = hábito.

posterior (posticus). A parte ou órgão oposto à bráctea ou folha axilar e que se mantém mais afastada do observador, quando a bráctea ou folha estão viradas para ele.

Prado (Pratum). Tipo de vegetação natural ou artificial geralmente em lugares húmidos, caracterizado por plantas herbáceas, de baixo porte, em que predominam Poaceae (Gramineae), Fabaceae (Leguminosae) e Cyperaceae formando revestimento contínuo.

pratense (pratensis). Planta que cresce nos prados.

Prato (Discus bulbi). = disco.

Prefloração (Praefloratio). Disposição das tépalas, sépalas e pétalas no botão floral; pode ser carenal, contorcida, imbricativa, induplicativa, quincuncial, valvar e vexilar (v). = estivação.

Prefolheação (Praefoliatio).. Disposição das folhas na gema ou das folhas jovens em início de expansão. Pode ser circinada (v), conduplicada (v), convolutosa (v), involutiva (v), plicada (v), reclinada (v), revolutiva (v) e semiequitante. = folheatura, vernação

primário (primarius). I – Aquele que se desenvolve primeiro; eixo principal. II – Os ramos que se inserem directamente no caule. III – Os segmentos ou divisões da folha que resultam da primeira divisão do limbo.

Primina (Primina). O tegumento externo do óvulo, quando existe mais do que um.

principal (principalis). Mais importante, mais notório, mais saliente.

Eixo principal: aquele em que se inserem os restantes.

Nervura principal: a mediana e mais espessa que se prolonga do pecíolo.

procumbente (procumbens). = prostrado.

Profilo (Prophyllum). A primeira folha (nas Liliidae, Monocotiledóneas) ou cada uma das duas primeiras folhas (nas Magnoliidae, Dicotiledóneas) de um ramo lateral.

profundo (profundus). I – Diz-se da incisão no limbo que ultrapassa em muito a margem. II – Diz-se da estrutura que penetra fundo num tecido (ex. relativamente a estomas).

prostrado (prostratus). Estendido sobre o solo ou sobre outro meio; aplica-se a caules e ramos.

Protalo (Prothallus; Prothallium). Gametófito reduzido das Pteridophyta.

protândrico (proterandrus). Diz-se da flor cujas anteras estão maduras e deiscentes antes de os estigmas se tornarem receptivos.

protogínico (proterogynus). Que tem o estigma receptivo enquanto as anteras estão ainda imaturas.

Protuberância (Protuberatio). Saliência arredondada.

protuberante (protuberans). Saliente, proeminente.

proximal (proximalis). Diz-se da parte de um órgão que está mais próxima do ponto de inserção ou do eixo. Opõe-se a distal.

Pruina (Pruina). Revestimento, formado por cera em forma de pó muito ténue, que cobre a cutícula de alguns órgãos, conferindo-lhe um tom glauco. = polvilho.

pruinoso (pruinosus). Coberto de pruina. = polvilhoso.

psamófilo (psammophilus). Diz-se das plantas que requerem solos arenosos.

Psamófito (Psammophytum). Planta das areias, das dunas marítimas ou interiores.

pseud-; pseudo- (pseud-; pseudo-). Prefixo usado na formação de palavras para exprimir falsidade ou semelhança.

pseudo-axilar: que parece inserir-se na axila.

Pseudo-bolbo: é o caule aéreo espessado e bulbiforme em Orchidaceae.

Pseudo-cacho (Pseudo-racemus): cimeira unípara parecendo um cacho.

pseudo-papilionácea: semelhante à corola papilionácea, mas com as duas pétalas inferiores externas e não internas no botão floral.

Pseudo-umbela: cimeira multípara ou pleiocásio cujos ramos atingem aproximadamente o mesmo plano.

puberulento (puberulus). Com pêlos finos, curtos, direitos e pouco densos, dificilmente visíveis á vista desarmada.

Pubescência (Pubescentia). Indumento de pêlos fracos e densos.

pubescente (pubescens; pubens). Que tem pubescência.

pulverulento (pulverulentus; pulveratus). Com o aspecto de pó, ou como se estivesse coberto de pó.

punctiforme (punctiformis). Como um ponto.

pungente (pungens). Que termina numa ponta rígida e aguda, que pode picar.

purpurascente (purpurascens). Que se torna cor de púrpura ou que é aproximadamente cor de púrpura.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

quadri- (quadr-; quadri- ). Prefixo de origem latina que indica que um órgão ou uma estrutura se encontra repetido quatro vezes.

quaternados (quaterni; 4-nati). Que se dispõem à mesma altura em número de quatro.

Quilha (Carina). I – Linha saliente longitudinal, na face inferior de um órgão assemelhando-se à quilha de um barco. II – Peça navicular da corola papilionácea resultante da união ou conivência pela margem inferior das duas pétalas inferiores. = carena (v). III - Pétala inferior da corola do género Polygala geralmente fimbriado-barbuda.

quinados (quinatus). Dispondo-se cinco, à mesma altura.

quinque- (quinqu-; quinque-; quinqui- ). Prefixo de origem latina que indica que um órgão ou uma estrutura se encontra repetido cinco vezes.

quincuncial (quincuncialis). Diz-se da prefloração de flores de perianto pentâmero em que duas das peças florais (tépalas ou pétalas) são completamente externas, outras duas completamente internas e a quinta cobre uma interior com uma das suas margens e tem a outra coberta pela margem de uma das peças exteriores.

quintuplinérveo (quintuplinervis). Com quatro nervuras secundárias espessas originadas acima da base da nervura principal, que se estendem até ao ápice foliar. Não confundir com quinquenérveo, tipo de nervação no qual as cinco nervuras partem do mesmo ponto da base foliar.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

racemiforme (racemiformis). Semelhante a cacho (v).

Racemo; Racimo (Racemus). = cacho (v).

racemoso (racemosus). Que se dispõe em cacho (v) ou que possui cacho(s).

radiado (radiatus). I – Que possui flores de corola ligulada (lígulas), dispostas marginal e radialmente no receptáculo, como o capítulo de muitas Asteraceae (Compositae). II – Que possui vários eixos de simetria. = actinomórfico.

radiante (radians). I – Que divergem a partir de um ponto em todas as direcções. II – Diz-se de inflorescências, em geral capítulos, umbelas ou corimbos densos, nas quais as flores marginais têm as pétalas externas ou os lobos externos do limbo maiores e dirigidos para o exterior da inflorescência.

radical (radicalis). I – Referente à raiz, próprio da raiz. II – Diz-se das folhas das plantas acaules as quais parecem originar-se da raiz.

radicante (radicans). Que produz raiz(es).

Caule radicante: caule prostrado ou decumbente que emite raízes nos nós.

Radícula (Radicula). A parte inferior do eixo do embrião a qual origina a raiz primária da planta.

Rafe (Raphe). Saliência longitudinal dos óvulos anatrópicos, v, (e das sementes que deles se originam) e que resulta da fusão do funículo com o tegumento.

raiado (vittatus). Com listras ou traços longitudinais de cor diferente.

Raio (Radius). Cada um dos ramos da umbela; o mesmo que pedúnculos de segunda e terceira ordem.

Raiz (radix). Órgão geralmente subterrâneo através do qual são absorvidos sais minerais e água e que fixa a planta ao solo.

Ramificação (Ramificatio). I – Modo como os ramos se dispõem num eixo. II – Emprega-se também como sinónimo de ramo.

ramificado; ramoso (ramosus). Que tem ramos. Opõe-se a simples.

Raminho (Ramulus). O ramo de última ordem, formado no ano anterior.

Ramo (Ramus). Cada uma das ramificações de um caule.

R. de primeira ordem ou primários: os que se formam directamente no eixo principal.

R. de segunda ordem ou secundários: os que se formam num ramo de primeira ordem ou primário.

Raquila (Rachilla). Eixo das espiguetas de Poaceae (Graminae) e Cyperaceae onde se inserem as flores.

Ráquis* (Rachis). I – Eixo da inflorescência e que constitui o prolongamento do pedúnculo. II – A parte do eixo da folha composta onde se inserem os folíolos e que está no prolongamento do pecíolo. III – A parte central do limbo, adjacente à nervura mediana juntamente com esta, das folhas fundamente partidas ou só a nervura mediana nas folhas sectas. IV – O pecíolo da folha dos fetos (Pteridophyta).

*Substantivo do género feminino.

rastejante (repens; reptans). Aplica-se aos caules prostrados (v) e radicantes (v) cujas partes mais velhas vão morrendo, sendo substituídas, sucessivamente, pelas mais recentes deslocando-se, assim, no solo. = reptante.

Rebentão (Virga). Rebentos formados sobre as touças das árvores cortadas ou sobre raízes laterais.

Rebento (Surculus; Virga). Os ramos novos ainda herbáceos de uma planta vivaz formados a partir da gema.

Receptáculo (Receptaculum). I – Parte superior e ± alargada do eixo onde se inserem as peças florais. II – Parte terminal e mais alargada do pedúnculo onde se inserem as flores do capítulo ou os raios da umbela.

reclinado (reclinatus). I – Curvado um tanto para fora e para a base. II – Tipo de vernação em que as folhas se encontram dobradas transversalmente de modo a que o ápice fique próximo da base ou sobre o pecíolo.

recomposto (recompositus). Diz-se da folha composta cujo eixo se ramifica em eixos de segunda ordem, podendo estes, por sua vez, dividir-se também em eixos de terceira ordem, etc, possuindo folíolos apenas as divisões de última ordem.

rectinérvio (rectinervis). Que tem nervuras longitudinais, rectas e subparalelas em grande extensão.

recurvado (recurvatus; recurvus). Fortemente reclinado.

Estames recurvados: são os que se curvam para a parte exterior da flor.

redondo (rotundus; orbicularis). Com forma aproximadamente circular.

reflectido (reflexus). Curvo bruscamente para baixo, num ângulo superior a 90º.

reflexo (reflexus). = reflectido.

regular (regularis). Com mais do que dois planos de simetria, radialmente simétrico. Diz-se da flor actinomórfica.

Relíquia (Reliquiae). Taxon ou população cuja área de distribuição era alargada tendo sido reduzida e está hoje confinada a uma ou algumas “bolsas” de distribuição vestigiais.

remontante (I – ascendens; II – remontans; bifer). I – Ascendente. II – Que produz flor ou fruto duas vezes por ano.

remotamente (remote). Dispondo-se afastado de outro(s).

r. dentado: margem dentada com dentes muito afastados uns dos outros

reniforme (reniformis). Com contorno de ou forma aproximada de rim.

Renovo (Renovatio; Surculus). = rebento.

rente (sessilis). = séssil.

repando (repandus). Diz-se da folha plana cuja margem é ondulada. = sinuado.

replicativo (replicatus). = reclinado (II).

reptante (reptans). = rastejante.

resinífero (resinifer). Que produz resina.

resinoso (resinosus). Que tem, parece ter ou estar coberto de resina.

resupinado (resupinatus). Com posição invertida relativamente à normal.

Corola resupinada: é a corola zigomórfica em que a parte anterior (quilha na corola papilionácea, lábio inferior na corola bilabiada) ocupa posição posterior ou superior devido a torção do pedicelo ou do ovário quando este é inferior (ex. Orchidaceae).

Reticulação (Reticulum). = retículo.

reticulado (reticulatus). Que forma rede.

Nervuras reticuladas: aquelas cujas ramificadas várias vezes formando uma rede.

Retículo (Reticulum). Rede formada pelas ramificações de nervuras ± salientes; refere-se geralmente às folhas.

Retináculo (Retinaculum). Massa viscosa glandular adjacente ao rostelo (v) à qual se prendem uma ou duas polinídias (em Orchidaceae).

retroflectido (retroflexus; retrofractus). Curvo em direcção à base.

retrorso (retrorsus). Diz-se de pêlos, tricomas, aculéolos, dentículos com o ápice voltado para a base do órgão em que se inserem (ex. os tricomas das aristas de muitas Poaceae).

retuso (retusus). Que tem o ápice arredondado ou truncado, o qual possui no centro um recorte obtuso pouco fundo.

revolutivo (revolutivus). Tipo de vernação em que as duas metades do limbo foliar se enrolam longitudinalmente para a face inferior (abaxial, v).

revoluto (revolutus).Com as margens ± recurvadas para a página inferior (abaxial, v).

Ripídio (Rhipidium). Monocásio escorpióide com os pedicelos plano e as flores situados todos no mesmo plano.

Ritidoma (Rhytidoma). Parte da casca das árvores e arbustos, formada por tecidos mortos, ± rugosa e fendida e que se destaca de formas diversas. = casca seca.

Rizoma (Rhizoma). Caule subterrâneo, com aspecto de raiz, distinguindo-se desta pela anatomia e por possuir escamas e gemas.

rizomatoso (rhizomatosus). Semelhante a rizoma ou possuindo rizoma.

rodado (rotatus). Diz-se da corola simpétala com tubo muito curto que se alarga bruscamente em limbo largo e plano, inteiro ou dividido, de contorno circular.

roído (erosus). Irregularmente dentado na margem parecendo roído.

roliço (teres). Aproximadamente cilíndrico (circular em corte transversal), sem ângulos.

rômbico (rhombicus; rhombeus; rhombiformis). Com a forma aproximada de um losango.

roncinado (runcinatus). Diz-se das folhas penatifendidas ou profundamente serradas cujos segmentos ou dentes são côncavos para a base.

rosáceo (rosaceus). Diz-se da corola dialipétala e regular com cinco pétalas, de limbo largo e unha curta como a que ocorre em várias espécies de Rosaceae.

Roseta (Rosula). Conjunto de folhas inseridas em entrenós muito aproximados resultando numa disposição radial; são muitas vezes basais, ou seja, dispõe-se na base do caule da planta.

Rostelo (Rostellum). Lobo anterior e estéril do estigma das Orchidaceae no qual ou junto do qual se forma o retináculo (v).

rostrado (rostratus). Provido de rostro.

Rostro (Rostrum). Prolongamento ± em forma de bico de ave, ou seja, um tanto comprido,  ± forte e agudo.

ruderal (ruderalis). Vegetação ou planta que vive em meios resultantes da habitação humana (escombros, entulhos, estrumeiras, etc.), caracterizados por elevada percentagem de azoto no solo.

rudimentar (rudimentalis; rudimentarius). Cujo crescimento parou num estado precoce do desenvolvimento.

rugoso (rugosus). Que tem saliências e sulcos dispostos irregularmente; encarquilhado.

ruguloso (rugulosus). Com pregas ou rugas leves, pouco marcadas.

ruminado (ruminatus). Diz-se do albúmen que não é limitado por uma superfície contínua, mas se encontra penetrado irregularmente pelo tegumento.

rupícola (rupicola). Que cresce entre rochas.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

sabulícola (sabulicola). Que vive nos terrenos arenosos. = arenícola e psamófilo.

saciforme (sacciformis). Em forma de saco.

Saco (Saccus). Cavidade orgânica.

S. embrionário: pequeno corpo saciforme que se encontra no interior do óvulo e que constitui o gametófito feminino nas Magnoliopsida.

S. polínico: estrutura saciforme que contem o pólen; geralmente quatro nas Magnoliopsida que usualmente se fundem duas a duas formando duas tecas ou lóculos das anteras.

sagitado (sagittatus). Em forma de seta, ou seja, em forma de triângulo agudo prolongando-se na base em duas aurículas ou lóbulos agudos, dirigidos para a base.

saliente (exsertus). I – Que ultrapassa outro ou ultrapassa um determinado plano ou nível. = exserto. Opõe-se a incluso.

Estames salientes: os que ultrapassam o ápice do tubo da corola.

II – Que sobressai sobre uma superfície.

Sâmara (Samara). Fruto seco, indeiscente e monospérmico, semelhante ao aquénio, mas com o pericarpo prolongado em asa membranosa.

Bi- , Tri- , Quinquessâmara: fruto múltiplo de duas, três..., cinco sâmaras.

sarmentoso (sarmentosus). Diz-se da planta com caule ou ramos lenhosos, muito longos, delgados e flexíveis que se eleva apoiando-se a outras plantas.

seco (siccus). I – Sem polpa, não suculento.

Fruto seco: aquele com pericarpo pouco desenvolvido, tornando-se seco na maturação.

Solos fisicamente secos: Aqueles com baixo conteúdo em água.

Solos fisiologicamente secos: Aqueles que, embora retendo água, esta não está disponível para ser absorvida pelas plantas devido a percentagem elevada de sais ou ácidos ou se encontrar sob a forma de gelo.

secretor; secretório (secretorius). Que segrega.

-secto (-sectus). Dividido em segmentos não articulados que alcançam a nervura mediana ou a base do órgão. Emprega-se como sufixo na formação de vocábulos tais como penatissecto (v), palmatissecto (v), etc.

secundário (secundarius). O segundo na ordem de formação ou de importância.

Nervuras secundárias: as que partem da nervura principal.

Segmentos secundários: os que resultam da divisão dos segmentos primários.

Eixos secundários, ramos secundários, pedúnculos secundários, etc.: os que se originam, respectivamente, no eixo principal, nos ramos primários, no pedúnculo principal, etc.

Secundina (Secundina). O tegumento interno dos óvulos que possuem dois tegumentos.

Seda. (Seta). Pêlo rígido, um tanto longo, picante, ou estruturas semelhantes.

sedoso (sericeus). Com brilho de seda. = seríceo.

segetal (segetalis). Que pertence às ou que vive nas searas.

Segmento (Segmentmn). Cada uma das partes em que um todo se divide. Aplica-se, particularmente, quando a divisão é profunda (caso das folhas partidas e sectas), reservando-se o termo de lobo quando a divisão o é menos.

Seio (Sinus). Reentrância ± funda entre dois lobos.

Seio basilar ou peciolar: a reentrância que se situa na base das folhas cordadas, auriculadas, etc.

Seiva (Sapa). Líquido nutritivo que circula no xilema e floema.

seiva bruta: solução de substâncias minerais e que circula no xilema.

seiva elaborada: solução de substâncias orgânicas que circula no floema.

Semente (Semen). Propágulo das plantas superiores, constituído pelo embrião em estado de dormência e, por vezes, tecido nutritivo envolvidos por um revestimento ± espesso; resulta do desenvolvimento do óvulo após a fecundação e, nas Magnoliopsida, está encerrada no fruto.

semi- (semi- ). Prefixo de origem latina usado na formação de vocábulos que indicam meio, metade, quase.

Ovário semi-ínfero: o que adere ao receptáculo até aproximadamente metade da sua altura (o perianto e os estames são perigínicos).

Semiparasita. = hemiparasita (v).

seminífero (seminifer). Que possui semente(s).

Seno (Sinus). = seio.

Sépala (Sepalum). Cada uma das peças que formam o cálice, completamente livres ou ± concrescentes. No último caso, as partes livres designam-se por lobos (v) ou segmentos (v) do cálice, conforme o seu comprimento relativamente à porção fundida.

-sépalo (-sepalus). Com sépalas; utilizado com prefixo indicador do número ou da disposição.

sepalóide (sepaloideus). Com consistência de sépalas e cor verde.

sept- (sept-; septem-; septen-). Prefixo de origem latina que indica que um órgão ou uma estrutura se encontra repetido sete vezes.

septado (septatus). Provido de septos.

septicida (septicidalis; septicidus). V. cápsula.

septífraga (septifragus). V. cápsula. Aplica-se também a deiscência.

Septo (Septum). I – Divisória interna. II – Lâminas que dividem o interior dos frutos compostos em compartimentos e que resultam da concrescência das paredes de carpelos contíguos. V. falso-septo.

seriado (seriatus; serialis). Que se dispõe em fila ou filas longitudinais ou transversais.

seríceo (sericeus). Com indumento de pêlos longos, finos, aplicados (v) e brilhantes, que conferem à superfície revestida um brilho semelhante ao da seda. = sedoso.

serôdio (serotinus). Diz-se da floração ou frutificação que ocorre depois da época normal, geralmente no fim do Verão ou no Outono. = tardio.

serpentinícola (serpentinus). Que cresce em solos serpentínicos e outras rochas ultramáficas (serpentinite: grupo de minerais esverdeados ou acastanhados à base de Mg3Si2O5(OH)4, usados como fonte de magnésio e asbesto e em decoração.

serrado (serratus). Com dentes marginais agudos e próximos, como os de uma serra, dirigidos para o ápice do órgão.

duplicado-serrado (duplicato-serratus): serrado e com os dentes, por sua vez, também serrados.

serrilhado (serrulatus). Serrado, com dentes muito pequenos.

séssil (sessilis). Que se insere directamente pela base na ausência de qualquer eixo de suporte.

Folha séssil: a que não tem pecíolo.

Flor séssil: a desprovida de pedicelo.

setáceo (setaceus). = setiforme.

setiforme (setiformis). Semelhante a uma seda (v).

setígero (setiger). Que tem sedas.

bi- (2) setígero: com duas sedas.

setoso (setosus). Coberto de sedas.

Sícone (Syconium). Infrutescência formada por um receptáculo piriforme ou subgloboso, quase completamente fechado, ± espesso e carnudo, em cuja face interna se inserem as flores que originam pequenos aquénios, em grande parte abortados. É o fruto da figueira (Ficus carica) e de outras espécies do género Ficus.

silicícola (silicicola). Diz-se da planta ou associação que habita solos siliciosos.

silicófilo (silicophylus). Refere-se à planta ou associação que requer solo silicioso.

Silícula (Silicula). Versão curta da síliqua (v) em que o comprimento subiguala a largura podendo ser até três vezes esta.

Síliqua (Siliqua). Fruto seco, longo e estreito, deiscente, resultante de um ovário súpero bicarpelar, sincárpico, com placentação margino-parietal, separado em dois lóculos por falso-septo de origem placentária; a deiscência faz-se por duas valvas, que se separam da base para o ápice, de um e outro lado das placentas, deixando o falso-septo com as sementes, preso ao pedicelo. É característico das Brassicaceae (Cruciferae), mas aparece também em outras famílias.

siliquiforme (siliquiformis). Em forma de síliqua.

silvícola; silvestre (sylvicola; sylvestris; sylvaticus). Que vive nas florestas ou nos bosques.

Simetria (Symmetria). Diz-se de um órgão ou parte com pelo menos um plano que o divide em duas partes iguais ou quase iguais.

simpétalo (sympetalus). Com as pétalas ± concrescentes. = gamopétalo.

simples (simplex). Que não é composto; que se não ramifica; que se não divide.

Caule simples: o que não tem ramos.

Folha simples: a que não é composta de folíolos articulados ao pecíolo, mas cujo limbo pode ser ± recortado ou dividido.

Fruto simples: o que resulta do único ovário de uma só flor e que não concresce com outros de flores vizinhas.

simpodial; simpódico (sympodialis). Próprio ou referente ao símpodo.

Símpodo (Sympodum). Tipo de ramificação, em que cada ramo cessa o seu crescimento apical, prosseguindo a ramificação o seu desenvolvimento por meio de uma (ou várias) gema(s) lateral, situada próximo da extremidade desse ramo, de forma que o eixo é constituído pela sobreposição, topo a topo, de segmentos monopodiais unidos pelas extremidades. É próprio da maior parte das árvores florestais planifólias e das árvores de fruto.

Sinândrio (Synandrium). Peça resultante da coesão (aproximação e contacto, sem fusão) de todas anteras de um androceu.

sinantérico (synanthericus; synantherus). Diz-se dos estames com as anteras concrescentes em tubo, como nas Asteraceae (Compositae), ou das flores com este tipo de estames.

sincárpico ( syncarpus ). Composto de dois ou mais carpelos cujas paredes estão fundidas (carpelos fundidos).

sinfilo (synphyllum). Aplica-se a qualquer dos verticilos florais inferiores cujos elementos estão soldados, bem como ao invólucro de brácteas nas mesmas condições. = gamofilo.

singenésico (syngenesus). = sinantérico.

sinistrorso (sinistrorsum). Diz-se do caule volúvel que se enrola da direita para a esquerda, em sentido contrário ao dos ponteiros de um relógio. Para determinar o sentido do enrolamento, o observador deve colocar-se de forma a olhar o caule volúvel do interior da curvatura.

sinsépalo (synsepalus). Com as sépalas ± concrescentes. = gamossépalo.

sintépalo (synteyalus). Com as tépalas ± unidas entre si. = gamotépalo.

sinuado (sinuatus). I – Que tem seios ou sinus ± fundos. II – Diz-se do órgão plano com margem em que alternam partes curvas salientes e curvas reentrantes = repando.

Sinus (Sinus). = seio.

sólido (solidus). Maciço, sem espaço oco. Aplica-se, em especial, a caules desprovidos de medula, com esta muito reduzida ou sem espaço central. Opõe-se, neste último sentido, a fistuloso (v).

solitário (solitarius). Que está isolado, que é único, que não está agrupado com outro ou outros.

Flor solitária: uma só flor na axila da folha ou na extremidade do caule. Opõe-se a inflorescência (v).

Soro (Sorus). Grupo de esporângios das Pteridophyta. A sua morfologia tem valor taxonómico.

Sorose (Sorosis). Infrutescência resultante da fusão de frutos carnudos, na qual o eixo, as peças florais, as brácteas e os pedicelos se tornaram também carnudos (ex. fruto de Ananas comosum, ananás).

-spérmico (spermus). Com semente(s). Usa-se na formação de várias palavras.

mono- (1), di- (2), tri- (3), tetra- (4) ... oligo (poucas), poli (muitas) spérmico: com uma, duas, três, quatro ... poucas, muitas sementes.

sub- (sub-). Prefixo latino que se adiciona a muitos termos para atenuar o significado destes últimos.

subacaule: com caule quase nulo.

subagudo: quase agudo.

subglabro (subglaber): quase glabro, com pêlos muito esparsos.

subséssil: quase séssil, com pecíolo, pedicelo ou pedículo muitíssimo curto.

subalpino (subalpinus). = alpestre.

subarbustivo (suffruticosus). Semelhante a subarbusto, referente a subarbusto.

Subarbusto (Suffrutex). Planta perene, semelhante a um arbusto no seu aspecto e ramificação, mas baixa, geralmente inferior a um metro.

Sub-bosque. Vegetação arbustiva dos bosques e florestas, mais baixa do que árvores.

Súber (Suber). Tecido secundário parenquimatoso, situado à periferia de caules e raízes, com função de protecção mecânica e impermeabilisação; formado internamente pelo câmbio cortical, meristema súbero-felodérmico ou felogéneo. = cortiça

suberoso (suberosus). Que contém súber ou que lembra o súber.

subespontânea (subspontaneus). Diz-se da planta que, trazida acidental ou propositadamente de uma região se adapta noutra multiplicando-se e propagando-se sem intervenção do homem comportando-se como espontânea.

subglabro (subglaber). Com poucos pêlos.

submerso (submersus). Opõe-se a emerso (v). I – Diz-se da planta aquática com todos os seus órgãos mergulhados. II – Também se aplica aos órgãos mergulhados na água de plantas que têm outros flutuantes ou emersos.

subulado (subulalus). Roliço e que estreita da base para o cimo, terminando em ponta fina e aguda, como de sovela. = assovelado.

suculento (succulentus; carnosus). Diz-se das plantas ou partes destas que, devido à abundância de sucos, são muito espessas e carnudas.

Sufrútice (Suffrutex). = subarbusto.

Sufrutescente (suffrutescens). = subarbustivo.

sufruticoso (suffruticosus). = subarbustivo.

Sugador (Haustorium). = haustório.

sulcado (sulcatus). Provido de sulcos ± fundos, ou seja, de depressões estreitas e longitudinais.

sulfúreo (sulphureus). De cor amarelo-pálida, semelhante à do enxofre.

superior (superior). Superfície que se situa mais perto do eixo e mais afastado da bráctea ou da folha axilante.

Lábio superior do cálice ou da corola: o que fica mais afastado da bráctea ou da folha axilante (geralmente em flores bilabiadas).

Página superior da folha: a que encosta ao eixo quando se levanta a folha de encontro a ele. = página ou face ventral, adaxial.

súpero (superus). Diz-se do ovário inserido acima das outras peças florais e livre destas.

Sutura (Sutura). Linha, frequentemente saliente correspondente às margens concrescentes de dois órgãos ou partes contíguas. Aplica-se, em especial, ás linhas de união entre carpelos contíguos.

sutural (suturalis). Diz-se da deiscência que se realiza pela(s) linha(s) de sutura do(s) carpelo(s). V. cápsula septicida.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Tabique (Septum). = septo.

Tálamo (Thalamus). = receptáculo floral de flor simples (não de inflorescência).

tardio (serotinus). = serôdio.

tearâneo (arachnoideus; araneosus) = aracnóide.

Teca (Theca). Cada uma das duas metades de uma antera completa.

Tégmen (Tegmen). Cobertura interna da semente

Tegumento (Tegumentum.). I – O(s) tecido(s) (primina e secundina; raramente três invólucros) que rodeiam o óvulo. IIO tecido da semente propriamente dito. = integumento.

ténue (tenuis). Pouco espesso, delgado.

Tépala (Tepalum). Cada uma das peças do perianto não diferenciado em cálice e corola.

terminal (terminalis). Que se encontra no extremo distal; apical.

Folíolo terminal: o folíolo ímpar do extremo da ráquis da folha composta imparipinulada.

Flor terminal: é a que se encontra no extremo de uma inflorescência definida.

Inflorescência terminal: a que se situa no extremo do eixo da planta.

Terófito (Therophytum). Erva anual, portanto com um só período vegetativo de vida.

terrestre (terrestris). Que cresce no solo; por oposição a aquático, epífito, etc.

Testa (Testa). Cobertura externa rígida e espessa da semente

tetra- Prefixo de origem grega que indica que um órgão ou uma estrutura se encontra repetido quatro vezes.

tetracíclico (tetracyclicus). Aplica-se às flores com quatro verticilos, um de sépalas, outro de pétalas, um terceiro dos estames e o quarto do(s) carpelo(s).

Tétrada (Tetras). Conjunto dos quatro esporos ou dos quatro grãos de pólen enquanto se mantêm juntos depois da meiose. Nas Ericaceae, a tétrada de grãos de pólen nunca se separa.

tetradinâmicos (tetradynamus). Estames em número de seis, quatro maiores e iguais formando dois pares e dois estames menores, também iguais, inseridos entre os dois pares maiores.

Tetraquénio (Tetrachaenium). Fruto formado por quatro aquénios (ou menos por aborto). Aplica-se, particularmente, ao fruto das Boraginaceae e Lamiaceae (Labiatae) o qual é proveniente de um ovário súpero bicarpelar, cada carpelo dividindo-se, originando cada uma das duas partes um aquénio.

tetrástico (tetrastichus). Diz-se de folhas, brácteas, espiguetas, etc. que se dispõem em quatro filas.

Tirso (Thyrsus). Inflorescência compacta com o eixo principal indeterminado, os secundários, determinados ou não (quando são cimeiras), são longos inferiormente tornando-se rapidamente curtos em direcção ao ápice o que confere a forma de losango; panícula compacta e ± composta.

tirsóide (thyrsoideus; thyrsiformis). Semelhante a um tirso.

Toiça (Caudex). Base lenhosa e perene junto ao colo da raiz de algumas plantas vivazes que produz todos os anos os novos caules; pode ser hipógea (v), ao nível do solo ou acima deste.

Tomento (Tomentum). Indumento de pêlos espessos, curtos, enrolados sobre si próprios, cobrindo uniformemente uma superfície.

tomentoso (tomentosus). Coberto de tomento.

tortuoso (tortuosus). Que descreve uma linha quebrada ou sinuosa irregular.

toruloso (torosus; torulosus). ± cilíndrico, mas alternando porções alargadas e estrangulamentos.

Translator (Translator). Apêndices do estigma das Asclepiadaceae onde é recebido o pólen ou à que se prendem as polinídias.

trepador (scandens). Diz-se de plantas cujo caule se mantém erguido por se segurar a suportes por meio de gavinhas, raízes aéreas, espinhos, acúleos, por enrolamento (V. plantas volúveis) ou apenas por encosto.

tri- (tri- ). Prefixo de origem latina que indica que um órgão ou uma estrutura se encontra repetido três vezes; trigonal (V. -gonal), trímero (V. -mero), trinérveo (V. -nérveo), trífido (V. -fido), tripartido (V. -partido), trissecto (V. -secto), etc.

Tricoco (Tricoccus). Fruto esquizocárpico (v), com três mericarpos (cocas). É o fruto do género Euphorbia e de várias outras Euphorbiaceae.

tricotómico (trichotomus). Dividido em três partes inseridas no mesmo ponto, cada uma dividindo-se em outras três e assim sucessivamente.

trienal (triennalis). Aplica-se à maturação da semente que progride durante três anos ou três períodos vegetativos após a floração.

trifoliado (trifoliatus). Folha composta por três folíolos, os quais podem ser todos sésseis ou, pelo menos o terminal, peciolulado (v).

trifurcado (trifurcatus; trifurcus). Dividido em três ramos.

trimorfo (trimorphus). V. heterostilia.

triplinérvea (triplinervis; triplinervius). Diz-se da folha que possui duas nervuras secundárias inseridas junto à base da nervura mediana e quase tão espessas como ela. Não confundir com trinérveo, caso em que as três nervuras se originam no mesmo ponto na base do limbo.

tríquetro (triqueter; triquetrus). Alongado e de secção transversal triangular sendo os ângulos geralmente agudos.

trístico (tristichus). Disposto em três fiadas.

Tronco (Truncus). Caule lenhoso principal das árvores (gimnospérmicas, Magniliidae e algumas Liliidae lenhosas).

tropical (tropicus). Que é próprio das regiões tropicais.

truncado (truncatus). Que termina por uma linha ou plano perpendicular ao comprimento ou à altura.

Tubérculo (I - Tuber; II - Tuberculum). I – Caule com substâncias de reserva, geralmente subterrâneo, suculento, geralmente volumoso, globoso e com depressões onde se situam as gemas (“olhos”) (ex. Solanum tuberosum, batateira). II – Pequenas saliências espessas e arredondadas ou verruciformes na superfície de alguns órgãos.

tuberiforme (tuberiformis). Em forma de tubérculo (na acepção I).

tuberoso (tuberosus). Tendo tubérculos ou semelhante a tubérculo (na acepção I).

Tubo (Tubus). Qualquer corpo oco e ± alongado.

Tubo do cálice, da corola ou do perianto: zona ± tubular do cálice sinsépalo, corola simpétala ou perianto sintépalo em que as peças estão fundidas.

tubular (tubularis). = tubuloso.

tubuloso (tubulosus). Diz-se do perianto sintépalo, cálice sinsépalo ou corola simpétala com tubo muito alongado e limbo (porção livre) curto ou quase nulo.

Túnica (Tunica). Cada uma das escamas largas e envolventes do bolbo entunicado.

turbinado (turbinatus). Em forma de pião, ou seja, obcónico e contraído para o ápice (v).

Turião (Turio). Rebentos de plantas vivazes ou perenes (1) de origem subterrânea como os dos espargos (Asparagus officinalis) ou (2) aéreos, que se desenvolvem na Primavera, como os das silvas (Rubus) com folhas (rudimentares) e sem flores.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

ubiquista. Que ocorre em toda a parte, podendo viver em meios muito diversos.

uliginoso (uliginosus). Que vive nos pântanos ou em terrenos muito húmidos.

Umbela (Umbella). Inflorescência indefinida na qual o extremo do eixo (pedúnculo) se dilata num pequeno receptáculo no qual se inserem, como as varetas de um guarda-sol, um número variável de pedicelos ou pedúnculos secundários aproximadamente do mesmo comprimento (raios), que, ou suportam respectivamente as flores (umbela simples) ou, por sua vez, umbelas secundárias (umbela composta).

umbelado (umbellatus). Que se dispõe em umbela(s).

umbeliforme (umbelliformis). Em forma de, semelhante a, uma umbela.

Umbélula (Umbellula). Cada uma das umbelas secundárias (ou de segundo grau) que formam a umbela composta (v) e que se encontram no extremo de cada raio secundário ou terciário desta.

umbilicado (umbilicatus). Com uma depressão na parte central, em forma de umbigo.

umbroso (umbrosus). I – Diz-se da planta própria dos lugares sombrios. II – Diz-se de lugares sombrios.

uncinado (uncinatus). Que é em forma de gancho ou garra na extremidade.

unguiculado (unguiculatus). Provido de unha (v).

unguiforme (unguiformis). Em forma de unha.

Unha (Unguis). Parte inferior mais estreita das pétalas ou tépalas por onde se faz a sua inserção.

uni- (uni- ). Um(a), com um(a). Utilizado na formação de vocábulos de origem latina quando um órgão ou parte são únicos.

unilocular (v. -locular) ; uniovulado (v. -ovulado); etc.

unifoliolado (unifoliolatus). Diz-se da folha composta com um só folíolo; distingue-se da folha simples pelo facto de o limbo possuir peciolulo, ± desenvolvido, articulado no extremo do pecíolo.

unicaule (unicaulis). Com um só caule. Opõe-se a multicaule.

unilabiado (unilabiatus). Com um só lábio, muitas vezes por aborto. V. labiado.

unilateral. Que se desenvolve apenas para um lado. V. lateral.

uninérveo (uninervis; uninervius). Com uma só, ou aparentemente uma só, nervura.

unípara. V. cimeira.

unissexuado; unissexual (unisexualis). Que tem um só sexo; diz-se da flor que só tem estames ou só carpelos.

univalve (univalvis). V. valve.

urceolado (urceolatus). Oco e em forma de odre, ou seja, subgloboso ou ovóide, subitamente contraído junto à abertura; ocorre em cálices e corolas simpétalas regulares com o tubo globoso e o limbo muito reduzido, erecto ou quase.

Úrnula (Hypanthium). Invólucro em forma de urna resultante da fusão em maior ou menor extensão do receptáculo com a parte inferior do cálice, corola e filetes e no qual fica incluído o ovário; a úrnula pode ou não aderir ao ovário. Na frutificação torna-se ± carnuda. Ex. na Rosaceae.

urticante (urens). Diz-se de pêlos ou sedas com parede mineralizada e quebradiça no ápice, os quais segregam um líquido irritante que injectam quando o ápice se quebra.

utricular (utricularis). Que tem a forma de um utrículo (v).

Utrículo (Utriculus). I – Folhas ou segmentos foliares transformados em forma de vesícula no género Utricularia. = ascídia. II – Invólucro em que está encerrada a flor feminina e posteriormente o aquénio no género Carex.

utriculoso (utriculosus). Que possui utrículos.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Vagem (Legumen). Fruto seco, geralmente deiscente e polispérmico, proveniente de um ovário súpero, unicarpelar, em que as sementes estão inseridas na sutura carpelar.

Valécula (Vallecula). Sulco compreendido entre duas costas primárias contíguas dos frutos das Apiaceae (Umbelliferae).

valecular (vallecularis). Respeitante ou pertencente a valécula(s).

Canais valeculares: canais secretores oleíferos que se encontram na zona do fruto correspondente às valéculas (em Apiaceae, Umbeliferae).

Valva (Valva). I – Cada uma das peças em que se abrem longitudinalmente as cápsulas, vagens e outros frutos secos e deiscentes. II –Tépalas acrescentes do perianto das espécies do género Rumex.

valvar (valvaris; valvatus). I – Que possui valvas ou que é deiscente por valvas. II – Folheatura e prefloração em que as peças contíguas contactam apenas pelas margens, sem qualquer sobreposição.

-valve (-valvis). Usado na formação de vocábulos referentes ao número de valvas de uma cápsula.

uni- (1), bi- (2), tri- (3),  quadri- (4), quinque (5) valve ... com uma, duas, três, quatro, cinco ... valvas.

Válvula (Valvula). Pequena tampa da parede dos lóculos das anteras ou das cápsulas que se levanta de baixo para cima, originando um orifício por onde se faz a deiscência.

valvular (valvularis). Que possui válvula(s) ; que se processa por válvulas.

variegado (variegatus). Com manchas de cores diversas irregularmente dispostas.

vascular (vascularis). I – Relativo aos vasos ou tecidos de transporte. II – Diz-se da planta que possui vasos.

Vaso (Vas). Células de xilema, alongadas e de lumén vazio por onde circula a seiva bruta.

vegetativo (vegetativus). Que desempenha funções vegetativas não estando envolvido na reprodução sexuada.

velutino (velutinus). Coberto de pêlos curtos, densos, macios e erguidos dando o aspecto de veludo. = aveludado.

ventral (ventralis). Situado no ventre ou pertencente ao ventre. Nos órgãos com simetria dorsiventral, aplica-se à face oposta ao dorso.

Sutura ventral dos carpelos: linha de união das margens enroladas dos carpelos.

Página ventral da folha: página adaxial ou face superior.

ventricoso (ventricosus). Mais pronunciadamente dilatado num lado do que noutro.

ventrudo. Dilatado, inchado como um ventre.

Vénula (Venula). Nervura de última ordem, muito fina. = nérvulo.

venoso (venosus). V. nervoso.

Verdasca. Ramo ou vara delgada e flexível, geralmente verde.

verdascoso. Semelhante a verdasca (v).

Vergôntea (Virga). = rebento.

vermicular (vermicularis). Em forma de verme, ou seja, quase cilíndrico e com anéis ou ondulações irregulares marcadas transversalmente.

Vernação (Vernatio). = prefolheação, folheatura.

vernal (vernalis). Que se forma, desenvolve ou floresce na Primavera.

verruciforme (verruciformis). Semelhante a verruga.

Verruga (Verruca). Saliência ± arredondada e rugosa, à superfície de alguns órgãos.

verrugoso (verrucosus). Provido de verrugas.

versátil (versatilis). Diz-se das anteras que oscilam livremente por se fixarem pela parte mediana ao ápice do filete.

versicolor (versicolor). Que altera de cor à medida que se desenvolve ou que envelhece.

verticilado (verticiltatus). Que se dispõe em verticilo.

Verticilastro (Verticillaster). Falso verticilo constituído por um par de cimeiras ± contraídas inseridas na axila de brácteas opostas (ex. nas Lamiaceae).

Verticilo (Verticillus). Disposição circular de órgãos similares em torno de um nó num eixo.

Vesícula (Vesicula). Pequena empola ou bolha repleta de gás ou líquido.

vesicular (vesicularis). Em forma de vesícula (v); pertencente a, próprio de, vesícula.

vesiculoso (vesiculosus). Provido de vesículas.

vespertino (vespertinus). Aplica-se às flores que abrem ao pôr-do-sol.

vestigial (vestigialis). Pouco desenvolvido, rudimentar (v).

vexilar (vexillaris). Pertencente ou relativo ao vexilo.

Prefloracão vexilar: prefloração da corola papilionácea, em que o estandarte ou vexilo é exterior às outras quatro pétalas.

Vexilo (Vexillum). = estandarte (v).

viloso (villosus). Provido de pêlos longos, macios, direitos ou sinuosos, não muito densos, patentes ou subpatentes e não entrecruzados.

violáceo (violaceus). Da cor da violeta; roxo com predomínio do tom azul.

violino (panduriformis). Laminar, oblongo, arredondado nos extremos e com um estrangulamento pouco acentuado na parte mediana ou abaixo desta, assemelhando-se ao tampo de um violino. = panduriforme (v).

virescente (virescens). Que passa de corado ou branco a verde; que se torna verde.

viroso (virosus). Venenoso, de cheiro desagradável.

víscido (viscidus). Glutinoso, pegajoso. = viscoso (v).

viscoso (vircosus). = víscido (v).

vivaz (perennis). Que vive mais do que dois anos.

vivíparo (viviparus). Aplica-se à planta que produz órgãos de multiplicação vegetativa, tais como, bolbilhos, gemas adventícias, etc., ou sementes que se desenvolvem antes da dispersão, enquanto ainda ligadas à planta-mãe.

volúvel (volubilis). Diz-se da planta trepadeira ou do seu caule que se enrola em hélice sobre um suporte.

vulnerante. Aguçado e ríjido, podendo ferir.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

Xerófito (Xerophytum). Planta adaptada aos climas secos ou com um período de seca maior ou menor, que pode, portanto, viver com pequenas quantidades de água.

A B C D E F G H I J L M N O P Q R S T U V X Ztopo

letras capitais do glossario

zigomórfico (zygomorphus). Com um só plano de simetria, ou seja, com simetria bilateral; aplica-se a corolas.

zoocórico (zoochorus). Diz-se da planta cuja disseminação é feita por intermédio de animais.

zoófilo (zoophilus). Polinizado por intermédio de animais.

© University of Coimbra · 2009
Portugal/WEST GMT · S:147
Símbolo de Acessibilidade à Web.Loja VirtualAviso LegalComentáriosContactosMapa do Sitevoltar ao topo
POS_C FEDER
QWeb Boas Praticas