a carregar...

CEIS20

Núcleo Património e Humanidades Digitais

Linhas de investigação

Os conteúdos Históricos e Patrimoniais e os novos meios

A evolução das tecnologias da informação e comunicação trouxe novas formas de veicular conteúdos, caracterizadas pela difusão global e instantânea, a mobilidade do seu consumo, a interactividade e a natureza adaptativa ao contexto de comunicação.

Modifica-se assim a relação dos indivíduos com o seu património identitário (a sua história, a história das diferentes comunidades a que pertencem, o seu património literário e artístico, o espaço que os rodeia, as redes sociais que integram) na natureza interactiva ou comunitária dos novos ambientes (jogos,ambientes de aprendizagem, aplicações móveis, redes sociais digitais).

Este processo de transformação implica um reflexão profunda, crítica e fundamentada sobre os processos de criação e adaptação de conteúdos e representações dentro dos novos meios. Esta dimensão tem uma forte implicação económica uma vez que a indústria dos conteúdos, e as indústrias culturais em geral, estão a ser fortemente dinamizadas e desafiadas pelas novas possibilidades criadas pela evolução tecnológica. Tem também impacto nas formas como se ensina a História e nos modos como os repositórios de informação patrimonial (arquivos, museus, bibliotecas) disponibilizam os seus conteúdos nos novos meios.


Conceitos e Métodos Informáticos em investigação Histórica e Patrimonial

A um nível metodológico a informática tem produzido ferramentas que trazem novas possibilidades e perspectivas à investigação em Ciências Sociais e Humanas. Simetricamente, as Ciências Sociais e Humanas analisam problemas e estudam questões que acrescentam dimensões cognitivas, afectivas e relacionais à experiência dos meios digitais e à construção da cidadania digital, possibilitada pelos avanços da informática.

Desde as questões pedagógicas relativas à educação com e para os media e novas tecnologias, à fundamentação pedagógica relativa à construção de ambientes virtuais de aprendizagem, ao desenvolvimento de processos conducentes à literacia digital, à análise de redes sociais, à simulação de sistemas complexos, passando pelas técnicas ligadas aos sistemas de informação geográfica, estamos perante um conjunto enorme de novas possibilidades, de novas perspectivas sobre antigos problemas, que necessitam de um contexto interdisciplinar intenso e pessoas especialmente preparadas para esses desafios.