a carregar...

RÓMULO CCVUC

RÓMULO – Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra

"O Número de Ouro"

Tópicos: Escolhas de Carlos Fiolhais, O número de ouro : a história de Φ, o número mais assombroso do mundo, Mário Livio, Carlos Fiolhais.

1 de Fevereiro 2013
ecf_o_numero_de_ouro_capa.jpg


Autor: Mario Livio
Título: O número de ouro : a história de Φ, o número mais assombroso do mundo
Editor:
Gradiva
Ano: 2012
Assunto: Número (simbolismo)

Esta obra encontra-se disponível nas Bibliotecas da Universidade de Coimbra.

SINOPSE DO LIVRO

«Um trampolim maravilhoso para o extraordinário mundo da matemática e da sua relação com o mundo físico tal como encaradas da Antiguidade aos tempos modernos.» Roger Penrose

Neste livro fascinante, Mario Livio conta a história do número fi. A curiosa relação matemática, geralmente conhecida como «número de ouro», foi definida por Euclides há mais de dois mil anos devido ao papel crucial que desempenha na construção do pentagrama, a que se atribuíam propriedades mágicas. Desde então, surgiu nos sítios mais espantosos: em conchas de moluscos, girassóis, cristais de certos materiais e formas de galáxias. Há quem diga que os criadores das Pirâmides e do Parténon a empregaram e crê-se que esteja presente nos quadros Mona Lisa de Leonardo da Vinci e O Sacramento da Última Ceia de Salvador Dalí, além de estar supostamente relacionada com o comportamento das bolsas.

O Número de Ouro conta ainda as histórias de pessoas que viveram obcecadas com o fi, dos discípulos de Pitágoras ao astrónomo Johannes Kepler e a personalidades recentes como Debussy, Le Corbusier e Bartók. Onde quer que a demanda do significado de fi o leve, Mario Livio – conjugando a matemática e a arte – revela o mundo como um local onde a ordem, a beleza e o mistério sempre coexistiram.

AUTOR DO LIVRO

Mário Livio é astrofísico sénior do Hubble Space Telescope Science Institute. Escreveu vários livros de divulgação científica e centenas de artigos que foram publicados em revistas especializadas, é grande amante de arte, e é orador frequente em locais como a Smithsonian Institution, o Cleveland Museum of Natural History, o Hayden Planetarium e o Maryland Institute College of Art. A sua capacidade comunicativa já lhe valeu várias distinções internacionais enquanto divulgador científico.