a carregar...

UC.PT

Imprensa da Universidade

Mudanças no uso do solo *

Mudanças no Uso do Solo

Autores: António Campar de Almeida; Adélia Nunes; Albano Figueiredo
Língua: Português
ISBN: 978-972-8074-96-6
ISBN Digital: 978-989-26-0366-7
DOI: http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0366-7
Editora: Imprensa da Universidade de Coimbra
Edição: 1.ª
Data: Julho 2009
Preço: 7,35 €
Dimensões: 240 mm x 170 mm
N.º Páginas: 99

Sinopse:

No Interior Centro e Norte de Portugal desencadeou-se, nas últimas décadas do passado século, um fenómeno de acentuado abandono agrícola, com importantes alterações na ocupação e cobertura vegetal do solo. Essas mudanças devem-se, principalmente, ao processo de esvaziamento demográfico das áreas rurais, em consequência do enorme surto migratório, mas também à retirada de terras de produção (set-aside), favorecida pela Política Agrícola Comum. Os principais objetivos deste livro centram-se na avaliação das consequências resultantes do abandono dos campos de cultivo ao nível do coberto vegetal, resposta hidrológica (escoamento superficial vs. infiltração) e erosão de solos.

A metodologia utilizada consistiu na seleção de áreas-amostra representativas de diferentes etapas de abandono, na avaliação da estrutura do coberto vegetal e na monitorização da respetiva resposta hidrogeomorfológica. Nesse sentido, foram avaliados ou monitorizados vários parâmetros físico-químicos dos solos assim como da respetiva vegetação.

Com o abandono dos campos de cultivo inicia-se um processo de colonização vegetal que converge para uma reflorestação espontânea, num espaço de tempo que pode ser bastante variável, em função de fatores como as características edáficas, o clima, a topografia, as ações humanas subsequentes (pastorícia ou exploração de lenha) ou outras perturbações como os fogos florestais. Além de promover efeitos na composição e estrutura da vegetação, o abandono dos campos ocasiona, ainda, alterações físico-químicas nos solos e, por conseguinte, na respetiva resposta hidrogeomorfológica. A aquisição das melhores condições físico-químicas verifica-se com a evolução espontânea para carvalhal em recuperação e, em especial, para carvalhal adulto. As pastagens também se mostraram favoráveis, embora em menor grau, assim como os pinhais que já apresentam retrocesso quanto a algumas daquelas características.

carrinho3