a carregar...

UC.PT

Imprensa da Universidade

A quarta missão da universidade: internacionalização universitária na sociedade do conhecimento

capa Quarta Missão

Autores: Fernando Seabra Santos; Naomar de Almeida Filho
Língua: Português
ISBN:
978-989-26-0268-4 (IUC)/978-85-230-1038-6 (UnB)
ISBN Digital: 978-989-26-0573-9
DOI:
http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0573-9
Editora:
Imprensa da Universidade de Coimbra
Edição:
1.ª
Data:
Setembro 2012
Preço:
10,00 €
Dimensões:
240 mm x 170 mm
N.º Páginas:
237

Sinopse:

Constituindo uma vasta rede de mais de 17.000 nós, vinculadas na sua diversidade aos princípios que há séculos lhes conferem uma assinalável estabilidade, falando uma mesma linguagem de racionalidade e de diálogo, as universidades poderão tirar partido destas suas características e potencialidades e utilizá-las ativamente como instrumento para a constituição de espaços supranacionais integrados do conhecimento, no plano daquilo que aqui se considera uma nova e nobre missão: a diplomacia cultural universitária. De certa forma, o rejuvenescimento institucional associado à emergência desta quarta missão está para a crise da “Universidade pós-moderna” como a terceira missão esteve para a crise da “Universidade Torre de Marfim”, ou como a segunda missão para a crise da “Universidade escolástica”.

A perspetiva alargada que se apresenta da internacionalização pretende fornecer aos dirigentes universitários e às comunidades académicas interessadas um novo instrumento para elaboração dos seus planos e projetos, para realização das suas políticas e para concretização das suas estratégias institucionais. Tal perspectiva pode abrir às universidades uma nova dimensão para a afirmação do seu prestígio e da sua autonomia nas sociedades contemporâneas, valorizadoras do património imaterial, cada vez mais representado pelas ciências e pelas culturas, e dos signos de desenvolvimento orientados pela tecnologia, inovação e criação. Portanto, em vez de perdermos tempo à procura das respostas que o mundo já deu, ou de travarmos guerras que já começam perdidas, ou de nos remetermos, impotentes, ao lugar de mero espectador, ressentido, reativo e ácido, ao sabor dos acontecimentos e por eles conduzido, o caminho que propomos seguir é o de tentar compreender, interpretar e dominar o movimento para o poder condicionar ou mesmo dirigir. A história dessa intrigante invenção chamada universidade (como dizia Kant, iluminista) somente nos tem dado motivos de otimismo, realista e esperançoso, no seu futuro, e no da sua quarta missão.

Sumário - PDF

carrinho3