a carregar...

UC.PT

Imprensa da Universidade

Esta danada caixa preta só a murro é que funciona: CITAC 50 anos *

Esta danada caixa preta só a murro é que funciona

Autores: CITAC - Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra
Língua: Português
ISBN: 972-8704-97-6
ISBN Digital: 978-989-26-1147-1
DOI: http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-1147-1
Editora: Imprensa da Universidade de Coimbra
Edição: 1.ª
Data: Setembro 2006
Preço: 50,00 €
Dimensões: 275 cm x 275 cm
N.º Páginas: 200


Sinopse:

"Este livro foi roubado ao caos. Um caos de ideias de pessoas de arquivos. Um caos herdado e fecundo. Avizinhavam-se os 50 anos do nosso Círculo e importava pensá-lo, aproximar todos os que o construíram, que foram CITAC. E, sobretudo, urgia soterrarmo-nos nas histórias, nos programas, na correspondência, nas fotografias, nos Cadernos de Teatro, nos recortes de jornais, nos vídeos e nas gravações, para encontrar o fio trespassador e roubá-lo ao esquecimento. Começou a desenhar-se em nós sob a forma de uma revista comemorativa, desenho que foi crescendo até parecer que não nos cabia nas mãos. Quando demos por nós a revista era um livro, veio o designer e com ele o conceito de objeto-livro. Haveria lugar para a música e para as imagens em movimento, registos de ensaios e de espetáculos, as bandas sonoras criadas só para nós, outra forma de memória que não a de papel. Mas por vezes não basta o desejo, é preciso acreditar, e o desapego de alguns prende os outros ao chão. Não se perdeu totalmente o objeto-livro imaginado, mas adequou-se ao nosso possível, não deixando nunca de ser o nosso espelho. Do livro podemos dizer que o pensámos diviso em décadas para o tornar simples, mapa-guia de uma viagem circular; sabendo porém o quão artificial esta divisão possa parecer. Cedo nos confrontámos com a dualidade intrínseca a todos os processos no CITAC, onde o tortuoso e a alegria andam a par e par. O vazio de informação, a falta de pedaços e de contactos correspondentes a determinadas alturas, eram portadores de impotência, assim como, a descoberta de uma história, de uma intriga com trinta anos, de uns esboços impossíveis, ou de uma voz surpreendida por o CITAC se ter lembrado dela, deixou-nos a vontade de ter vivido tudo isto. Fica a mágoa de não termos podido chegar a todos.(…)” - CITAC

carrinho3