a carregar...

UC.PT

Imprensa da Universidade

Orações de sapiência 1548-1555

Orações de Sapiência

Estabelecimento do texto latino, introdução, tradução e notas: Maria José Pacheco; Maria Helena da Rocha Pereira; Maria Manuela P. P. D. Alvelos; Albino de Almeida Matos; António Guimarães Pinto; Sebastião Tavares de Pinho (prefácio e organização)
Língua: Português/Latim
ISBN: 978-989-26-0099-4
ISBN Digital: 978-989-26-0448-0
DOI: http://dx.doi.org/10.14195/978-989-26-0448-0
Editora: Imprensa da Universidade de Coimbra
Edição: 1.ª
Data: Outubro 2011
Preço: 36,67 €
Dimensões: 170 mm x 240 mm
N.º Páginas: 555

Sinopse:

Ocupam este livro seis orações de sapiência quinhentistas, escritas e pronunciadas no âmbito da Universidade de Coimbra, segundo o costume já então secular da tradição e dos estatutos universitários, que as prescreviam por ocasião de festividades escolares, como eram a concessão de graus académicos ou atos inaugurais de instituições e de especiais atividades escolares.

Neste caso trata-se de orações De Sapientia inaugurais. A primeira, da autoria do humanista francês Arnaldo Fabrício, foi pronunciada em 21 de Fevereiro de 1548 para assinalar a inauguração do Colégio das Artes da Universidade de Coimbra. As cinco restantes foram apresentadas na inauguração do ano académico da própria Universidade em 1 de Outubro dos anos de 1548, 1550, 1552, 1554 e 1555, a cargo, respetivamente, dos oradores Belchior Beleago, Pedro Fernandes, Hilário Moreira, Jerónimo de Brito e António Pinto.

O motivo de as reunir no presente volume reside, pois, não apenas no facto de elas respeitarem a um só modelo oratório e temático, mas também por estarem centradas num único espaço institucional e numa unidade de tempo quase sequencial a partir da fundação do Real Colégio da Artes, que, depois da reforma e definitiva fixação da Universidade Portuguesa em Coimbra por D. João III onze anos atrás, representa um dos maiores investimentos culturais que o poder régio fez no século XVI.

É indiscutível o interesse científico e cultural que estes textos representam para o estudo da literatura em geral e, em particular, do modelo oratório, para a história do sistema educativo pré-universitário e para o conhecimento da estrutura do ensino superior e das várias ciências e saberes que, no século XVI, as suas Faculdades se propunham ministrar. E esta é mais uma das boas razões que justificam a publicação bilingue desta coletânea de orações da sapiência.

Sumário - PDF

carrinho3