Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Biblos nº 1 - 3ª série

biblos1serie3

Diretor: José Pedro de Matos Paiva
Coordenador do volume: Rita Marnoto
Língua: Português
ISSN: 0870-4112
ISSN Digital: 2183-7139
DOI: http://dx.doi.org/10.14195/0870-4112_3-1
Editora: Imprensa da Universidade de Coimbra
Data: 2015
Dimensões: 160 mm x 230 mm
N.º Páginas: 464

Sinopse:

O número 1 desta 3.ª série de Biblos. Revista da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra dedica o seu dossiê temático a uma reflexão e a um debate acerca do significado e da presença das Humanidades no mundo contemporâneo, designadamente na esfera da investigação, do ensino, das inter-relações disciplinares e, de uma forma mais ampla, da cultura global. O tema do valor das Humanidades é pois abordado a partir de perspetivas que vão da pedagogia, à história, ao jornalismo, ao pensamento científico ou à literatura, à luz uma multiplicidade de olhares.
Etimologicamente, a palavra Humanidades tem na sua base o latim humus, que significa terra e que também deu homem, o que mostra bem a fecundidade do campo que assim se abre à discussão.
O debate em torno do conceito de Humanidades a que em tempos mais recentes se tem vindo a assistir, e que acusa desenvolvimentos decisivos, coincide também com grandes avanços no domínio das tecnologias. Numa época em que o funcionalismo a-histórico, acrítico e mecanicista se insinua como mediação hegemónica do conhecimento, as novas Humanidades assumem um papel vital, com aquela recuperação do político que plasma a necessidade gregária da memória de quem pertence à polis, da sua história, das suas línguas, das suas culturas, da sua arte e de todas as suas formas de expressão.
Por conseguinte, a transposição das fronteiras entre as várias áreas disciplinares, através de uma reflexão que pondere os seus cruzamentos, erige-se também condição do respetivo desenvolvimento. Ora, as Humanidades desempenham um papel essencial nesse quadro, enquanto charneira de organização dos saberes. Articulam a relação entre o local e o global, reconhecendo especificidades geográficas, antropológicas e linguísticas, e, da mesma feita, articulam a relação entre o corpo, o intelecto e os sentidos, entre as tecnologias, as artes e as dimensões culturais que lhes são inerentes.
A este conjunto de questões, é dedicada a série de artigos que fazem parte do dossiê sobre O valor das Humanidades, bem como o depoimento de Lídia Jorge sobre A defesa das Humanidades e a entrevista de Eduardo Lourenço Sobre nós: leituras da história, do outro e do vazio hoje, ao que se acrescenta ainda uma rubrica de recensões de livros.

O Valor das Humanidades de Rita Marnoto

downloadebook