a carregar...

Destaque

Porta AbertaObjetiva_









 



Um ano de UCV a mostrar-lhe a UC

A UCV – Televisão Web da Universidade de Coimbra assinalou o seu primeiro aniversário. 21 de novembro de 2010 marcou um ponto de viragem na Universidade de Coimbra, que através de um projeto audacioso abriu as portas do universo UC ao mundo.

A criação da UCV não aconteceu por acaso. O aniversário coincide com o  Dia Mundial da Televisão e após o primeiro ano de atividade, Clara Almeida Santos, vice-reitora para a Cultura e Comunicação da Universidade de Coimbra e Diretora da UCV, considera a criação da Televisão Web da UC o ponto alto deste primeiro ano de vida. “Acho que o grande milagre foi mesmo colocar a UCV em funcionamento. Eu acho que esse é o ponto alto, foi quando se passa da ideia e do projeto, a uma concretização material, e ver quando o projeto se transforma em sonho realizado. Portanto, acho que o grande momento foi de facto entrarmos no ar já há um ano”.

A vice-reitora considera que o “foi um ano muito gratificante, sobretudo trabalhar com uma equipa tão dinâmica, e tão produtiva – que se vê, temos mais de 700 peças feita num ano, que estão disponíveis no arquivo da UCV e muitas delas serviram também para alimentar a página central da Universidade”. “Acho que melhorámos muito na qualidade e no profissionalismo com que fazemos a produção da UCV e é uma marca que está a afirmar-se, penso eu, dentro da comunidade universitária. Sobretudo conseguimos, penso eu, cumprir o objetivo de melhorar a comunicação externa da Universidade, mostrando que somos uma instituição que é antiga, mas que não é velha. Uma casa antiga, com ideias novas”, acrescenta.

A opinião é partilhada por Henrique Madeira. O vice-reitor para a Inovação, Recursos Humanos e Novos Públicos da Universidade de Coimbra, esteve na origem do projeto e diz que há um ano atrás conseguiu “imaginar a UCV como ela é hoje, que é uma janela importante para a Universidade, que mostra o que se faz na Universidade. Mostra de uma maneira criativa, moderna, envolvente e essencial para criar uma imagem positiva da Universidade, uma imagem de uma Universidade moderna, uma Universidade que se reinventa, que é inovadora e que consegue conciliar isso com a Universidade que nós conhecemos que tem uma marca de história, de cultura, que nos é muito cara”.

Para já, resta perspetivar o futuro e o panorama afigura-se bastante positivo. “O próximo ano vai ser um ano muito desafiador, porque a UCV vai crescer e vai transformar-se no Centro de Produção de Conteúdos da Universidade de Coimbra. Vamos mudar de casa, vamos instalar um estúdio novo na Casa das Caldeiras, até ao fim deste ano. E estamos muito animados, esperamos estar à altura das expectativas que nós próprios estamos a criar”, diz Clara Almeida Santos. Por sua vez, Henrique Madeira perspetiva “uma UCV ainda muito mais apelativa, muito mais interessante, porque o desafio ainda só agora é que começou”.

UCV: um ano de mudança

A UCV surge em 2010 com dois objetivos fundamentais. Se por um lado, se pretendia que este fosse um espaço de aprendizagem nas áreas de jornalismo e multimédia; por outro a UCV assume-se como uma janela para as inúmeras atividades que todos os dias acontecem na Universidade de Coimbra.

Durante um ano, a UCV revelou ao mundo a dinâmica e excelência que caraterizam a Universidade de Coimbra. Diariamente forma publicados diversos conteúdos informativos no endereço web da UCV. Além de um bloco informativo diário, a UCV realizou e transmitiu centenas de peças, reportagens e entrevistas, bem como transmissões de eventos em direto – de que foram exemplo os Doutoramentos Honoris Causa de personalidades como Lula da Silva, Amartya Sen, António Damásio ou Xanana Gusmão.

Clara Almeida Santos destaca o papel da UCV na divulgação e promoção do que se faz na Universidade de Coimbra. “Acho que a UCV pretende ser uma janela sobre esse universo. Evidentemente que sabemos que as janelas têm limitações, têm molduras, têm ângulos de visão que permitem ver umas coisas e não ver outras, mas queremos sobretudo que essa janela seja cada vez mais alargada e, de facto, permitir que as pessoas conheçam o que se faz na Universidade de Coimbra e não só dentro da própria Universidade, que é uma instituição muito grande, com três polos. Saber o que se vai fazendo de melhor na investigação, na cultura. Acho que é essa a missão fundamental da UCV, é esse o papel que ela desempenha, melhorar a comunicação interna e externa. Ao promovermo-nos uns aos outros estamos a promover também a Universidade”.

Um ano de vida é sinónimo de evolução para a Televisão Web da UC a vários níveis. “As árvores conhecem-se pelos frutos”, começa por dizer Clara Almeida Santos. “E acho que quem acompanhou a UCV desde o princípio percebe que desde logo a nível técnico, houve uma evolução muito grande. A nível da maneira como acertamos a linguagem da UCV, a nível formal, dos planos, da composição de imagem, do ritmo das peças, daquilo que é estética da UCV. Portanto a nível formal acho que houve uma evolução que se nota, quem vê o arquivo e vê as primeiras peças, vê a evolução”, continua.

A Diretora da UCV destaca ainda o empenho da equipa ligada ao projecto e acrescenta: “Também a nível da nossa capacidade de trabalho, acho que a equipa é extremamente dedicada e empenhada e, portanto – a nível do fluxo, do débito de trabalho que a UCV tem sido capaz de realizar – conseguimos alimentar também a página principal da Universidade de Coimbra (quer em português, quer em inglês). É importante a UCV, em conjunto com a Divisão de Identidade, Imagem e Comunicação, conseguir também traduzir algumas peças para inglês e mostrar a todos que nos procuram”, o que de melhor se faz na Universidade. “A página central da Universidade tem dois milhões de visitantes por ano, portanto creio que muitos deles conseguirão absorver melhor a imagem da Universidade graças a UCV”.

Em dia de aniversário, a UCV lançou uma nova versão da página web (http://www.uc.pt/ucv), uma mudança que a vice-reitora considera “muito bem conseguida”, considerando que “o nosso site está mais apelativo, mais sedutor e isso também é uma grande transformação, uma grande evolução”. A «nova cara» da UCV é o resultado da relação que a Televisão Web da UC pretende estabelecer com os estudantes, uma vez que foi “desenhado por uma pessoa de Engenharia Informática, um estudante que está a fazer mestrado e o trabalho na UCV faz parte do seu projeto”, revela.

Para a vice-reitora a solicitação crescente da UCV para realização de novos trabalhos “é também prova do profissionalismo que a comunidade nos reconhece”.

E a aventura ainda agora começou…

Mas e planos para o futuro?! “O grande desafio agora, se calhar são dois níveis de desafio”, diz Clara Almeida Santos. “Primeiro, é tentar que este projeto seja um projeto o mais possível sustentável, ou seja, que consigamos criar um modelo de negócio que permita suportar, pelo menos uma parte substancial dos custos da produção de conteúdos. Por outro lado, é precisamente fazer com que este espaço seja cada vez um espaço de extensão pedagógica, já não só dos cursos relacionados com a Faculdade de Letras, mas alargando esse espaço laboratorial – como lhe chamo é um espaço de experiência e que seja catalisador de criatividade, de imaginação, de tudo quanto os estudantes também podem trazer de melhor, que é a sua capacidade de transformar, de criar, de imaginar mundos novos”, explica. Para já estão a ser apuradas parcerias, nomeadamente com a TVAAC (Secção de Televisão da Associação Académica de Coimbra) e com o VITEM TV (Vídeos para uma vida saudável).

Mas a grande novidade reside na futura mudança de instalações. Futuramente a UCV vai passar a funcionar na Casa das Caldeiras.

Para assinalar o aniversário, a UCV promoveu uma conferência sob o tema “Aprender a mostrar: televisões web nas universidades", que contou com a participação de Emma Camarero, da Universidade de Salamanca, e Clara Almeida Santos. O Anfiteatro IV da Faculdade de Letras serviu de palco para a iniciativa que se debruçou essencialmente sobre os modelos já existentes de Televisões Web Universitárias e as suas especificidades, tendo obviamente sido dirigido um convite aos estudantes participantes para integrarem a UCV, um projeto já com provas dadas de sucesso.

De lembrar ainda, que no passado mês de outubro a UCV acolheu um encontro do Observatório Telescopi por ter sido considerada uma Boa Prática em direção estratégica no ensino superior.

A festa não terminou sem que a «família UCV» soprasse as velas e ouvisse cantar os parabéns. Uma coisa é certa a UCV tem já o seu lugar cativo no Universo UC e a aventura está apenas a começar.

“Parabéns UCV!”

Por Júlia de Sousa



Reportagem UCV