Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Jacinto de sousa e a criação do Observatório Meteorológico e Magnético da Universidade de Coimbra

Em resposta à forte corrente de desenvolvimento e criação de institutos dedicados à observação e estudo dos fenómenos atmosféricos e geomagnéticos, que atravessava boa parte dos países europeus desde o final da primeira metade do séc. XIX, foi criado, em 1864, o Observatório Meteorológico e Magnético da Universidade de Coimbra (OMMUC). À frente de tão marcante empreendimento esteve Jacinto de Sousa (1818-1880), à época, lente e director do Gabinete de Física da Faculdade de Filosofia. Após missão, em 1860, a vários estabelecimentos científicos da Europa, viu aprovado pelo Conselho da Faculdade um voto de confiança para levar a cabo a construção do observatório, “que há muito devera funcionar em Coimbra”. Este viria a ser construído segundo o modelo do conceituado Observatório de Kew, pois foi aqui que Jacinto de Sousa e o projecto que o animava encontraram o entusiasmo de geofísicos ilustres como Balfour Stewart (1828-1887) e Edward Sabine (1788-1883). As observações meteorológicas e geomagnéticas foram iniciadas pela própria mão de Jacinto de Sousa, que justamente tinha sido conduzido a primeiro director do OMMUC; lugar que ocupou desde Fevereiro de 1864 até à sua morte em Agosto de 1880. O presente estudo visa assim subsidiar o conhecimento da obra de Jacinto de Sousa e do contexto institucional e científico que conduziram à fundação do OMMUC, que viria a marcar o desenvolvimento das ciências geofísicas na Universidade de Coimbra.