Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

A organização das efemérides astronómicas do OAUC

A ORGANIZAÇÃO DAS EFEMÉRIDES ASTRONÓMICAS DO OAUC

O 1º volume (1803) compreende o seguinte:

- «Regulamento do Observatório Real da Universidade de Coimbra» (C. R. de 4-12-1799) (voltaria a ser impresso no volume 11 (1814);

- Épocas principais; sinais e abreviaturas; eclipses do ano 1804 e errata;

- 'Folhas Mensais', com as efemérides correspondentes a cada um dos meses do ano;

- «Taboas Auxiliares para uso destas Efemérides, e para o cálculo das Longitudes» (22 tabelas);

- Catálogo das estrelas principais reduzidas ao primeiro de Janeiro de 1805;

- «Explicação e uso dos Artigos principais destas Ephemerides e das Taboas auxiliares publicadas neste volume»;

- «Cálculo das Longitudes»;

- «Cálculo dos Eclipses» e «Aplicação do método antecedente ao cálculo dos eclipses da Lua»;

- «Táboa do encurtamento dos semidiâmetros do Sol, e da Lua, causado pela Refracção»;

- «Taboas de Marte para o Meridiano do Observatório Real da Universidade de Coimbra».

Os volumes seguintes seguem genericamente a mesma organização das matérias (diferindo no conteúdo dos artigos científicos). A partir do volume III (1805) passam a ser incluídas duas extensas tabelas, uma com informação sobre longitudes de vários lugares da Terra – «Tábua da diferença dos meridianos dos Lugares principais da Terra, relativamente ao Observatório da Universidade de Coimbra com as suas Latitudes, ou Alturas do Pólo» –, e outra com informação geográfica de vários portos e locais da orla costeira de vários mares e oceanos do globo – «Tábua Cosmográfica dos Portos, Cabos, Ilhas, e Lugares das Costas Marítimas do Orbe terráqueo, pela ordem das mesmas Costas com as suas Latitudes, e Longitudes contadas do meridiano do Observatório da Universidade de Coimbra». São também publicadas algumas observações astronómicas realizadas tanto no OAUC, como noutros observatórios e locais. A partir do volume 9 (1812) passa a ser incluída a lista dos astrónomos responsáveis pelos cálculos, «Pessoas efectivamente empregadas nos trabalhos das Ephemerides, com a declaração dos cálculos pertencentes a cada um».

As efemérides astronómicas são calculadas a partir de tabelas astronómicas e a construção destas últimas depende da íntima conjugação das previsões teóricas com os dados observacionais, dos quais depende a identificação das irregularidades dos movimentos dos astros que a própria teoria prevê. Nos finais do século XVIII as tabelas astronómicas mais precisas haviam sido publicadas por Lalande na 3ª edição do seu Astronomie (1792). As primeiras EAOAUC são calculadas usando precisamente estas ‘Tables Astronomiques’, de Lalande, exceptuando as efemérides de Marte que são calculadas usando umas tabelas elaboradas pelo próprio Monteiro da Rocha (e publicadas no primeiro volume das próprias EAOAUC – ‘Taboas de Marte para o Meridiano do Observatório Real da Universidade de (1803). Em 1806 o Bureau des Longitudes francês publica umas tabelas do Sol e da Lua da autoria de Delambre e de Johann Tobias Bürg (1766-1835) [Delambre & Bürg 1806]; estas tabelas passarão a servir de base para o cálculo das posições do Sol e da Lua das EAOAUC (já as posições dos outros corpos continuam a ser calculadas pelas tabelas de Lalande).

Em 1813 Monteiro da Rocha publica as suas próprias tabelas astronómicas, intituladas: ‘Taboas Astronómicas ordenadas a facilitar o Calculo das Ephemerides da Universidade de Coimbra’ (Coimbra, 1813). Estas ‘Taboas’ compreendem tabelas do Sol, da Lua e dos planetas e passarão a constituir, a partir do volume 11 (1814) a base de cálculo das EAOAUC: «Os lugares do Sol e da Lua, tanto para o ano de 1815 e 1816, foram já calculados pelas Novas Taboas Astronomicas, reduzidas ao Meridiano do Observatório pelo seu Director, o qual, conservando-lhes toda a exactidão, as dispôs e ordenou de uma forma engenhosa, e admirável, que as torna
muito cómodas para os calculadores; e por isso muito recomendáveis. Os lugares dos Planetas para o ano de 1815 foram calculados pelas antigas Taboas, em razão de não estarem impressas ainda as novas, que lhes eram relativas; não assim para 1816, em que já todas vão calculadas pelas Novas» [EAOAUC (1814-15) 1814, v.11 `Advertência'].

Fig. 11

Fig. 12: ‘Taboas Astronomicas’ (1813), de José Monteiro da Rocha


As restantes EAOUAC da 1ª série serão todas elas calculadas com base nestas tábuas de Monteiro da Rocha, com excepção do volume para o ano de 1828 [EAOAUC (1828) 1827, v.19] em as efemérides do planeta Júpiter são calculadas pelas tabelas de Delambre publicadas em 1817. Aquando do recomeço da 2ª série, em 1840, os lugares do Sol e da Lua continuam a ser calculados pelas tabelas de Monteiro da Rocha, passando porém a ser usadas as tabelas de Marie Charles Damoiseau de Monfort (1768-1846) para os cálculos dos lugares do planeta Júpiter e as de Alexis Bouvard (1767-1843) para os lugares de Saturno e Úrano. A partir das Ephemerides Astronómicas para 1847 [EAOAUC (1847) 1845] as efemérides da Lua passam a ser calculadas pelas tabelas de Johann Karl Burckhardt (1773-1825) [Burckhardt 1812].