Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Bibliografia

ABREU, J. M. de (1855) Dr. Welwicht e o Jardim Botanico da Universidade de Coimbra. Instituto, 3, pp.

ABREU, J. Maria de (1852). Memórias Históricas da Universidade de Coimbra. O Instituto, 1, pp. 192-194, 202-204, 242-244, 252-255; 2, pp. 14-15, 27-29, 56-58, 73-76, 89-92, 173-176, 194-197, 223-225.

AGUDO, F. R. Dias (2010). A Academia das Ciências de Lisboa e as Duas Culturas de Charles Percy Snow. Memórias da Academia das Ciências de Lisboa, Classe de Ciências.

ALBUQUERQUE, A. M. Seabra (1876). Bibliografia da Imprensa da Universidade – Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra. O Instituto, 23, p. 182.

BANDEIRA, J. R. (1942). Observatório Astronómico. Universidade de Coimbra. O Instituto, 92 (2.ª parte), pp. 523-586.

BARROS, Manuel Gaspar (1935). ¿Porque não se fabricam adubos azotados em Portugal? O Instituto, 88, pp. 196-211, 345-360, 456-469; 89, pp. 11-27, 278-296, 374-392, 438-452; 90, pp. 84-96.

BASTO, Álvaro (1912). Questões de Ensino Superior. A organização das Faculdades de Sciencias em Portugal. Coimbra: F. França & Arménio Amado Editores.

CARRISSO, Luís W.& Henriques, Júlio Augusto (1925) Instituto Botânico «Dr. Júlio Henriques». O Instituto, 72, pp. 247-265

CARVALHO, Anselmo Ferraz de (1918) O ensino da Botânica e o Jardim Botânico. O Instituto, 65, pp. 261-274

CASTRO, Egas de (1909). Geodynamica Tellurica. Calculo provisório da profundidade do hypocentro do sismo de 23 de abril de 1909. Instituto, 56, pp. 585-599.

CASTRO, Miguel Osório Cabral de (1874). Relatório dos trabalhos da Secção de Archeologia do Instituto de Coimbra. O Instituto, 20, pp.86-96.

CORREIA, Maximino (1926) Sobre localizações cerebrais. O Instituto, 73, pp. 47-90.

COSTA, A. M. Amorim da (1984). Primórdios da Ciência Química em Portugal. Biblioteca Breve, 92. Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa.

COSTA, Teresa de Jesus (2008) Alguns aspetos da vida e da obra de Augusto d Arzilla Fonseca (1853-1912). Gazeta da Matemática, 154, pp. 41-50.

COUTINHO, António Xavier Pereira (1918) O Sr. Dr. Júlio A. Henriques e a sua influência no estudo da Botânica em Portugal. O Instituto, 65, pp. 225-242

CRUZ, Isabel (2000). Das vantagens de não ser precioso: Aspetos da exploração e uso do Cobre em Portugal (1789-1889). Resumo de comunicação ao II Colóquio Internacional Discursos e Práticas Alquímicas. In http://www.triplov.com/isabel_cruz/cobre/ (consultado em 30 de dezembro de 2010).

FEIO, Florêncio Mago Barreto (1852). Determinação das diferenças das estrelas fundamentais em ascensão reta, por meio das observações de Bradley. O Instituto, 1, p. 221; 2, p. 33.

FEIO, Florêncio Mago Barreto (1854). Novas tábuas de paralaxe da lua de J. C. Adams. O Instituto, 3, p. 163.

FERREIRA, Licínia Rodrigues (2011). Relações Científicas e Culturais do Instituto de Coimbra. Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (pré-impressão).

FERREIRA, Martim R. Portugal V. (1992). Pioneiros da Mineralogia em Portugal. Colóquio/Ciências, Revista de Cultura Científica. Fundação Calouste Gulbenkian. abril, pp. 79-98.

FERREIRA, Martim R. Portugal V. (1998). 200 Anos de Mineralogia e Arte de Minas. Desde a Faculdade de Filosofia (1972) até à faculdade de Ciências e tecnologia (1972). Coimbra: Universidade de Coimbra e FCTUC.

GIORGI, Giovanni (1926) Sôbre a série […] O Instituto, 73, pp. 708-714.

GIRALDES, Albino Augusto (1887-1888) O darwinismo (Trechos de uma conferencia). O Instituto, 35, pp. 421-429

GOEZE, Edmond (1871) Sciencias physicas e mathematicas. A ilha de S. Miguel e o Jardim Botânico de Coimbra. O Instituto, 14, pp. 73-87

GOMES, Bernardino António (1863) Uma viagem scientifica a Angola. O Instituto,12, pp. 82-84

GUIMARÃES, Rodolpho (1904) Sciencias physico-mathematicas. Les mathématiques en Portugal. O Instituto, 51, pp. 414-430, 492-503, 555-567, 628-636, 672-679, 739-746; 52, pp. 32-39, 105-114, 160-168, 222-229, 288-293, 349-356, 409-416, 473-486, 538-546, 605-614, 665-671, 734-740, 53, pp. 26-33, 96-106, 161-170, 223-227, 292-298, 348-356, 412-418, 475-484, 541-550, 607-613, 667-674, 717-725.

HENRIQUES, J. A. (1882) Sciencias physico-mathematicas. O Museu Botanico da Universidade e as collecções de productos de Macau e Timor. O Instituto, 30, pp. 60-65

HENRIQUES, J. A. tradução: (1883) Sciencias physico-mathematicas. C. Darwin: causas do successo de seus trabalhos e importancia d'elles, por A. de Candolle. O Instituto, 30, pp. 344-363

HENRIQUES, J. Augusto (1892) A cadeira de Botanica na Universidade. O Instituto, 40, pp. 194-200

HENRIQUES, Julio Augusto (1876) A cultura das plantas que dão a quina nas possessões portuguezas. O Instituto, 22, pp.184-190

HENRIQUES, Julio Augusto (1876) O Jardim Botanico da Universidade de Coimbra. O Instituto, 23, pp.14-22, 55-64, 107-117, 157-163, 216-221

HENRIQUES, Júlio Augusto (1876). A cultura das plantas que dão a quina nas possessões portuguezas. O Instituto, 22, pp. 184-190.

HOPFFER, F. F. (1876). Estado do ensaio da cultura de quina na ilha de Sancto Antão em abril de 1875. O Instituto, 22, pp. 190-197.

KRYLOFF, N. (1925). Sur une nouvelle méthode. Basée sur le príncipe minimum pour líntegration aprochée des equations différentielles de la physique mathématique. O Instituto, 72, pp. 287- 291.

KRYLOFF, N. (1927). Sobre alguns novos métodos das equações diferenciais da física matemática. O Instituto, 74, pp. 555-568.

LEONARDO, A. J. F. (2011). O Instituto de Coimbra e a evolução da Física e da Química em Portugal de 1852 a 1952 (tese de Doutoramento). Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

LEONARDO, A. J. F.; Custódio, Susana; Batlló, Josep; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2011). O Instituto, a Sismologia em Coimbra e o intercâmbio luso-espanhol. Congresso Luso-Brasileiro de História das Ciências, Universidade de Coimbra, 26 a 29 de outubro, Livro de Resumos, pp. 424-444.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; e Fiolhais, C. (2009). O Instituto de Coimbra e a astrofísica solar no Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra. Livro de Anais de Scientiarum Historia II – Encontro Luso-Brasileiro de História das Ciências – Universidade Federal do Rio de Janeiro / HCTE & Universidade de Aveiro, pp. 461-467.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2008). As Ciências Físico-Químicas n’O Instituto. Índices Ideográfico, Cronológico e Onomástico, em http://www.uc.pt/bguc/PDFS/IndicesFisica.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2008). O Instituto. Índices Ideográfico e Onomástico (volumes 101.º a 141.º), em http://www.uc.pt/bguc/PDFS/ic.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2009a) O Instituto de Coimbra: breve história de uma academia científica, literária e artística, in Tesouros da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, Coimbra: Imprensa da Universidade, pp. 115-125.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2009b). A Telegrafia Elétrica nas páginas de “O Instituto” – Revista da Academia de Coimbra. Revista Brasileira de Ensino da Física, Vol. 31, n.º 2, http://www.sbfisica.org.br/rbef/pdf/312601.pdf.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2009c). António da Costa Simões e a génese da química forense em Portugal. Revista Brasileira História da Ciência, 2 (2), pp. 192-205, http://www.sbhc.org.br/pdfs/SBHC_2009_2%20Antonio%20da%20Costa.pdf.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2011a). Costa Lobo and the study of the Sun in Coimbra in the first half of the Twentieth century. Journal of Astronomical History and Heritage, 14-1, pp. 41-56.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2011b). The Meteorological Observations in Coimbra and the Portuguese participation in Weather Forecast in Europe. Earth Sciences History, 30-1, pp. 135-162.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2011c). O Instituto de Coimbra e a Análise Química de Águas Minerais em Portugal na segunda metade do século XIX. Química Nova, 34.

LEONARDO, A. J. F.; Martins, D. R.; Fiolhais, C. (2011d). A Física na Universidade de Coimbra de 1900 a 1960. Gazeta da Física, Vol 34 (2), pp. 9-15.

LOBO, Francisco Miranda da Costa (1937). A Universidade de Coimbra e o «Instituto de Coimbra». O Instituto, 92 (1.ª Parte), pp. 5-41.

LOBO, Francisco Miranda da Costa (1942). Sessão solene do Instituto de Coimbra, realizada na Sada dos Capelos, em 9 de dezembro de 1937, com a assistência de Sua Ex.ª o Reitor da Universidade, comemorativa da instalação definitiva da Universidade em Coimbra em 1537. O Instituto, 92 (2.ª Parte), pp. 727-731.

LOUREIRO, Adolfo Ferreira (1882) Carlos ribeiro. O Instituto, 30, pp. 193-205.

MONIZ, Egas (1953). Fisiologia do cérebro. O Instituto, 115, pp. 206-217.

Observações meteorológicas e magnéticas (1891-1908) Observatório Meteorológico e Magnético da Universidade de Coimbra. Imprensa da Universidade.

Observações meteorológicas, magnéticas e sísmicas (1909-1920). Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra. Imprensa da Universidade.

PEDRO V, Rei de Portugal, 1837-1861. Publicado: (1923). Escritos de el-rei D. Pedro: coligidos e publicados pela academia das sciências de Lisboa. Coimbra: Imprensa da Universidade

PINTO, J. F. de S. (1893). Algumas informações sobre o Observatório Astronómico da Universidade de Coimbra desde 1872. O Instituto, 40, pp. 125-134.

PINTO, Manuel S. & Malaquias, Isabel (2007). Chemistry and Metallurgy in Portugal in the Eighteenth Century – The Cases of Gold and Silver. Neighbours and Territories: The Evolving Identity of Chemistry. 6th International Conference On The History Of Chemistry, pp. 529-544.

RIBEIRO, Carlos (1852) Estudos geologicos do Buçaco. O Instituto, 1, pp. 91-94, 119-120, 142-144, 162-164.

SAMPAIO, A. F. (1852). Introducção. O Instituto. 1, p. 1.

SANTOS, Vitorino Gomes de Seiça (1995) O Instituto Geofísico da Universidade de Coimbra (Bosquejo histórico). Coimbra (Pré-impressão), pp. 125-128.

SARAIVA, Jorge António Lima (1993). Academismo, Ideologia e História - O Instituto de Coimbra (1919-1945). Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

SILVA, A. J. F. da (1906). Joaquim dos Santos e Silva. Revista de Química Pura e Aplicada, 2, pp.117-120.

TEIXEIRA, António José (1861). Physica Mathematica. O Instituto, 10, p. 206.

TEIXEIRA, Antonio José (1889-1890). Como se fez o Jardim Botanico e o mais que depois succedeu. O Instituto, 37, pp. 360-363

TEIXEIRA, Antonio José (1890) Questão entre José Anastasio da Cunha e José Monteiro da Rocha. Instituto, 38, pp.20-27, 119-131, 187-202, 268-279, 350-357, 431-442, 512-521, 573-577, 653-662, 739-746, 816-820.

VASCONCELOS, Matias de Carvalho de (1858b). Segundo relatorio dirigido á Faculdade de Philosophia da Universidade de Coimbra pelo seu vogal em commissão fóra do reino, Doutor M. de Carvalho de Vasconcellos. O Instituto, 7, pp. 134−136.

VITERBO, Sousa (1902). Artes e industrias metallicas em Portugal. O Instituto, 50, pp. 696-702, 757-765.

XAVIER, Filipe J. do Couto (1992). Academismo e história em Coimbra na 2.ª metade do século XIX. “O Instituto”. Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.