Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Dinamização do empreendedorismo Arrisca Coimbra’09

Deolinda Estevinho e Jorge Figueira *

As instituições de ensino superior têm, no contexto da sociedade do saber, um papel relevante no fomento do empreendedorismo, especialmente entre os mais jovens, no sentido da criação de empresas de base tecnológica em sectores de alto valor acrescentado e de uso intensivo de conhecimento. A Universidade de Coimbra (UC) tem vindo a desenvolver uma cultura de estímulo ao empreendedorismo junto dos seus alunos e investigadores, dispondo já de uma vasta experiência de intercâmbio de conhecimento com as empresas e de prestação de serviços a organizações da mais diversa natureza.

O Gabinete de Apoio às Transferências do Saber da Universidade de Coimbra (GATS.UC) é uma estrutura criada na dependência directa da Reitoria da UC e que tem por missão promover, dinamizar e apoiar o estabelecimento de relações, projectos e parcerias da UC com o mundo exterior.

O Arrisca Coimbra é uma das muitas iniciativas de sucesso em que o GATS.UC tem estado envolvido. Teve início em 2008, em parceria com a Direcção-Geral da AAC, a IPN-Incubadora, a Associação Comercial e Industrial de Coimbra e o Clube de Empresários de Coimbra, e visava, através de um Concurso de Ideias de Negócio, estimular o desenvolvimento de conceitos de negócio em torno dos quais se perspectivasse a criação de novas empresas.

O interesse suscitado pela primeira edição do Arrisca Coimbra levou a que em 2009 se juntassem aos promotores iniciais o Instituto Superior de Engenharia de Coimbra e a Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE).

A edição do Arrisca Coimbra em 2009 registou 45 candidaturas, apresentadas por equipas de origens muito variadas e com conceitos de negócio muito diversificados. Após árduo trabalho de selecção, o júri composto por representantes dos organizadores e dos patrocinadores do evento seleccionou seis propostas de negócio, de acordo com os critérios definidos (Viabilidade, Originalidade, Perfil dos Promotores, Capacidade de síntese e Sustentabilidade):

- Prémio InovCapital (cinco mil euros na fase de constituição da empresa) ao projecto intitulado “Smart Medicines”, uma plataforma tecnológica (“NANOMEDICAMENTO INTELIGENTE”), desenvolvida no Centro de Neurociências e Biologia Celular (CNC) da UC. Este projecto foi apresentado por uma equipa de três promotores liderados por João Nuno Moreira, da Faculdade de Farmácia da UC.

- Prémio IEFP (três mil euros na fase de constituição da empresa) este prémio foi igualmente atribuído a uma equipa de três promotores, coordenados por Pedro Filipe Carvalho, com um projecto intitulado Atelier da Fábrica, permite a fabricação automatizada de maquetes e outros objectos de forma rápida e flexível.

- Prémio IAPMEI (dois mil e quinhentos euros) para o projecto “LEAD”, que procura desenvolver a síntese de avaliação biológica de 40 novos compostos derivados do ácido betulinico para tratamento oncológico. Projecto apresentado pela Rita Catarina Mendes dos Santos e uma equipa de quatro outros promotores.

- Prémio UNIVERSIA (mil euros) para o projecto “BT Cast”, Informação sem fios, uma plataforma sem fios para associação de informação de interesse em locais privilegiados. Este projecto foi submetido por um grupo de cinco promotores encabeçados por Rui Paulo do Nascimento Gomes.

- Prémio DNA Saúde (mil euros) igualmente atribuído ao projecto “LEAD” acima descrito.

- Prémio Coimbra Inovação Parque (500 euros) para o projecto “Blueworks”, e o seu produto o EyeDropper, baseado num dispositivo portátil dotado de uma câmara de alta definição, capaz de detectar a aplicação correcta de medicamentos oftalmológicos.

- Prémio IPN Incubadora (um ano de incubação virtual gratuita no IPN) para o projecto “iNovmapping”, apresentado por uma equipa composta por José Gomes dos Santos e dois outros elementos. O conceito que procuram desenvolver baseia-se numa arquitectura híbrida que funde as valências dos SIG com as da Web 2.0, com arquitectura na API do Google Earth/Google Maps.

Além dos patrocinadores acima referidos que asseguraram os prémios mencionados, o concurso contou ainda com os apoios da Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua (SPGM) e da ANJE. O balanço desta edição é, pois, francamente positivo. Não apenas pelo número e valor dos projectos submetidos a concurso mas igualmente por se constatar um elevado número de candidaturas submetidas por equipas de docentes e estudantes que, em conjunto, procuram valorizar os conhecimentos desenvolvidos nos domínios científicos que estudam ou estudaram.

É pois uma experiência a repetir.

Iremos ver-nos certamente no… Arrisca Coimbra 2010.

* Divisão de Inovação e Transferências do Saber (GATS)