Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Semana Cultural

A Semana Cultural da Universidade de Coimbra ramifica em várias direções a celebração do Dia da Universidade, que todos os anos se comemora a 1 de Março. Pretende, essencialmente, dar a conhecer ao exterior as múltiplas atividades desenvolvidas na Universidade de Coimbra (UC), integrando-as numa convocação comum e conjugando-as com uma programação diversificada em várias áreas culturais.

Começou em 1999 por ser uma “mostra” da cultura na Universidade, mas gradualmente foi estabelecendo novas parcerias e abrindo a programação à participação de entidades externas de forma cada vez mais significativa, sendo agora uma iniciativa que extravasa claramente a UC, estendendo-se à cidade, ao país e além-fronteiras. A comunidade absorveu cabalmente o sentido desta convocação, aderindo com propostas abertas e enriquecedoras e concretizando uma sequência de iniciativas científicas, culturais e artísticas que se pretendem complementares e integradas.

O atual figurino da Semana Cultural da UC, que começou a ser temática a partir do ano de 2004, estende-se também temporalmente para além do limite da “semana”, oferecendo mais de uma centena de atividades, incluindo conferências, colóquios, mesas-redondas, lançamento de livros, espetáculos de teatro, de cinema, de música, de dança, exposições etnográficas, documentais e de artes plásticas, mobilizando milhares pessoas. Os públicos são muito diversificados, desde a infância à “idade dourada”... Muitas das iniciativas da Semana Cultural prolongam-se no tempo, chegando alguns eventos posteriormente a fazer digressão dentro e fora do país.

No início de Março, e durante cerca de dois meses, dá-se assim corpo e alma a atividades que se pretendem vivas e motivadoras, marcadas por múltiplos e variados cruzamentos. Cruzamentos entre as atividades propostas pela programação externa e aquelas que surgiram internamente, cruzamentos entre colóquios científicos, espetáculos e exposições, cruzamentos entre a Universidade e a cidade que a acolhe, e, sobretudo, cruzamentos entre as pessoas, os artistas e os públicos. É essa a animação que se espera; é essa, sobretudo, a festa.