Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Marcos Históricos - Sécs. XIII a XVI

Desde a sua fundação e até ao final do século XVI, a Universidade de Coimbra consolidou a sua posição enquanto centro de formação de elites de um império onde o Sol nunca se punha.

Principais marcos históricos (sécs. XIII a XVI)

1143 (história de Portugal): D. Afonso Henriques intitula-se Rei de Portugal. Início da Primeira Dinastia Portuguesa (Dinastia Afonsina ou de Borgonha).
1179 (história de Portugal): Bula papal “Manifestus Probatum”, que reconhece o Reino de Portugal.
1290: Criação do Estudo Geral Português, com a assinatura do documento “Scientiae thesaurus mirabilis”, por D. Dinis (1 de Março), confirmado pela bula “De statu regni Portugaliae” do papa Nicolau IV (9 de Agosto), com as Faculdades de Artes, Direito Canónico (Cânones), Direito Civil (Leis) e Medicina. A Universidade começa a funcionar em Lisboa.
1308: O Estudo Geral passa para Coimbra; regressa a Lisboa em 1338 e a Coimbra em1354; volta a Lisboa em 1377 e é definitivamente instalado em Coimbra em 1537.
1309: O Estudo Geral recebe os seus primeiros Estatutos, com o nome “Charta magna privilegiorum”.
Ca. 1380: Teologia, antes reservada aos conventos dominicanos e franciscanos, passa a fazer parte do ensino universitário português.
1385 (história de Portugal): Na sequência da crise política de 1383-85 (crise sucessória envolvendo o Rei de Castela), D. João I é jurado Rei de Portugal, em Coimbra. Início da Segunda Dinastia (Dinastia de Avis).
1415 (história de Portugal): Conquista de Ceuta, início da expansão ultramarina portuguesa.
1537: A Universidade é instalada definitivamente em Coimbra. Assunção de Coimbra como a cidade universitária portuguesa e início da instalação de numerosos colégios na cidade.
1544: Todas as Faculdades da Universidade de Coimbra se reúnem no Páteo das Escolas.
1559 (história de Portugal): Entra em funcionamento em Portugal uma universidade jesuítica, a Universidade de Évora (no Alentejo, província no sul do país).
1580 (história de Portugal): União Ibérica e monarquia dualista: D. Filipe II de Espanha sobe ao trono português com o título de D. Filipe I de Portugal. Início da Terceira Dinastia (Dinastia Filipina).
1597: Aquisição do Paço da Alcáçova a Dom Filipe I, por 30 mil cruzados, o qual passou imediatamente a designar-se Paço das Escolas.

Reitores dos séculos XIII a XVI

Desde a sua fundação e até ao final do século XVI, a Universidade de Coimbra consolidou a sua posição enquanto centro de formação de elites de um império onde o Sol nunca se punha.Neste período (contado de 1288, ano da Súplica ao Papa Nicolau IV, até 1597), passaram pela universidade 64 reitores, entre os quais personalidades notáveis da política e da cultura portuguesas.

1288 – Frei André Ursinus, lente de Santos Padres (?)
1290 – Mestre Gerardo, lente de Teologia
? – Mestre Agostinho Belo, lente de Artes e depois de Teologia
1330 – Mestre Simão da Cruz, lente de Teologia
1367-68 – Gonçalo Miguéis, bacharel em Cânones
- Prior de S. Jorge, Bacharel em Cânones
1378-79 – D. Martinho Domingues, cónego de Évora
1384-86 – Lançarote Esteves
1387 – Lopo Martins, sacerdote
1388 – Vicente Afonso
1390 – Lançarote Esteves
1393 – Vasco Esteves, vigário de S. Tomé
1396 – Vasco de Freitas
? – Salvador Rodrigues, deão da Guarda
1398 – Vicente Afonso

1400 – Dr. João das Regras, doutorado pela Universidade de Bolonha.
1408 – Fr. João Vargas, lente de Teologia
1415 – Rodrigo Anes, prior de S. Pedro de Alenquer
1417 – D. Pedro Escacha
1418 – João Afonso, escolar de Leis (servindo por D. Pedro)
1429 – Vasco Gil, escolar em Cânones
1431 – Vasco Estêvão, vigário de S. Tomé
1435 – Vasco Gil
1440 – Pedro Esteves
1441 – Gonçalo Martins, escolar de Cânones
1442 – Gomes Afonso
1449 – João de Elvas, lente de Prima de Cânones
- Gonçalo Garcia de Elvas, lente de prima de Leis
1458 – João de Elvas, lente de prima de Cânones
- Bartolomeu Gomes – lente de prima de Leis
1487 – Fernão Lopes
1493 – Álvaro Martins, capelão da Rainha, bacharel em Leis
1494 – Rodrigo Caldeira, lente de prima de Cânones
1495 – Álvaro Martins
- Mestre João da Madalena
1499 – D. Francisco Mendes, Bispo de Fez, mestre de D. Manuel

1506 – Brás Afonso Correia
1511 – Diogo da Gama
1512 – Dr. João Alves de Elvas
1513 – D. João, Bispo de Safim
1518 – Rui Gonçalves, Marechote do Desembargo do Reino
1525 – Dr. Jorge Costa, do Desembargo do Rei e seu Corregedor
1526 – Dr. Cristóvão da Costa, do Desembargo do Rei
1527 – Dr. Fernando Álvares de Almeida, do Desembargo do Rei e seu Desembargador
1528 – O Bispo de Lamego não aceitou, continuou o reitor anterior
1529 – Francisco de Melo, do Conselho do Rei
1531 – Foi eleito Gonçalo Pires, porém serviu o anterior
1532 – Francisco de Melo
1533 – Álvaro Esteves, do Desembargo do Rei
1534 – Álvaro Esteves
1535-36 – Dr. Jorge Fernandes, do Desembargo do Rei
1536 – Dr. Pedro Nunes, do Desembargo do Rei e Chanceler, que serviu até a Universidade voltar para Coimbra
1537 – D. Garcia de Almeida, Reitor da transferência definitiva para Coimbra
1537-41 – D. Agostinho Ribeiro (O.S. João Evangelista), o primeiro reitor a pertencer a uma Ordem religiosa e o primeiro a exercer as funções de cancelário.
1541-43 – D. Frei Bernardo da Cruz (O.P.), o único dominicano a ascender ao cargo de reitor. Foi também o primeiro de vários reitores a estar ligado ao Tribunal do Santo Ofício e foi encarregado pelo Cardeal Infante D. Henrique de estabelecer a Inquisição em Coimbra.
1543-55 – Frei Diogo de Murça (O.S. Jerónimo), o primeiro a possuir o grau de Doutor (em Teologia); único da Ordem de S. Jerónimo.
1555-57 – Afonso do Prado, Castelhano; doutorado em Teologia pela Universidade de Alcalá. Foi o único docente a exercer o reitorado até à nomeação de D. André de Almada.
1557-60 – D. Manuel de Meneses, o primeiro reitor a frequentar a Universidade como aluno e foi o primeiro a ser nomeado por um período de três anos e a tomar posse a prestar juramento perante o Claustro Pleno. Neste reitorado começou uma grande questão entre a Universidade e os Jesuítas.
1560-63 – D. Jorge de Almeida. Quando foi reitor ainda não tinha os 30 anos necessários para ser provido no cargo; a rainha D. Catarina dispensou-o da falta de idade.
1563-64 – Martim Gonçalves da Câmara, padre jesuíta. Foi nomeado pela regente D. Catarina
1564-69 – D. Aires da Silva
1570-78 – D. Jerónimo de Meneses
1578-84 – D. Nuno de Noronha
1586-94 – D. Fernão Martins Mascarenhas
1594-97 – António de Mendonça. Foi neste reitorado que, em 16 de Setembro de 1597 a Universidade de Coimbra comprou o Paço Real da Alcáçova pela quantia de 30.000 cruzados, na qual se compreendiam 15.000 cruzados emprestados à coroa em 1584.

Documento da compra do Paço Real da Alcáçova - 1597
Documento da compra do Paço Real da Alcáçova • 1597