Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Candidaturas ao concurso de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado de Mestrado em Medicina

Regulamento

As candidaturas regem-se pelo Regulamento do Processo de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado do Mestrado Integrado em Medicina das Escolas Médicas Portuguesas »

Procedimento

tomaatencaoEncontra-se aberto o prazo para receção de pedidos relativos ao Processo de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado do Mestrado em Medicina das Escolas Médicas Portuguesas nos termos do respetivo Regulamento.

Prazos

Período de submissão presencial de candidaturas: até 12-11-2018
  Prova de Língua Portuguesa: 30-11-2018 (a realizar na Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa)
  Exame Escrito: 10-01-2019
  Prova Prática/Clínica: em data a definir pela FMUC
  Trabalho Final de Mestrado Integrado - até seis meses após a realização da “Prova Prática/Clínica”.

PROCEDIMENTOS DE CANDIDATURA E DOCUMENTOS

  1. A candidatura é realizada presencialmente pelo candidato ou por pessoa munida de procuração para esse efeito junto do Serviço de Gestão Académica da UC:

  2. A verificação da documentação entregue pode não ser realizada no ato da candidatura, pelo que se recomenda uma atenta verificação dos documentos que são entregues para evitar deslocações posteriores ao Centro de Atendimento para suprir as eventuais falhas/faltas de informação.

    • Se for detetada alguma documentação em falta ou incorretamente instruída, o candidato será contactado pelos serviços no sentido de a entregar ou substituir.
  3. Em caso de não entrega de documentação obrigatória até ao final do prazo que lhe for comunicado, a candidatura fica sem efeito. Neste caso, ou em caso de desistência da candidatura, o emolumento não será devolvido.

  4. Após a entrega/receção da candidatura, todos os contactos serão efetuados por correio eletrónico, para o endereço indicado pelo candidato na ficha individual.

Documentos necessários para instrução da candidatura:

  1. Documento de identificação pessoal (ou fotocópia em situações em que não seja o próprio a instruir/entregar o processo);
  2. Diploma de curso autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau;
  3. Certificado de exames, com os resultados de todas as disciplinas que compõem a sua formação em Medicina, autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau;
  4. Programas analíticos e cargas horárias das disciplinas do curso realizado, devidamente descriminados, com todas as páginas autenticadas pela instituição de ensino superior que os emitiu;
  5. Uma fotografia tipo passaporte;
  6. Curriculum Vitae atualizado (em Português ou Inglês)
  7. Conversão da escala numérica, caso seja diferente da escala de 0 a 20, tendo que entregar o documento comprovativo da classificação final do curso;
  8. Documento de reciprocidade entre países, quando aplicável (consultar o artigo 7º do Regulamento)
  9. Tradução dos documentos para Língua Portuguesa, à exceção dos que se encontrem em Espanhol, Francês, Inglês ou Italiano.
  10. Impresso Modelo 525 - Equivalência a grau de mestre devidamente preenchido (a adquirir na INCM - Imprensa Nacional Casa da Moeda - AQUI).
  11. Declaração sob compromisso de Honra em como realiza o pedido na UC e não instruiu nenhum pedido em outra Escola Médica Portuguesa (Impresso »).
  12. Posteriormente, caso venha a realizar com aproveitamento o Exame Prático/Clínico, quatro exemplares, em suporte papel, do trabalho previsto na alínea c) do nº 1 do artigo 9º do Regulamento.
  13. O valor do emolumento a pagar na tesouraria - 300 € – valor fixado pela Tabela de taxas e emolumentos da Universidade de Coimbra, definida por Deliberação n.º 1083/2014 do Conselho De Gestão da UC.

Algumas Questões Frequentes

1. Que tipo de procuração deve ser utilizada? O Regulamento não indica um tipo particular de procuração e a UC não definiu um modelo específico para o efeito. A procuração deve especificar a identidade (nome completo e número de identificação) de quem passa a procuração; especificar a identidade (nome completo e número de identificação) de quem vai representar o candidato e deve ser claro que o procurador está mandatado para tratar do Processo de Equivalência ao Ciclo de Estudos Integrado do Mestrado em Medicina das Escolas Médicas Portuguesas.

2. Documentos preenchidos pelo Procurador - O procurador pode preencher pelo candidato a declaração sob compromisso de Honra em como não instruiu nenhum pedido em outra escola médica; a declaração assinada onde consente expressamente o tratamento dos dados contidos na candidatura e o impresso Modelo 525 – Equivalência a grau de Mestre. Caso a candidatura seja feita por procuração, a cópia da identidade (nome completo e número de identificação) tem de ser autenticado por agente diplomático ou consular português no país onde obteve o grau ou, em alternativa, autenticado através da apostilha de Haia. Se a cópia for feita por instituição portuguesa não necessita da apostilha de Haia.

3. É possível entregar os documentos por correio ou via eletrónica? Não. A candidatura à equivalência é feita presencialmente pelo candidato, ou por pessoa munida de uma procuração para esse efeito.

4. Qual o tamanho da foto tipo passaporte? Recomendamos a entrega de fotografia com a dimensão 3 x 4 cm.

5. Qual o modelo do Currículo Vitae? O regulamento não indica nenhum tipo particular de Currículo Vitae, a UC/FMUC não definiu nenhum modelo de Currículo Vitae para o efeito.

6. Autenticação de documentos – O diploma do curso e o certificado de exames com os resultados de todas as disciplinas que compõem a sua formação em Medicina (ou cópia autenticada dos mesmos) deverão ser autenticado por agente diplomático ou consular Português no país onde obteve o grau ou, em alternativa, autenticado através da apostilha de Haia. Os programas analíticos e cargas horárias das disciplinas do curso realizado, devidamente descriminados, têm que ter todas as páginas autenticadas pela instituição de ensino superior que os emitiu.

7. Conversão da escala numérica (caso seja diferente da escala de 0 a 20) - Ao instruir a sua candidatura deverá entregar documento comprovativo da classificação final de curso e, caso a classificação final de curso não seja expressa na escala de 0 a 20, os serviços vão converter a sua classificação de acordo com a legislação aplicável em vigor.

8. É possível efetuar um pedido de equivalência em diferentes escolas médicas portuguesas? Não. No atual processo, que decorre até 31 de outubro de 2018, só pode formalizar candidatura numa única escola médica portuguesa (lembre-se que vai assinar um compromisso de honra a indicar essa situação). No caso de já ter formalizado candidaturas em processos anteriores, o compromisso de honra não se aplica, desde que esses processos estejam finalizados ou tenha desistido.

9. É possível consultar modelos de provas realizadas anteriormente? Não. A UC/FMUC não disponibiliza modelos de provas realizadas anteriormente.

10. Quem está dispensado da apresentação da prova de reciprocidade?

  • a) Os cidadãos oriundos dos países da União Europeia;
  • b) Os cidadãos oriundos do Brasil e dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOPs)
  • c) Os cidadãos oriundos de países que ratificaram a Convenção de Lisboa;
  • d) Os cidadãos oriundos de países com os quais já se tenha verificado a existência de reciprocidade, nomeadamente, Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Peru, República Dominicana, Tailândia, Turquia e Venezuela.

11. Trabalho Final de Mestrado Integrado ou equivalente – Todos os estudantes dos cursos de Mestrado Integrado em Medicina têm de realizar e defender um trabalho final. Nesse sentido, os candidatos terão que proceder de idêntica forma, podendo apresentar um trabalho nas seguintes modalidades:

  • a) Dissertação – trabalho escrito, original, empírico, na sequência de um trabalho de pesquisa e, normalmente, realizado no final de um curso;
  • b) Monografia – trabalho original, da autoria do requerente, publicado ou para publicação, na forma de artigo, em português ou inglês, de acordo com as normas de uma revista científica indexada; poderá ser no âmbito da medicina clínica ou investigação básica; pretende-se que os candidatos elaborem uma monografia, ou trabalho temático, em que se faz a abordagem de um tema particular; na monografia, como o nome indica, escreve-se sobre um único tema, não necessariamente novo, nem inédito; pode-se abordar vários aspetos do mesmo tema ou relacionar o tema com outros.
  • c) Relatório Curricular – descrição detalhada do curriculum vitæ académico e/ou profissional do requerente, por exemplo, um relatório crítico da sua experiência formativa. Caso não tenha algum trabalho deste tipo, pode realizar a sua candidatura, no entanto, dispõe de um prazo limite de 6 meses para entrega e discussão do Trabalho Final de Mestrado Integrado, a contar a partir da data de aprovação à Prova Prática/Clinica. Caso tenha algum trabalho realizado com estas características, pode entregar 4 volumes em papel logo na fase da sua candidatura.