Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

SOE1/P5/E0189 - PhytoSUDOE

Interreg SudoePhytosudoe

Código da Operação:  SOE1/P5/E0189

Acrónimo: PhytoSUDOE

Referência: SOE1/P5/E0189 - PhytoSUDOE

Título: Demostração de melhorias na biodiversidade do solo, funcionalidade e serviços ambientais de locais contaminados e/ou degradados sob intervenção de fito-tecnologias dentro da região Interreg Sudoe

Área Científica: Ciências da Vida

Síntese do Projeto: A contaminação do solo é um problema generalizado no território Sudoe (centenas a milhares de sítios contaminados identificados), na Europa e no mundo. A exposição a químicos altera a qualidade/funções do solo, qualidade da água, biodiversidade, segurança alimentar e saúde humana. Elementos traço e metal(oides) (TE) estão entre os contaminantes mais frequentes e nas oito principais ameaças aos solos europeus. Sistemas de requalificação de solo menos agressivos têm sido desenvolvidos para gerir solos contaminados, tendo como objetivo a produção de culturas não-alimentares em combinação com a estabilização in situ de contaminantes, tendo como base opções de "fitorremediação". Para locais contaminados com TE pretende-se diminuir a fração biodisponível no solo através de (1) absorção e acumulação nas secções colhidas das plantas (fitoextração) ou (2) progressiva inativação in situ combinando o uso de plantas excluídoras de TE e correções de solo (fitoestabilização). Além disso, os microrganismos da rizosfera e exoenzimas da raiz degradam contaminantes orgânicos. As fitotecnologias são técnicas menos invasivas e mais económicas do que técnicas de remediação de engenharia civil. A fitogestão de solos poluídos gradualmente aumenta a diversidade microbiana, contribui para o sequestro de carbono e promove a funcionalidade do solo. Porém, a falta de evidências no de campo demonstrando a prestação destes serviços dos ecossistemas faz com que estes sejam ainda subexplorados como estratégias de remediação de solos degradados. O projeto PhytoSUDOE irá demonstrar os benefícios ambientais, económicos e sociais gerados durante e após a implementação de fitotecnologias em locais degradados como forma de encorajar uma maior utilização destas técnicas por reguladores e proprietários como uma estratégia de gestão de risco eficaz no território Sudoe e outras regiões europeias. Isto poderá ser alcançado através da criação de uma rede transnacional de locais contaminados (localizados em áreas protegidas e não protegidas, mas todos de relevante interesse ecológico e com potencial para fornecer serviços ecossistémicos) sob intervenção de fitotecnologias em toda a região SUDOE.

Investigador Responsável: Doutor Rui Sérgio Sodré Oliveira

Programa de Financiamento: Programa Operativo INTERREG V - B EUROPA SUROCCIDENTAL (SUDOE) (2014TC16RFTN007)

Instituição Financiadora: União Europeia

Data de início: 01-07-2016

Data de conclusão: 31-10-2018

Instituições participantes no Projeto: Agencia Estatal Consejo Superior de Investigaciones Cientificas, IIAG-CSIC (Proponente); Universidad de Santiago de Compostela, USC; NEIKER-Instituto Vasco de Investigación y Desarrollo Agrario, S.A., NEIKER; Institut National de la Recherche Agronomique, INRA; Universidade de Coimbra - FCTUC; Centro de Estudios Ambientales de Vitoria-Gasteiz, CEA; Universidade Católica Portuguesa, UCP-CRP; Universidad del País Vasco/Euskal Herriko Unibertsitatea, UPV/EHU; Universidade de Aveiro, UAVR; Laboratório Nacional de Energia e Geologia IP, LNEG.

Custo total elegível (EUR): 1.263.879,71€

Custo total elegível na UC (EUR): 100.000,00€

Apoio financeiro da UE (EUR): 947,909,81€

Apoio financeiro da UE na UC (EUR): 85.000,00€

Técnico do Projeto: Rodrigo Alves

Contacto: 239247019