Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

PTDC/EMD-EMD/28039/2017

PTDC


Código da Operação:
POCI-01-0145-FEDER-028039

Acrónimo: OCT4BRAIN

Referência: PTDC/EMD-EMD/28039/2017

Objetivo principal: Reforçar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação

Título: A imagem não-invasiva por tomografia de coerência óptica na doença neurodegenerativa: da retinal animal ao cérebro humano

Área Científica: Saúde - Tecnologias avançadas aplicadas à Saúde

Síntese do Projeto: A projecção da "World Health Organization" (WHO), realizada em 2015, estima que 75.6 milhões de pessoas sofrerão de demência em 2030. Embora esta previsão considere todos os tipos de demência, a doença de Alzheimer destaca-se por representar 60% a 80% dos casos.
Um número crescente de grupos de investigação adoptou como estratégia o uso da retina como uma janela para o cérebro. Além da retina ser a parte visível do sistema nervoso central (SNC) e ser acessível a métodos não-invasivos de imagem óptica, tal como a tomografia por coerência óptica (OCT), há uma evidência acumulada de que a retina é alterada pelas doenças neurodegenerativas.
Os resultados preliminares por nós obtidos demonstram a possibilidade de obter biomarcadores, baseados em dados, para o envelhecimento saudável do SNC e para a identificação de olhos de controlos saudáveis e de doentes com doença de Alzheimer, esclerose múltipla ou de Parkinson. Estes biomarcadores são determinados exclusivamente a partir das imagens OCT da retina humana. Resultados recentes, obtidos a partir de dados de ratos triplo-transgénicos da doença de Alzheimer (3xTg-AD) com recurso a equipamento OCT específico para ratos e ratazanas (Micron IV - Phoenix Research Labs, EUA), mostram que os biomarcadores de Alzheimer para humano também se aplicam aos modelos animais de doença. Para além disso, novas evidências com base na análise de textura em dados OCT dos ratos 3xTg-AD sugerem uma potencial reorganização da retina aos 8 meses de idade.
Estas diferenças são consistentes ao longo do tempo e verificam-se para as idades dos 12 e 16 meses, quando comparámos ratos saudáveis com ratos 3xTg-AD da mesma idade.
O foco do nosso grupo (multidisciplinar) tem sido o processamento de dados OCT. Com recurso a estatísticas de primeira e segunda ordem e a aplicação de processos de classificação foi possível classificar retinas humanas por faixa etária e distinguir entre retinas de controlos saudáveis e de doentes diabéticos. Recentemente focámo-nos na imagiologia de doenças neurodegenerativas. Usámos o OCT (Cirrus-OCT, Carl Zeiss Meditec, EUA), uma técnica não-invasiva semelhante à técnica de ultra-sons capaz medir as alterações do índice de refração, para obter imagens em retinas humanas de doentes com Alzheimer, esclerose múltipla e Parkinson.
No âmbito deste projecto propomos estudar com maior profundidade as alterações já identificadas com os seguintes objectivos: 1) obter marcadores com melhor desempenho com vista ao rastreio eficaz da população (cada vez mais envelhecida); 2) identificar as camadas da retina que mais contribuem para as diferenças de textura; 3) aumentar o número de animais em estudo com vista à confirmação dos resultados preliminares; 4) obter imagens dos animais antes dos 4 meses, para os quais já foi possível obter uma discriminação correcta em mais de 75% dos casos, e; 5) proceder à análise retrospectiva dos dados humanos da nossa base de dados.

Investigador Responsável: Doutor Rui Bernardes

Programa de Financiamento: PT2020 – SAICT –PTDC/ICDT

Instituição Financiadora: FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Data de início: 01-08-2018

Data de conclusão: 31-07-2021

Instituições participantes no Projeto: Universidade de Coimbra (proponente) + Universidade Aberta (parceiro)

Custo total elegível (EUR): 208.136,18€

Apoio financeiro da UE: 176.915,75€

Apoio financeiro público nacional: 31.220,43€

Técnico do Projeto: Filipa Ferraz

Contacto: 239 247 017