Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Restaurar

No no âmbito da iniciativa "Dar Corpo a Ideias", patrocinada pela UC, com a participação de várias UECAF, publica-se hoje - "Restaurar a independência: D. João IV e a Universidade - demonstrações de fidelidade em tempos de Restauração."
18 junho
Restaurar
Restaurar
© Arquivo da Universidade de Cimbra

... Fui aclamado nesta cidade por Rey e Senhor natural destes meus reynos a que Deus foi servido restituir-me…

Com estas palavras se dirigiu, pela primeira vez, D. João IV ao Reitor da Universidade, D. Manuel de Saldanha, em 24 de dezembro de 1640. A sua aclamação como Rei, em 1 de dezembro daquele ano, ditou a restauração de Portugal, pondo fim a 60 anos de domínio espanhol. Em carta que escreveu dois dias depois, a 26, manifestava a necessidade de convocar Cortes em Lisboa, solicitando a presença do Reitor, que se faria representar por outra pessoa, se tivesse “justo impedimento” para deixar de ir. O que de facto sucedeu, pois esteve em seu lugar D. André de Almada, o anterior prelado universitário, cultíssimo professor de Teologia, a quem se ficou a dever a instalação de um telescópio em Coimbra. Por este telescópio, haveria o ilustre Christophoro Borri (1583-1632) de fazer as primeiras observações astronómicas na cidade de Coimbra, que ficaram registadas em gravura. Mas isto são outras notícias, a que aqui se alude, apenas superficialmente, pois vêm a propósito, quando falamos do mesmo D. André de Almada.

Mais informações