Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO
Atualidade

Exposição virtual

Memória de epidemias e de estudos no Distrito de Coimbra, nos séculos XIX e XX: entre questões sanitárias e avanços científicos.
16 novembro
Imagem de divulgação | NEI 2020
Imagem de divulgação | NEI 2020
© Universidade de Coimbra

No âmbito do desafio lançado para a participação do Arquivo da Universidade na Noite Europeia dos Investigadores - NEI 2020, foram selecionados 11 documentos pertencentes ao acervo da instituição e com eles foi elaborada uma exposição virtual que ficará patente no site do Arquivo da Universidade.

Estes documentos, situados cronologicamente entre 1855 e 1918, retratam alguns dos diversos momentos históricos, em que Portugal viveu surtos epidémicos, nomeadamente os anos em que a febre tifoide, a cólera e a gripe pneumónica se abateram sobre o país.

Os documentos exibidos levam-nos a recuar no tempo e a identificar-nos com a realidade vivida pela população de diversas localidades, onde os mesmos documentos foram redigidos, sejam eles Beja, Coimbra, Cantanhede, Mira, Penacova ou Portalegre.

Os cuidados médicos, as medidas sanitárias e a terapêutica médica, são alguns dos temas retratados, para ilustrar como as situações foram encaradas.

Dois séculos depois, sobre a data dos mais antigos documentos exibidos, vivemos também situações que são, de alguma forma, muito semelhantes. Os receios de contágios, as hesitações em suspender mercados públicos, os subsídios a quem fica sem qualquer forma de sustento, etc., de que falam alguns documentos, não estão longe dos temas de noticiários atuais.

Também a seleção de documentos relativos à impressão de editais vem ilustrar a necessidade de levar o mais longe possível o conhecimento das medidas adotadas, através da sua publicitação generalizada.

Os meios de comunicação eram outros, as notícias não circulavam de forma tão célere, como atualmente, mas procurava-se fazer chegar à população a informação sobre como obter apoio médico.

A participação na NEI, permite revelar uma faceta da preservação do Património Cultural e, em particular, dos acervos documentais, que é uma das missões atribuídas ao AUC, a par com a sua valorização, tratamento e difusão, como está consubstanciado no seu Regulamento em vigor (v. Artigo 2º do Regulamento nº 574/2010, de 2 de julho).

Assim, e para completar este desafio, brevemente, nesta página, irá ficar patente a exposição documental virtual que se está neste momento a ultimar. 

Esta página encontra-se em atualização. 

Aguardem pela sua publicação, brevemente, aqui!