Amândio Santos, investigador na ADAI e docente da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física (FCDEF) da Universidade de Coimbra (UC), está a representar a UC nesta Volta a Portugal.

17 august, 2023≈ 4 min read

Amândio Santos, investigador na ADAI e docente da Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física (FCDEF) da Universidade de Coimbra (UC), está a representar a UC nesta Volta a Portugal.

A UC está presente em Ourém, local da chegada da primeira etapa da 84.ª edição da Volta a Portugal em Bicicleta, a convite do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Amândio Santos tem desenvolvido trabalho de preparação de atletas de várias modalidades. No que toca ao ciclismo, "todos os ciclistas que vão para o estrangeiro passaram por mim", diz o professor, referindo-se a atletas como João Almeida, António Morgado, Gonçalo Tavares ou Daniel Lima. “O objetivo é chegar à melhor potência possível sem criar fadiga" e "isso é tudo monitorizável”, explica.

Para o efeito, são realizados vários tipos de testes. Um dos mais importantes passa por perceber qual é o metabolismo aeróbio dos atletas, fator crucial na geração de energia, tanto em repouso como na prática de exercício físico. E não poderia ser de outra forma pois, para o investigador, é claro que "a chave do sucesso está na individualização".

O professor explica que competições como a Volta a Portugal são "provas de longa duração", sendo a maior dificuldade dos atletas a "gestão de esforço". É preciso também fazer uma gestão em "termos de termorregulação e do equilíbrio hidroeletrolítico", ressalva. Com as temperaturas elevadas e os fogos que assolam o país, os atletas vão "libertar quantidades de água enormes", acrescenta Amândio Santos.

Juntamente com outros investigadores, Amândio Santos desenvolve inúmeros trabalhos na área do Desporto. Um exemplo é o protocolo de colaboração que a FCDEFUC tem com a ADAI - Associação para o Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial. No caso do ciclismo, este laboratório trabalha a "vertente aerodinâmica". "Temos um túnel de vento e criámos condições para, neste momento, poder ver quais são os equipamentos mais aerodinâmicos em termos de bicicletas, capacetes, rodas", diz Amândio Santos. Estas investigações vão ser "uma ajuda muito importante para o ciclismo nacional", refere.

Com partida de Viseu e chegada a Viana do Castelo, esta competição percorre o país todo, passando também pelo Algarve. O pelotão, formado por um máximo de 126 ciclistas, conta com 18 equipas, sendo metade destas portuguesas. A 84.ª Volta a Portugal em Bicicleta decorre de 9 a 20 de agosto, perfazendo cerca de 1600 km repartidos por 10 etapas.

Texto Original em https://noticias.uc.pt/artigos/universidade-de-coimbra-marca-presenca-na-volta-a-portugal/