Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Retratos de Ninguém - instalação interativa que explora a criação computacional de conteúdos na fronteira entre o real e o artificial

23 julho
Retratos de Ninguém, Museu Nacional de Arte Contemporânea — Museu do Chiado, 2019. Fotografia de José Paulo Ruas (ADF/DGPC)

Retratos de Ninguém é uma instalação interativa que explora a criação computacional de conteúdos na fronteira entre o real e o artificial, utilizando como matéria-prima imagens e sons da própria audiência. No espaço desta instalação, é criado um ambiente audiovisual, imersivo e em constante mudança, definido pela síntese, projeção e reprodução efémera de um conjunto de retratos fotorrealistas e de sons-ambiente criados de forma artificial. A instalação utiliza inteligência artificial e computação gráfica para extrair e recombinar partes faciais da audiência e, assim, criar retratos de uma população artificial. A estes retratos é atribuída uma composição sonora baseada em sons produzidos pela audiência durante a sua visita. A instalação, assim como o conteúdo criado por ela, proporciona um espaço de reflexão acerca do modo como os recentes avanços tecnológicos permitem a manipulação da informação que nos faz questionar se o que estamos a ver é real ou artificial.

Retratos de Ninguém é um projeto desenvolvido no grupo de Sistemas Cognitivos e Multimédia do Centro de Informática e Sistemas da Universidade de Coimbra, com o apoio do Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra e da Fundação para a Ciências e Tecnologia.