Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Foto
Luis Fernando Gomes da Silva Quintais

Categoria profissional: Professor Auxiliar

Morada institucional: Departamento de Ciências da Vida
Faculdade de Ciências e Tecnologia
Universidade de Coimbra
Calçada Martim de Freitas
3000-456 Coimbra
Portugal

Gabinete: 2º Piso do Colégio de S. Bento

Telefone: +351 239 240 731

Extensão interna: 262 231

Fax: +351 239 240 701

Email: lfgsq@ci.uc.pt

URL de página pessoal: http://web.mac.com/luisquintais/Site/Welcome.html

Áreas de interesse: Relações entre Antropologia e Literatura, relações entre Antropologia e Arte,  Estudos Sociais de Ciência e Tecnologia, Cultura e Cognição, Modernidade e Pós-Modernidade.

Publicações mais relevantes/recentes:

(To be published soon), “Iconoclash, bioclash: a violência da arte em ‘Decon’ de Marta de Menezes”, in António Sousa Ribeiro (ed.), Representações da violência, Coimbra, Almedina / Centro de Estudos Sociais (CES).

(2009), “Through a name: ‘Proteic portrait’ de Marta de Menezes”, in Marta de Menezes, Proteic portrait: a project by Marta de Menezes, Extremadura / Badajoz, MEIAC, Museu Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo, pp. 93-109.

(2009), “Petit think tank # 1: after the laboratory” (with Inês Moreira, Marta de Menezes, João Urbano, Aida Castro, and Joana Costa), in Marta de Menezes, Decon: deconstruction, decontamination, decomposition, Oeiras, Lisboa, Ectopia - Instituto Gulbenkian de Ciência / Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 83-119.

(2009), “Mondrian, Derrida, and the biotechnologies”, in Marta de Menezes, Decon: deconstruction, decontamination, decomposition, Oeiras, Lisboa, Ectopia - Instituto Gulbenkian de Ciência / Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 56-63.

(2008), “Metamorfose, tecno-selecção, encantamento: sobre ‘Nature?’ de Marta de Menezes”, Nada, 12, pp.17-23.

(2007), "Fluidez tectónica: as bio-tecno-ciências, a bioarte e a paisagem cognitiva da modernidade", Revista crítica de ciências sociais, 79, pp. 79-94.