Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Núcleo Museológico de Informática do DEI.UC inaugurado com exposição sobre o primeiro computador produzido em Portugal

12 janeiro
Inauguração NMI
Inauguração NMI

O Departamento de Engenharia Informática da Universidade de Coimbra (DEI.UC) inaugurou o Núcleo Museológico de Informática com a apresentação da exposição “Do ENER ao Espaço”, hoje, dia 12 de janeiro, no DEI, Polo II. A exposição “Do ENER ao Espaço” homenageia o primeiro computador projetado e produzido industrialmente em Portugal, o ENER 1000, criado no Departamento de Engenharia Eletrotécnica da Universidade de Coimbra pelo grupo que deu origem ao DEI.

A exposição embarca numa viagem pela história do ENER 1000, a sua evolução para o UNIC, a criação da máquina de escrever MESSA e, por fim, o desenvolvimento do injetor de falhas Xception.

A apresentação esteve a cargo do Presidente da Direção do DEI, Jorge Henriques, do Vice-Presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Francisco Veiga, do Reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, e do Presidente da Direção do Instituto Pedro Nunes e coordenador do projeto ENER, João Gabriel Silva. A exposição contou, ainda, com o apoio do Atelier Corvo e João Bicker, e com o patrocínio da Critical Software.

O Núcleo Museológico de Informática reúne uma coleção de equipamentos informáticos usados no DEI, dos quais se destacam as peças da exposição “Do ENER ao Espaço”, a primeira exposição a ser apresentada neste núcleo.

Sobre a exposição “Do ENER ao Espaço”:

O projeto ENER teve início em 1980 e foi introduzido no mercado pela Enertrónica, tendo recebido o 1.º Prémio de Inovação no Encontro Nacional para o Desenvolvimento das Indústrias Eléctricas e Electrónicas (ENDIEL) em 1983. O projeto passou por várias mutações, tendo sido substituído em 1985 por uma versão mais evoluída, o UNIC, também comercializado em Portugal pela empresa RIMA, do Porto. Este projeto veio dar origem ao Xception, um injetor de falhas que simulava de forma rápida as avarias reais. Esta tecnologia foi aplicada em satélites da NASA e, mais tarde, outras versões foram vendidas às Agências Espaciais Europeia, Chinesa, Brasileira e Japonesa.

O projeto ENER está na génese do DEI, do CISUC (Centro de Informática e Sistemas da UC) e do LIS-IPN (Laboratório de Informática e Sistemas do Instituto Pedro Nunes), e teve, ainda, influência direta na criação de empresas de referência, como a Critical Software e a Wit Software.