Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Daniel Salvador

Mestrando em Computação Científica na Universidade de Uppsala (Suécia), 2015

Daniel Salvador

- Onde fez o seu ensino secundário e porque escolheu estudar Matemática na UC? 
Realizei o ensino secundário na Escola Secundária de Cantanhede (agora denominada Escola Secundária Lima-de-Faria). Estudar Matemática não foi uma escolha óbvia, visto que, aos 18 anos, era ainda muito difícil para mim saber definitivamente a carreira profissional que me faria sentir realizado. Comecei por estudar Eng.ª Física, mas, após algum contacto com a área da Matemática Aplicada, soube que era nesta disciplina que queria desenvolver uma carreira. O curso de Matemática na UC seduziu-me devido à possibilidade de efetuar uma componente substancial em Computação e Matemática Computacional.

- Que memória guarda dos anos que estudou na UC?
Em relação ao meu tempo como estudante da UC, lembro-me principalmente dos amigos e da camaradagem; sem obviamente descurar a vertente académica, pois, na Licenciatura em Matemática do DMUC, tive o prazer de frequentar as aulas de alguns dos melhores docentes que já conheci. Guardo também boas recordações de toda a estrutura não-docente do DMUC, que era uma fonte diária de boa disposição.

- Qual foi o seu percurso depois de estudar na UC?
Enquanto finalista da Licenciatura em Matemática, decidi que gostaria de me especializar na área da Matemática Computacional. Como pretendia obter experiência internacional, candidatei-me ao Mestrado em Computação Científica da Universidade de Uppsala, onde estou neste momento a realizar uma tese sobre métodos sem malha aplicados à simulação numérica de tecido muscular esquelético.

- Que importância teve para o seu percurso profissional a formação matemática que adquiriu no DMUC?
A formação matemática que obtive no DMUC forneceu-me bases sólidas nas disciplinas fundamentais de Matemática e Computação, que facilitam a captação do desenvolvimento científico na fronteira do conhecimento, especificamente na área da Matemática Computacional. Em relação a outros colegas, oriundos de vários países, que frequentam o mesmo Mestrado que eu, sinto que o DMUC instigou um sentido de rigor e me permitiu adquirir capacidades analíticas e quantitativas, que me dão uma vantagem quando é necessário abordar problemas matemáticos.