Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Artigo de Carlos Fortuna distinguido com Prémio Análise Social 2020

18 novembro
Carlos Fortuna
Carlos Fortuna
© FEUC

O artigo "O mundo social do ruído. Contributos para uma abordagem sociológica", de Carlos Fortuna, Professor Catedrático Jubilado da FEUC, foi o vencedor do Prémio Análise Social 2020, ex-aequo com o artigo da autoria de Ricardo Paes Mamede, "Explicações alternativas para a crise do Euro e suas implicações".

O prémio será entregue no Fórum ICS, que terá lugar no ICS-ULisboa (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa), no dia 14 de Dezembro, às 17:30h.

O júri do Prémio foi composto por Sofia Aboim (presidente, ICS-Universidade de Lisboa), António Firmino da Costa (ISCTE-IUL), Bela Feldman-Bianco (UNICAMP), Alina Pereira Esteves (IGOT-Universidade de Lisboa) e Octavio Amorim Neto (EBAPE-Fundação Getulio Vargas).


O mundo social do ruído. Contributos para uma abordagem sociológica.

Análise Social, 234, lv (1.º), 2020, 28-71

Um socialmente curioso percurso fez do ruído o incontornável ambiente sonoro da moderna urbanidade. O texto analisa a história do “mundo social do ruído” e mostra como com o tempo o seu inicial estranhamento deu lugar a uma generalizada condescendência e à aceitação social deste “som indesejado” como lhe chama Murray Schafer. Depois de argumentar como alguns artistas, no campo da pintura, da música e da poesia contribuíram para a acomodação social do ruído, o artigo dá conta de duas célebres investidas históricas antirruído, destacando o papel do filósofo alemão Th. Lessing e da médica norte-americana Julia Rice. Hoje, os efeitos sociológicos mais importantes do ruído são a enunciação da presença do “outro” e o silenciamento da dissidência. O texto termina remetendo para o reconhecimento do ruído como território de continuadas disputas sociais que convidam a uma aturada investigação sociológica.