Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Sexualidades e Género nas Literaturas Africanas e a Língua Portuguesa

Coordenador: Pires Laranjeira



1. Justificação

Pretende-se tratar assuntos praticamente tabu, investigando a influência das cosmovisões ancestrais, do puritanismo católico, do patriarcalismo-machismo da sociedade africana urbanizada, do analfabetismo geral e feminino, da escassa ou nula divulgação dos feminismos ocidentais e africanos, assim como a lenta emergência da emancipação feminina, uma visão diferenciada dos africanos, em geral, quanto às sexualidades e às relações afectivas.
    Tem-se em vista uma análise crítica dos discursos, no âmbito de uma reflexão sobre os mecanismos linguísticos da produção de discursos sexistas, eróticos, pornográficos, machistas, patriarcais, homofóbicos, preconceituosos, em suma, dominantes, na língua portuguesa em que os textos se tecem.
    Buscam-se novas formulações de identidades, optando pelas sexualidades e géneros como problemáticas fracturantes e transversais.

2. Objetivos a atingir

Organização e publicação de uma antologia de textos literários com a presença de sexualidades; organização e publicação de uma antologia exclusivamente erótica; livro com textos crítico-teóricos produzidos durante a investigação e apresentados em colóquios locais/nacionais e no colóquio internacional final, que concluirá os trabalhos; sete colóquios locais/nacionais/internacionais de pequena dimensão (de tipo seminarial, mas abertos ao público), distribuídos pelo triénio, com a finalidade de ir apresentando os resultados parciais das investigações, e um colóquio internacional final, nas seguintes cidades: Coimbra (11-11-2014), Porto (setembro de 2016, colóquio final), Aveiro (Abril de 2015), São Paulo (final de 2014), Paris (Abril de 2016), Rennes (Novembro de 2015) e Viterbo (Outubro de 2015).

3. Metodologia 

Atribuição de tarefas por áreas, segundo as competências e opções dos investigadores, incluindo o tipo de textos (e temáticas) a produzir pela equipa. Recolha de bibliografia ativa, teórica (psicanálise, subalternidade, feminismo, queer, etc.) e de crítica literária (sobre os textos literários). Revisão crítica (com seleção) da bibliografia teórica e crítica. Seleção de textos (e trechos) para as antologias. Planeamento e organização dos colóquios intermédios e do colóquio internacional final, com as comunicações dos investigadores, apresentando as conclusões dos trabalhos em cada área.

4. Recursos humanos

Investigadores (23) de Portugal, Brasil, Itália, França, Cabo Verde e Angola, incluindo alguns seniores e também mestrandos e doutorandos ligados à FLUC/CLP.