Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Categorias Estéticas na Literatura Portuguesa e em Outras Literaturas

Coordenadora: Marta Teixeira Anacleto

Equipa

Ana Teresa Peixinho
Eric Van Achter
Fernando Matos Oliveira
João da Costa Domingues
José Carlos Seabra Pereira
Maria de Jesus Cabral
Maria do Rosário Mariano
Maria Helena Santana
Maria João Simões
Marta Teixeira Anacleto
Noélia Duarte
Ricardo Namora
Rosa Goulart
Sara Augusto

Início do projeto: 2005
Final do projeto: 2011 (1ª etapa)


Caraterização

Objetivos
Estudo da poética dos géneros e dos modos/formas literárias (categorias estéticas e/ou metatextuais), na literatura portuguesa e no diálogo que estabelece com outras literaturas.

Atividades
1. workshops realizados: o Grotesco (2005), o Melodrama (2005), o Fantástico (2005), o Texto Breve (2006), o Trágico (2009).

2. workshops a realizar: Fronteiras do Cómico (2012); Formas/fórmulas de Epistolaridade (2013).

Publicações

Simões, Maria João (org.)O Grotesco, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2005.

Santana, Maria Helena, Fernando Matos Oliveira e José Oliveira Barata (orgs.), O Melodrama I, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2006.

Cordeiro, Cristina Robalo e Maria João Simões (orgs.), O Texto Breve: Para uma Abordagem Diferencial, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2007.

Simões, Maria João (org.), O Fantástico, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2008.

Anacleto, Marta Teixeira e Fernando Matos Oliveira (orgs.), O Trágico, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2011.

Santana, Maria Helena e Fernando Matos Oliveira (orgs.), O Melodrama II, Coimbra: Centro de Literatura Portuguesa, 2012. [no prelo]



2. sub-projeto associado:

Rumos do Teatro Poético: dos impulsos 'novistas' finisseculares às viragens modernistas

Coordenação: Maria de Jesus Cabral


Início do Projeto: 1 de Março de 2008
Fim do Projeto: 1 de Março de 2012


Caraterização

Apresentação

Este projeto articula-se em torno da evolução do teatro poético, numa acepção integrada de texto dramático e texto espectacular, como fulcro de sucessivos questionamentos teóricos e performatividades teatrais, desde os impulsos “novistas” finisseculares até às viragens conceptuais da geração de Orpheu.

Perscrutando a sintonia ideológico-poética do Simbolismo português com o movimento franco-belga, propiciado pelo cosmopolitismo emblemático de Eugénio de Castro, indagaremos as propostas poético-dramáticas surgidas no contexto da literatura portuguesa fim-de-século e os seus diálogos com a Escola idealista de expressão francesa, no momento decisivo de reacção e de abertura a novas experiências estético-dramatúrgicas.

Atentando no tecido poético e metafísico dos poemas dramáticos castrianos, a par de realizações de D. João da Câmara e de António Patrício, interessa-nos destrinçar as motivações de um teatro de depuração formal e de acção latente, diluindo fronteiras genológicas seculares.

Avançaremos na obra fortemente dramatizada de Raul Brandão e na de Mário de Sá Carneiro, evoluindo para “zonas intermédias”, a que a metateatralidade de Fernando Pessoa ou a energeia artística de Almada Negreiros conferem uma extensão exemplar.