Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO
Atualidade

Coimbra recebe o primeiro simpósio de Ação Humanitária Forense

21 novembro
1st International Symposium on Humanitarian Forensic Action
1st International Symposium on Humanitarian Forensic Action
© Carlos Costa

O International Symposium on Humanitarian Forensic Action: Forensic Best Practices and Principles for Preventing and Resolving the Missing Persons acontece de 27 a 29 de novembro em Coimbra e vai reunir especialistas de Medicina Legal e Ciências Forenses, com experiências em zonas de conflito e em situações de catástrofe.

Com participantes de mais de 50 países, o simpósio tem como objetivo “promover a partilha de reflexões e experiências e propor soluções, em termos de princípios e orientações, para profissionais forenses e decisores, no sentido do melhor uso da ciência forense para prevenir e resolver casos de pessoas desaparecidas”, explica a organização.

“Hoje, o direito de qualquer cidadão é que o seu corpo seja recuperado após a morte e entregue à família. É considerado um direito humano fundamental”, refere Duarte Nuno Vieira, um dos organizadores do evento internacional.

“Com os fenómenos migratórios, há cada vez mais desaparecidos”, acrescenta o também docente da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC). De acordo com o especialista, o simpósio vai contar com “alguns dos nomes de maior relevância da medicina legal e forense, é quem está no terreno, pessoas com muita experiência prática”.

Com cerca de 250 participantes no total, muitos dos quais têm experiência em “zonas mais sensíveis”, afirma Duarte Nuno Vieira, como a Síria ou Santiago do Chile, ou mesmo “no próprio mediterrâneo. É a zona geográfica onde estamos e onde temos neste momento mais de 30 mil corpos de migrantes que não sabemos quem são nem de onde vinham e que carecem de uma identificação e de uma devolução às famílias”, conta o organizador.

Para além de partilha de experiências, o evento internacional vai servir também para a criação de linhas de orientação para os especialistas de todo o mundo, explica o docente.

Organizado pelo Missing Persons Project, do Comité Internacional da Cruz Vermelha, em colaboração com a FMUC, a Cruz Vermelha Portuguesa, a Câmara Municipal de Coimbra e o Centro de Pós Graduação em Medicina Legal, a sessão inaugural do evento conta já com a participação confirmada da Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, e do Secretário de Estado da Defesa, Jorge Seguro Sanches.

Destaque para a participação especial de Estela Carlotto, a fundadora e líder das avós da Praça de Maio, na Argentina, que vai marcar presença no simpósio.

Mais informações sobre o evento através da página do evento, aqui: https://www.hfa2019.pt/

UC | Marta Costa e Karine Paniza