Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Duarte Nuno Vieira distinguido duplamente pela Academia American de Ciências Forenses

26 março

A Academia Americana de Ciências Forenses noticiou na sua página ter atribuído ao Professor Catedrático da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra, Duarte Nuno Vieira, dois dos seus mais relevantes prémios, no decurso do congresso anual, que decorreu em Anaheim, na Califórnia. Duarte Nuno Vieira, que é Fellow desta Academia desde há cerca de uma década, foi distinguido, em simultâneo, com o Clyde Snow Award e com o Milton Helpern Award.

O Clyde Snow Award é atribuído a um cientista ou a uma organização forense que tenha feito contribuições extraordinárias, a nível mundial, no âmbito da ação humanitária e da promoção e proteção dos direitos humanos, através do uso das ciências forenses. O prémio ostenta o nome do antropólogo forense Clyde Collins Snow (1928-2014), pioneiro na aplicação da ciência forense aos direitos humanos, cuja carreira e realizações constituem um modelo extraordinário de inspiração. Segundo a Academia Americana de Ciências Forenses o Prémio Clyde Snow Award “representa também o compromisso desta Academia no que se refere à aplicação das ciências forenses para ajudarem a resolver questões importantes no domínio internacional e global”. Os candidatos a este prémio (indivíduos ou organizações) podem ser propostos por um membro da Academia ou por membros da comunidade internacional das ciências forenses, assim como por organizações cientificas internacionais neste âmbito. Duarte Nuno Vieira havia sido proposto como candidato pela Rede Ibero-Americana de Instituições de Medicina Legal e Ciências Forenses, uma rede que agrupa Institutos Médico-Legais e Forenses dos 22 países do espaço Ibero-Americano de língua oficial portuguesa ou espanhola. Na sua edição anterior, este prémio havia sido atribuído à Equipa Argentina de Antropologia Forense, que tem realizado também um extraordinário trabalho a nível internacional, e que este ano está proposta para o Prémio Nobel da Paz.


Duarte Nuno Vieira recebe de Douglas Ubelaker o Clyde Snow Award

A Academia Americana de Ciências Forenses atribuiu ainda a Duarte Nuno Vieira o Milton Helpern Award, prémio destinado a reconhecer, segundo a Academia, um “profissional forense que se tenha distinguido por uma carreira de excelência no âmbito da patologia forense, abrangendo simultaneamente a prática pericial, a educação, a investigação científica, a consultadoria e a administração de serviços forenses, tendo proporcionado invulgares e relevantes contribuições para o desenvolvimento e aperfeiçoamento da investigação médico-legal”. Ainda segundo a Academia Americana, este prémio reconhece quem é “altamente respeitado pelos seus pares, constituindo um exemplo vivo dos princípios, padrões e objetivos pelos quais se devem reger todos os especialistas em patologia forense”. Milton Helpern, falecido em 1977, foi um dos médico-legistas mais famosos de sempre, tendo ficado conhecido nos Estados Unidos como o "Sherlock Holmes com microscópio". Foi patologista forense chefe na cidade de Nova York, durante mais de 20 anos, tendo sido elemento chave na investigação de alguns dos mais famosos homicídios dos Estados Unidos. Duarte Nuno Vieira foi escolhido para este prémio pela Secção de Patologia e Biologia Forenses da Academia Americana de Ciências Forenses, tornando-se o primeiro europeu a ser galardoado com ele.


Duarte Nuno Vieira com a placa que o reconhece como galardoado com o Milton Helpern Award.

Duarte Nuno vieira foi já distinguido no passado com outros prémios internacionais igualmente relevantes, destacando-se entre eles a Douglas Lucas Medal Award, o prémio de maior prestígio internacional no âmbito das Ciências Forenses, conhecido como o “Nobel das Ciências Forenses”, e que lhe foi atribuído em 2014, no decurso do Congresso Trienal da Associação Internacional de Ciências Forenses, que decorreu em Seul, na Coreia do Sul.