a carregar...

Medicina Dentária Coimbra

Programa científico

6ª feira, 16 de março de 2018 - Reunião


09:00 - 09:45

Extração de terceiros molares assintomáticos. Quando e porquê?

DanielaPereira

Daniela Alves Pereira

Curriculum Vitae: Licenciada em Medicina Dentária pela Universidade de Coimbra em 2005

Pós-Graduada em Implantologia e Cirurgia Oral pela Universidade de Barcelona em 2005-2008

Doutorada pela Universidade de Barcelona em 2017

Especialista em Cirurgia Oral pela OMD

Assistente Convidada de Cirurgia Oral do MIMD da FMUC desde 2010

Prática Clínica privada de Cirurgia Oral, Periodontologia e Implantologia

Resumo: Sabemos que entre 18 a 40% dos terceiros molares extraídos diariamente estão assintomáticos. A justificação para esta atitude baseia-se na necessidade de minimizar o potencial risco futuro de patologia associada ao dente e reduzir a morbilidade cirúrgica associada à idade.

No entanto, as Guidelines publicadas atualmente sobre este tema diferem de país para país. O Reino Unido, por exemplo, desaconselha a extração profilática enquanto outros países como a Escandinávia, Alemanha e EUA consideram-na uma opção válida.

Estes critérios díspares dificultam a toma de decisões terapêuticas, por isso, com este trabalho, pretende-se orientar os clínicos na decisão clínica diária perante terceiros molares assintomáticos de acordo com as características clínicas e radiográficas do dente baseado na opinião de Médicos Dentistas portugueses e espanhóis, contextualizado com as publicações científicas mais recentes sobre o tema.


09:45 - 10:30

Cirurgia Plástica Periodontal

ElsaDomingues

Elsa Domingues

Curriculum Vitae:Médica Dentista com prática exclusiva em Periodontologia e Implantes

Assistente Convidada, na valência de Periodontologia da Unidade Clínica 2 (4º ano) e Unidade Clínica 1 (5º ano), no MIMD da FMUC

Especialização em Periodontologia pela FMDUL, em 2014

Formação pós-graduada em Cirurgia Plástica e Regenerativa Periodontal pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Sevilha, em 2010

Summer School em Clínica Periodontal e Implantológica na Faculdade de Medicina Dentária de Heidelberg, em 2010

Mestrado Integrado em Medicina Dentária pela FMUC, em 2009

Licenciatura em Medicina Dentária pela FMUC, em 2008

Autora e co-autora de vários posters e comunicações apresentados em congressos nacionais e internacionais

Resumo: A cirurgia plástica periodontal é a área da Periodontologia que compreende os procedimentos que visam prevenir ou corrigir defeitos da anatomia, posição e quantidade de tecidos periodontais ou perimplantares. O correto diagnóstico e a decisão terapêutica precoce são fundamentais para a fácil resolução dos casos clínicos, antecipando o seu agravamento. Durante esta apresentação pretendemos realçar a importância da interdisciplinaridade na elaboração de um diagnóstico assertivo, bem como explicar de um modo simples e didático as várias indicações clínicas da cirurgia mucogengival, recorrendo à documentação com casos clínicos.


11:00 - 11:45

Hipomineralização incisivo-molar em odontopediatria

InesMartins

Inês Cardoso Martins

Curriculum Vitae: Licenciada em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa (FMDUL)

Especialista em Odontopediatria pela Ordem dos Médicos Dentistas

Especialização em Odontopediatria e Tratamento a Doentes com Necessidades Especiais pela Faculdade de Medicina Dentária e Estomatologia da Universidade Católica de Louvain (UCL), Bruxelas

Pós-graduação em Sedação Consciente com M.E.O.P.A para tratamentos dentários pela Faculdade de Nancy-Metz, Universidade Henri Poincaré-Nancy 1, França

Assistente convidada do Departamento de Odontopediatria da FMDUL e Docente do curso Pós-Graduado de Especialização em Odontopediatria da FMDUL

Doutoranda na área de Odontopediatria na FMDUL

Prática exclusiva em Odontopediatria e tratamento a Doentes Especiais

Membro ativo da “European Academy of Paediatric Dentistry”, da “International Association of Pediatric Dentistry” e da “Sociedade Portuguesa de Odontopediatria”

Várias palestras e cursos ministrados na área da Odontopediatria 

Resumo:A hipomineralização incisivo-molar - HIM - é definida como uma hipomineralização de origem sistémica, que afeta um a quatro dos primeiros molares permanentes (PMP) estando também frequentemente associada aos incisivos permanentes (IP). A sua etiologia ainda não está totalmente definida. Pensa-se que poderá estar associada a fatores de natureza sistémica e a alterações ambientais, podendo também seguir um padrão genético. Clinicamente, o esmalte é macio, poroso e frágil, com aparência de giz. As opacidades demarcadas são amarelo-acastanhadas ou brancas e têm limites claros e distintos do esmalte normal adjacente. Geralmente os defeitos são assimétricos e encontram-se nas superfícies vestibulares e oclusais dos molares e incisivos.

As crianças com HIM exibem frequentemente medo e ansiedade, associados à hipersensibilidade dentária e dificuldade em obter analgesia nos dentes afetados.

Esta patologia apresenta uma enorme relevância clínica sendo importante o diagnóstico precoce no sentido da implementação de medidas rigorosas de higiene oral e do estabelecimento de estratégias preventivas que permitam a remineralização das superfícies dentárias hipomineralizadas. 


11:45 - 12:30

Reabilitações Extensas – fatores determinantes para o sucesso

JorgeCardoso

Jorge André Cardoso

Curriculum Vitae: Licenciado pela FMDUP

Mestrado Prostodontia pelo King ́s College, Universidade de Londres

Professor Honorário no King ́s College, Universidade de Londres

Autor de vários artigos em revistas internacionais peer-reviewed e de quatro capítulos no livro Practical Procedures in Aesthetic Dentistry

Membro Fundador e da Direção da SPED entre 2008-2016

Clínica privada na cidade de Espinho

Resumo: As reabilitações estéticas podem ser funcionalmente bem integradas sem excessiva complexidade.

A estética dentofacial tem sido objeto de estudo exaustivo e a oclusão funcional,

outrora coberta de fundamentalismos e correntes diversas, encontra-se atualmente bem mais esclarecida e prática. No entanto, nem sempre é claro separar o que é menos importante, daquilo que necessita de um controlo criterioso. É, por isso, fundamental identificar e, sobretudo, entender os fatores absolutamente determinantes do sucesso estético e funcional.

Com conceitos claros e facilmente aplicáveis, nesta conferência será apresentada uma forma de reabilitar, casos simples ou mais extensos, de modo que consigamos restaurações com aspeto natural e bem integradas na face do paciente. E que, por outro lado, permitam manter ou até melhorar a função oclusal, para que os tratamentos permaneçam estáveis e bem sucedidos o maior tempo possível.


14:30 - 15:45

Tomografia computadorizada: ampliando nossa visão em Ortodontia

DanielaGarib

Daniela Garib 

Curriculum VitaeGraduação em Odontologia pela Faculdade de Odontologia de Bauru USP (1995)

Mestrado em Ortodontia e Ortopedia Facial pela Faculdade de Odontologia de Bauru USP (2000) e doutoramento em Ortodontia e Ortopedia Facial pela Faculdade de Odontologia de Bauru USP (2003)

Pós-doutorado na Harvard School of Dental Medicine - Boston, EUA (2004 - Supervisor Dr. Sheldon Peck) e a livre-docência na FOB-USP (2011)

Realizou um Research Fellowship na Universidade de Michigan, Ann Arbor, EUA (2016-17 - Supervisora Dra. Lucia Cevidanes)

Professora Associada de Ortodontia no Hospital de Reabilitação de Anomalias Craniofaciais e Faculdade de Odontologia de Bauru - USP, em Bauru. Presidiu a Comissão de Pós-Graduação do HRAC-USP e coordenou o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação (2011-2017). Coordenou a Câmara de Avaliação do Conselho de Pós-Graduação da Universidade de São Paulo (2014-2017). Tem experiência na área de Odontologia, com ênfase em Ortodontia, atuando principalmente nos seguintes temas: tratamento intercetivo, imagens digitais, expansão rápida da maxila, anomalias dentárias, fissuras lábio-palatinas e inter-relação Ortodontia-Periodontologia

Resumo: Esta conferência apresenta novas evidências em Ortodontia provenientes de estudos com tomografia computadorizada cone-beam. A tomografia computadorizada tem definido os limites anatómicos da movimentação dentária e elucidado os efeitos tridimensionais das intervenções ortopédicas faciais. Conhecer amplamente os detalhes anatómicos dos pacientes, compreender os efeitos colaterais da movimentação dentária e os efeitos tridimensionais das terapias significa reconhecer os nossos limites e possibilidades, praticando a Ortodontia com mais segurança.


15:45 - 16:30

Doenças hereditárias sistémicas – quando o médico dentista faz o diagnóstico

HenriquetaSilva

Henriqueta Silva

Curriculum VitaeEspecialista em Ginecologia e Obstetrícia, desde 2002 que se dedica área da genética médica

Doutoramento em genética em 2006 na Faculdade de Medicina da UC onde é professora auxiliar e regente da Unidade Curricular de Genética da Licenciatura em Medicina Dentária

Docente de genética na licenciatura em Medicina e noutros cursos da Universidade de Coimbra

Responsável pelo Laboratório Central de Sequenciação e Genómica Funcional da Faculdade de Medicina. As suas áreas de investigação são a suscetibilidade genética para os fenótipos complexos, farmacogenómica e genética do cancro

LeonorBarroso

Leonor Barroso

Licenciada em Medicina pela FMUC (1997)

Assistente Hospitalar de Cirurgia Maxilo-Facial (2006)

Assistente convidada da Faculdade de Medicina de Coimbra - MIMD - área curricular de Cirurgia, Anestesiologia e Reanimação - desde 2016

Aluna do Programa de Doutoramento em Ciências da Saúde da FMUC - desde 2016

Resumo: Muitas das doenças hereditárias sistémicas têm manifestações orais e por vezes é o Médico Dentista o primeiro a suspeitar do diagnóstico. Mesmo nas doenças classificadas como monogénicas, a ausência frequente de antecedentes familiares, e características como a expressividade variável, pleiotropismo e manifestação tardia, dificultam o diagnóstico. A realização de uma história clínica que inclua o registo de patologia não oral do consulente e dos seus familiares e uma avaliação cuidadosa da patologia atual, sem esquecer etiologias mais raras e mantendo um espírito crítico perante um quadro clínico mal explicado, são essenciais. Como exemplo, serão apresentados casos clínicos de patologias como as síndromas de Marfan, de Gorlin e de Papillon Lefèvre.


17:00 - 17:45

CAD-CAM: restaurações monolíticas nos sectores posteriores

AndreCorreia

André Correia

Curriculum VitaeLicenciado em Medicina Dentária pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, em 2003

Pós-Graduado em Clínica em Implantologia e Prótese Oral pela Faculdade de Odontologia da Universidade de Barcelona, em 2004

Internship em Informática Dentária no Center for Dental Informatics, School of Dental Medicine, University of Pittsburgh, em 2007

Doutorado em Medicina Dentária (Área de Prótese Dentária e Oclusão) pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto, em 2009

Professor Colaborador Convidado da Pós-Graduação em Clínica em Implantologia e Prótese Oral da Faculdade de Odontologia da Universidade de Barcelona (2004-2007)

Professor Auxiliar Convidado da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (2009-2015)

Professor Auxiliar Convidado do Instituto de Ciências da Saúde, Viseu, da Universidade Católica Portuguesa (desde 2009)

Coordenador do Mestrado Integrado em Medicina Dentária do Instituto de Ciências da Saúde de Viseu da Universidade Católica Portuguesa (desde 2015)

Investigador do Laboratório Associado de Energia, Transportes e Aeronáutica (INEGI - FEUP)

Investigador do Centro de Investigação Interdisciplinar em Saúde, do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Católica Portuguesa

Membro do International Team for Implantology (ITI)

Diretor do ITI Study Club Porto 1

Vice-Presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária

Autor de diversas publicações científicas em revistas nacionais e internacionais

Autor de diversas conferências em eventos científicos nacionais e internacionais

Exerce prática clínica privada no Porto (Clínica Dr. Manuel Neves)

Resumo: Os sistemas de CAD-CAM, i.e., computer-aided-design/computer-aided-manufacturing, estão verdadeiramente implementados na Reabilitação Oral, sobretudo na área da Prótese Fixa, podendo ser utilizados exclusivamente pelo Médico Dentista e/ou ou pelos Técnicos de Prótese Dentária. A qualidade dos trabalhos executados por estes sistemas são o garante do sucesso clínico das nossas reabilitações.

A evolução verificada nestas tecnologias tem sido fundamental na investigação e desenvolvimento de cerâmicas de elevada resistência. Hoje em dia, é possível utilizar cerâmicas monolíticas na reabilitação de estruturas dentárias nos sectores posteriores da cavidade oral, com comprovado sucesso clínico.

Nesta apresentação procurarei demonstrar indicações, vantagens e desvantagens da utilização desta tecnologia, e destes biomateriais, com um componente teórico e clínico. O primeiro, fundamental para o perfeito conhecimento do seu funcionamento. O segundo, essencial no conhecimento da sua aplicabilidade clínica.


17:45 - 18:30

Adesão dentária em 2018

AlexandreCavalheiro

Alexandre Cavalheiro

Curriculum Vitae:Médico Dentista (FMDUL, 1999)

Mestrado e Especialização em Dentisteria Operatória (School of Dentistry, Univ. of Iowa – USA, 2004)

Doutorado em Dentisteria Operatória (FMDUL, 2008)

Professor da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, Regente do Departamento da Dentisteria Operatória

Autor e co-autor de publicações e apresentações científicas, internacionais e nacionais, na área da Dentisteria Estética

Investigador na área dos adesivos amelo-dentinários (UICOB)

Prática Clínica Exclusiva em Dentisteria Estética e Prostodontia no Instituto de Reabilitação Oral, Lisboa

Resumo: Esta apresentação irá abordar os mais recentes avanços na adesão dentária, incluindo os adesivos ditos universais. Serão discutidas as melhores formas de obter uma selagem hermética duradoura da interface dente-restauração, essencial à longevidade das restaurações dentárias e à eliminação da sensibilidade pós-operatória. 


Sábado, 17 de março de 2017

09:15 - 10:30

O Uso do Microscópio e Imagens 3D na Endodontia Atual

Borja

Borja Zabalegui

Curriculum VitaeLicenciado em Medicina e Cirurgia, Universidad del País Vasco. Bilbao

Doutoramento em Medicina e Cirurgia, Universidad del País Vasco. Bilbao

Especialista em Medicina e Cirurgia, Universidad del País Vasco. Bilbao

Certificado em Endodontia, University of Southern California, Los Angeles, California (1980-1982)

Especialista, Membro Ativo, American Association of Endodontics (1982-presente)

Professor Titular de Patologia e Terapêutica Dentária, Facultad de Medicina y Odontología. Universidad del País Vasco

Membro Titular, Asociación Española de Endodoncia

Membro do International College of Dentists

Prática exclusiva em Endodontia e Microcirurgia Endodôntica. Albia Clínica Dental. Bilbao (1982-presente)

Resumo: O advento das novas tecnologias e a possibilidade de utilizar a ampliação e iluminação do microscópio cirúrgico modificaram de forma substancial a capacidade de diagnóstico e a precisão dos tratamentos em Endodontia.

O diagnóstico e a avaliação pré-operatória das potenciais dificuldades e do grau de

complexidade de cada caso clínico sofreu uma verdadeira revolução com a introdução da imagiologia digital e do CBCT.

Esta apresentação visa mostrar a forma de tirar o máximo proveito da tecnologia atual em prol do diagnóstico, das alternativas terapêuticas a apresentar ao paciente e dos resultados técnicos do tratamento realizado pelo clínico.


11:00 - 18:30

 As cinco chaves para a preparação dentária em reabilitação estética 

Jon


Jon Gurrea

Curriculum VitaeLicenciatura em Medicina Dentária, Universidad Alfonso X El Sabio in Madrid

Assistente Universitário, International Advanced Study Program in Periodontics (2003-2005), New York College of Dentistry

Professor a tempo parcial, Universidad Alfonso X El Sabio in Madrid (2007-2008)

Palestrante, Universidad Europea de Madrid (UEM) e Universitat Internacional de Catalunya (UIC) e New York University College of Dentistry

Vários artigos publicados em várias revistas como a Periodoncia & Osteointegración e Periodoncia Clínica (Spanish Society of Periodontics e Osseointegration Journals), Labline,  Journal of Cosmetic Dentistry, European Journal of Esthetic Dentistry, International Journal of Esthetic Dentistry, International Journal of Periodontics and Restorative Dentistry e Quintessence of Dental Technology no âmbito da peridontologia, dentisteria restauradora e clínica integrada

Clínica Privada “Clínica Dental Campuzano” em Bilbao, Espanha

Resumo: As 5 chaves da preparação dentária em dentisteria estética

São vários os fatores que influenciam a preparação e longevidade de facetas ou coroas. Entre eles, temos:

1. A posição dentária, onde o dente se localiza e onde vai estar;

2. A cor do substrato a aderir;

3. O eixo de inserção, material e propriedades da nossa restauração; 

4. A presença ou ausência de esmalte nas margens da restauração, que vai influenciar o método de preparação e o tipo de adesão a utilizar;

5. O contorno gengival da restauração e o seu impacto no resultado final.



Informação