Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

A Pseudociência ataca de novo

Na próxima quinta-feira, dia 26 de Setembro, pelas 18h, realiza-se no RÓMULO - Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra, a palestra intitulada "A Pseudociência ataca de novo" com David Marçal, bioquímico e um dos mais activos divulgadores de ciência e combatente da causa científica. Em particular, tem, em vários média – jornais, rádio e televisão - chamado a atenção para os perigos sociais da pseudociência, como as "medicinas alternativas", que têm ganho expressão em Portugal. A entrada é livre e destinada ao público em geral interessado em cultura científica.
24 setembro

Evento no Facebook

David Marçal é licenciado em Química Aplicada pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (2000) e doutorado em Bioquímica Estrutural pela Universidade Nova de Lisboa (2008).

Em 2006 foi jornalista de ciência do Público, no âmbito do programa "Cientistas na redacção". Em 2009 iniciou um pós-doutoramento em comunicação de ciência (sob a supervisão de Carlos Fiolhais) com um projecto que visa recorrer ao teatro e ao humor para comunicar ciência, tendo criado vários espectáculos nesse âmbito. Fundou os "Cientistas de Pé", um grupo de "stand up comedy" com cientistas. Em 2009 foi co-autor do espectáculo de teatro-fórum sobre "De que falamos quando falamos de cientistas", levado à cena no Teatro Nacional D. Maria II.

É autor dos monólogos satíricos "Stupid Design" (2009) e "Método do Bosão de Higgs" (2010), ambos criado para o Museu de Ciência da Universidade de Coimbra. Em 2010 foi coordenador das actividades de teatro em Lisboa, realizadas para a Noite Europeia dos Investigadores.

É autor de vários livros, o último dos quais é "Os inimigos da ciência", com Carlos Fiolhais (Gradiva).

Em 2010 venceu o Prémio Químicos Jovens, promovido pela Sociedade Portuguesa de Química e pela Gradiva, com um artigo de divulgação científica. No mesmo ano venceu o Prémio Ideias Verdes, promovido pela Fundação Luso e pelo Jornal Expresso, com o projecto "Cientistas de Pé".

Dirige o projecto GPS – Global Portuguese Scientists da Fundação Francisco Manuel dos Santos e é comissário do Mês da Educação e da Ciência. É colaborador do Pavilhão do Conhecimento na promoção da cultura científica.