Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Conhecedores intérpretes do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra

Conhecedores_JBUC_2

LOCAL: Jardim Botânico da Universidade de Coimbra.

PREÇO: Grátis; formação no âmbito do projeto PRISC (Portuguese Research Infrastructure of Scientific Collections - Infraestrutura Portuguesa de Coleções Científicas para a Investigação).

DESTINATÁRIOS: Alunos do ensino superior.

INSCRIÇÕES: clique aqui ou através do telefone 239 855 215 ou do e-mail jardim.botanico@uc.pt. Até 14 de outubro de 2019

SINOPSE

Os jardins botânicos são espaços ideais enquanto facilitadores de recursos pedagógicos e científicos para a aquisição de conhecimentos. A ação de formação pretende cativar os alunos do ensino superior para o saber, usufruto, interpretação, promoção e expansão do património material e imaterial do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, reconhecido como património mundial da Unesco em 2013. Os recursos e coleções do Jardim são modelos educativos e instrumentos singulares no ensino e na aprendizagem, no incremento da literacia, na divulgação da cultura e na promoção científica. Em espaço exterior à sala de aula (ensino informal), proporcionam ambientes estimulantes e situações reais oferecendo oportunidades fantásticas para explorar e cimentar saberes.

Apenas um bloco de apontamentos e num ambiente descontraído deixemo-nos inspirar pelo próprio jardim para o seu conhecimento.

METODOLOGIA

Metodologias de trabalho ao longo das sessões: atividades de cariz prático, ações ambientais e cooperativas; discussão/reflexão crítica sobre as atividades desenvolvidas e sobre a sua utilização transversal.

O curso terá a duração total de 20 horas de formação presenciais (uma sessão semanal - 10 sessões de 2 horas), prova em contexto real e trabalho escrito final.

Trabalho Presencial: O conhecimento é construído através da interação direta com os exemplares naturais, discussão de ideias, criatividade e espírito crítico, pretendendo adotar uma atitude prática e chegar à compreensão dos conceitos científicos e realidades do Jardim. Paralelamente é feita uma avaliação e reflexão contínuas de cada formando, assim como a partilha de experiências e conhecimentos no sentido da aquisição de mais valias e avaliação construtiva.

Trabalho autónomo: Cada formando tem que produzir o seu trabalho escrito, a ser avaliado.

CRONOGRAMA

A combinar com os formandos. TOTAL: 20 horas presenciais + trabalho autónomo, não presencial + prova final.

CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Alunos do ensino superior ou com formação superior.

AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação dos formandos será efetuada numa escala quantitativa, de 1 a 10 valores, nos termos da Carta Circular CCPFC - 3/2007, de Setembro de 2007.

Não serão certificados os formandos que, no final da ação, não obtenham uma classificação mínima de 5 valores e/ou não participem num mínimo de 2/3 das sessões presenciais conjuntas.

No início da formação, os parâmetros da avaliação serão clarificados com os formandos.

FORMADOR: Cristina Tavares (Bióloga, Ph-D - Jardim Botânico da Universidade de Coimbra).

RAZÕES JUSTIFICATIVAS

Desde sempre os Jardins Botânicos foram o reflexo das prioridades e valores das sociedades, espelhando a relação das pessoas com as plantas (1).

Aberto a alunos do ensino superior, este curso de formação tem como objetivo e conteúdos novas descobertas e conhecimentos, partilha de experiências e emoções, e numa atitude prática, explorar, conhecer e interpretar o Jardim, não só em espaço exterior como também em sala de aula. Alguns tópicos simples: Já entrou numa selva tropical em Coimbra? Existirá uma árvore que produza uma pinha com 5 kg? E uma recordação do maior ser vivo do mundo? Sabe o que são plantas carnívoras? Existem em Portugal? Sobreviverá um panda no JBUC? Como os exemplos vivos no Jardim são modelos educativos e científicos de excelência, num autêntico centro de Ciência a céu aberto (2, 3).

Estes formandos serão novos núcleos de disseminação do conhecimento do Jardim e vão ser agentes mobilizadores e angariadores de novos visitantes. “Gerados” nesta casa-mãe, estas “sementes” serão capazes de “germinar” nos seus “locais de instalação” (profissionais, familiares, pessoais), “desenvolver-se” e criar novos projetos e trazer mais pessoas e novas valências para o conhecimento e promoção do jardim – verdadeiras sementes de Jardim.

1. Tavares, A.C. (2008). Jardim Botânico de Coimbra: uma joia da Univers(c)idade. Newsletter da Universidade de Coimbra. http://www.uc.pt/noticias/10_2008NL/jardim.botanico

2. Tavares, A. C. (2015). Um tributo ao jardim Botânico de Coimbra. Património Mundial da Humanidade, 2013/ A tribute to the Botanic Garden of Coimbra. World Heritage Site, 2013. Versão digital: Málaga: Eumed - Universidade de Málaga. Link: http://www.eumed.net/libros-gratis/2015/1465/index.htm. Versão imprensa em papel - Edição de autor, 2015. Coimbra: Bibliotecas da Universidade de Coimbra. ISBN: 978-989-20-6172-6

3. Tavares, A.C. (2015). Educação em Jardins Botânicos – 16 anos de experiência. Málaga: Eumed - Universidade de Málaga. Link: http://www.eumed.net/libros-gratis/2015/1442/1442.pdf Versão imprensa em papel - Edição de autor, 2016. Coimbra: Bibliotecas da Universidade de Coimbra. ISBN: 978-989-20-6732-2