Mais uma nova espécie de orquídea

31 janeiro, 2024≈ 2 mins de leitura

Passam-se em média muitos anos entre a descoberta e a descrição de uma nova espécie. Estimou-se que este «tempo de prateleira taxonómico» médio é de 21 anos. Em janeiro de 2018, João Farminhão, investigador do Jardim Botânico e do Centro de Ecologia Funcional, encontrou e fotografou uma espécie de orquídea nas montanhas do Ruanda que ainda não tinha nome. Passados seis anos, foi anteontem descrita sob o nome de Liparis killmanniae na revista Die Orchidee. A publicação desta novidade no contexto de uma revisão em curso do género Liparis, resulta de uma colaboração entre o botânico do Jardim Botânico e investigadores da Alemanha, Bélgica e Ruanda. A revisão do material de herbário confirmou que a espécie havia já sido colhida em 1929, mas desde então tinha vindo a ser confundida com outra espécie que apenas ocorre no Monte Camarões. Cresce sobre árvores cobertas de musgo nas montanhas do Rift Ocidental, num território abrangendo o Burundi a sul e o Uganda a norte.

Leia o artigo completo aqui