Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Energia para a Sustentabilidade

Universidade de Coimbra responde aos desafios do futuro


Os desafios que actualmente se colocam à sociedade, nomeadamente a escassez de recursos energéticos, as alterações climáticas e a degradação ecológica, exigem respostas de natureza interdisciplinar no estudo, concepção, operação e regulação de sistemas de geração, transporte e uso de energia, bem como nas suas interacções com o meio ambiente.
A iniciativa Energia para a Sustentabilidade (Energy for Sustainability - EfS) reúne a colaboração de docentes das Faculdades de Ciências e Tecnologia, de Economia e de Direito da Universidade de Coimbra, com o apoio de algumas unidades de I&D, com longa experiência de ensino, investigação, transferência de tecnologia e consultoria em temas ligados à energia e ao desenvolvimento sustentável, para responder a estes desafios através da oferta de programas de formação avançada e potenciando a capacidade da intervenção da UC em projectos e acções de diversa natureza nestas áreas. Neste contexto, a iniciativa EfS pretende promover a fertilização cruzada entre áreas científicas e actividades de formação no vasto contexto dos recursos energéticos para o desenvolvimento sustentável, dotando os profissionais de competências para identificar os potenciais desafios, riscos e impactes da produção e da utilização da energia, de modo a adaptar os recursos tecnológicos à procura de acordo com critérios de sustentabilidade e de eficiência.
A iniciativa EfS visa concretizar a transferência de conhecimento para a sociedade no domínio da energia para a sustentabilidade através de actividades de formação avançada, de mestrado e doutoramento, bem como  através de cursos de curta duração.
A iniciativa EfS está fortemente ligada aos problemas reais da sociedade e das empresas, com as quais serão desenvolvidas formas de articulação e de participação, através da interacção directa com decisores na indústria e nos serviços, bem como ao nível dos responsáveis pelas políticas dos sectores relevantes. Para além dos alunos em percursos tradicionais, os programas de formação avançada da iniciativa EfS, em articulação com o programa MIT-Portugal, são também dirigidos a profissionais nas áreas de engenharia, ciências, arquitectura, economia e gestão, entre outras.
Os programas em Energia para a Sustentabilidade visam formar Mestres (2.º ciclo) e Doutores (3.º ciclo) com competências interdisciplinares vocacionadas para a utilização eficiente de energia, para a produção de energia, centralizada e descentralizada, bem como para a distribuição da energia, numa perspectiva de desenvolvimento sustentável, com competências nos domínios tecnológicos relevantes e nos da economia da energia e do ambiente, com capacidade para análise de sistemas e inter-relações entre sistemas. Estes profissionais estarão habilitados a desenvolver investigação e a equacionar problemas de elevada complexidade no âmbito da modelação de sistemas físicos (incluindo edifícios e equipamento), da análise e controlo de sistemas de grande dimensão (tais como redes eléctricas), das interacções energia-ambiente-economia, lidando com tópicos como a avaliação da sustentabilidade, a avaliação de ciclo de vida de sistemas de energia e de fluxos de materiais, da análise económica e de processos de liberalização de mercados de energia, incluindo formas de regulação, do apoio à decisão usando optimização multi-objectivo e avaliação multi-critério com tratamento da incerteza.
Para além do Mestrado e do Doutoramento é também oferecida formação não conferente de grau, com uma duração de dois semestres, designada por Diploma de Formação Avançada.
Todos os cursos funcionarão num contexto de cooperação internacional, em particular no âmbito do Programa MIT-Portugal, com intervenção de especialistas do MIT e de outras escolas (quer presencialmente, quer através de um programa de seminários por videoconferência), no apoio a áreas em que apresentam competências relevantes para
complementar a capacidade própria da Universidade de Coimbra. Todo o programa de formação oferece três áreas de especialização - Sistemas de Energia e Políticas Energéticas, Edifícios e Ambientes Urbanos, Climatização e Conforto, onde existem fortes competências endógenas da Universidade de Coimbra. A formação na área de Edifícios e Ambientes Urbanos proporciona competências para análise de sistemas à escala urbana, quer na perspectiva da organização do espaço, onde se cruzem critérios relativos à funcionalidade, à fruição e à utilização sustentável dos recursos naturais, quer na perspectiva dos edifícios enquanto sistemas complexos, cujas concepção e operação são encaradas no contexto global da eficiência, do conforto e da saúde.
A análise do ciclo de vida – de espaço construído e de equipamentos – , as interacções dos edifícios com o meio envolvente, o planeamento e o apoio à decisão baseados em sistemas de informação geográfica, constituem aspectos centrais nesta área de especialização.
No domínio dos Sistemas de Energia e Políticas Energéticas são facultadas competências em temas ligados à economia da energia e do ambiente, ao funcionamento dos mercados energéticos nas suas várias formas de organização e regulação, à utilização eficiente da energia e aos mecanismos de mitigação das correspondentes barreiras de mercado, à
organização dos sistemas de transporte para a sustentabilidade, entre outros.
A formação na área de Climatização e Conforto proporciona competências para a simulação energética de edifícios, nas suas várias vertentes, em mecânica dos fluidos computacional, no projecto e manutenção de instalações de aquecimento, ventilação e ar condicionado, em tecnologias de fachadas e coberturas de edifícios, em sistemas de climatização e na qualidade do ar interior. O programa de doutoramento (3.º ciclo) está organizado em 6 a 10 semestres (3 anos em tempo total, ou 1 + 4 anos em tempo parcial, nos casos de não bolseiros em dedicação exclusiva).
Nos primeiros dois semestres decorre a parte escolar do curso, na qual os doutorandos realizam 60 ECTS, igualmente repartidos entre unidades curriculares e um projecto de tese. Após estes dois primeiros semestres frequentados com sucesso, o doutorando desenvolve a tese num período compreendido entre 4 e 8 semestres.
O programa de mestrado (2.º ciclo) é constituído por uma parte escolar, com uma duração de 2 semestres e constituída por um conjunto de unidades curriculares relativo a 60 ECTS (correspondendo a um Diploma de Formação Avançada) e uma dissertação de mestrado, com uma duração de 1 semestre (30 ECTS).
A iniciativa EfS dispõe já de um sítio internet em www.uc.pt/efs, onde pode ser encontrada toda a informação relevante para o ano lectivo de 2008/09, primeiro ano em que funcionarão os três cursos.
Já foi feito o lançamento público desta iniciativa e divulgada a Comissão de Acompanhamento, constituída por representantes das mais importantes empresas do sector energético em Portugal.

A Comissão de Coordenação Científica e de Gestão da iniciativa EfS-UC
António Gomes Martins – DEEC/FCTUC, António Tadeu – DEC/FCTUC, Carlos Henggeler Antunes – DEEC/FCTUC, Fausto Freire – DEM/FCTUC, José António Bandeirinha - DArq/FCTUC, Luís Cândido Dias – FEUC, Manuel Gameiro Lopes – DEM/FCTUC.