Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Carta de Intenções

A Carta de Intenções é um texto que sistematiza as ideias iniciais que serviram de ponto de partida e base para a discussão conjunta com os trabalhadores da UC e SASUC.

Consulte a Carta de Intenções em formato pdf AQUI, encontrando-a também reproduzida no texto infra: 


Construir o Futuro, JUNTOS!

Chegou o momento de encontrar soluções conjuntas, coesas e agregadoras, que representem de forma efetiva e real as necessidades e as aspirações do Corpo Técnico da Universidade de Coimbra. Para construir o Futuro é essencial o envolvimento e a participação de todos/as os/as trabalhadores/as - assistentes operacionais, assistentes técnicos/as, técnicos/as superiores e dirigentes - de todas as Unidades e Serviços. É com esta motivação que nasce um projeto diferente, feito de laços, de união e de convergência, e que hoje apresentamos.

Juntos/as, com o empenho de todos/as na construção coletiva, nestes tempos que nos são tão desafiantes, o Futuro tem de começar agora!

Propomos um projeto centrado nas Pessoas e apresentamos um primeiro conjunto de linhas orientadoras, baseadas no acompanhamento de proximidade em todo o percurso da vida profissional dos/as trabalhadores/as na UC:

§ definição de soluções que permitam a contratação de pessoal, por tempo indeterminado, reduzindo as lacunas de recursos humanos existentes, combatendo a precariedade, fortalecendo a estrutura e estabilizando o Corpo Técnico;

§ implementação de mecanismos estáveis e transversais de valorização e de reconhecimento do mérito, nomeadamente os que estejam na esfera dos órgãos de governo da UC, como o recurso à opção gestionária e a atribuição de prémios de desempenho, e reforço de outros mecanismos, como a mobilidade intercarreiras e intercategorias;

§ acompanhamento de carreira, com (re)qualificação e capacitação permanente dos/as trabalhadores/as, promovendo melhores padrões de formação interna, o contínuo reforço e adaptação de competências e o desenvolvimento pessoal e profissional;

§ revisão do Regulamento de aplicação do SIADAP na UC e introdução de melhorias reais no processo de avaliação, com uma efetiva ligação ao desenvolvimento de competências e aos planos de formação;

§ promoção da melhoria das condições laborais e de um acompanhamento efetivo e proactivo das condições de segurança, higiene e saúde no trabalho, nomeadamente no atual contexto;

§ dinamização e estímulo da mobilidade do Corpo Técnico, contribuindo por essa via também para a estratégia de internacionalização da UC;

§ criação de espaços e fóruns de reflexão, abrangendo também momentos de convívio e de partilha entre os trabalhadores/as, incluindo o cuidar dos laços com os/as antigos/as trabalhadores/as, contribuindo para preservar e valorizar o “espírito UC”.

Estas ideias traduzem algumas das preocupações centrais do Corpo Técnico, sendo que todos/as temos um papel ativo e essencial no cumprimento das missões e dos objetivos da UC. Os/As representantes do pessoal técnico contribuirão também para que tenhamos uma voz ativa na gestão da instituição, para lá do referido nestas linhas orientadoras, quer ao nível das suas missões – Investigação, Ensino, Desafios Societais e Internacionalização -, quer dos recursos. Daremos especial atenção e contribuiremos para a adequada gestão dos recursos, seja ao nível do financiamento (desde o modelo de financiamento do ensino superior, à captação de financiamento competitivo na UC), da qualidade (da participação ativa em projetos de modernização e de simplificação, ao contributo para a revisão dos estatutos da UC), sem esquecer a projeção da marca UC e da sua visibilidade e notoriedade.

E porque a Sustentabilidade e a Responsabilidade Social são aspetos centrais na estratégia da Universidade, nos quais o Corpo Técnico desempenha um papel basilar e crucial, assumimos o nosso contributo para uma gestão sustentável, que responda às necessidades do presente sem comprometer o Futuro, com o reforço da consciência e da ação cívica da comunidade académica.

Temos consciência de que a representatividade do Corpo Técnico nos órgãos da UC é reduzida; mas isso não pode ser um fator redutor da nossa importância ou dissuasor da nossa participação. Todos/as deverão sentir-se efetivamente representados/as e acreditar na mais-valia da sua representação. Para tal, é essencial o contacto permanente, próximo e efetivo com toda a comunidade universitária e a colaboração ativa da equipa com todos/as – auscultar e informar não apenas durante o período eleitoral, mas especialmente ao longo de todo o mandato. Esta proximidade vai garantir um contínuo acompanhamento da realidade, das preocupações e ansiedades, dos problemas do dia-a-dia, e das necessidades e aspirações, com a partilha e reflexão conjunta de propostas e de soluções.

Pensaremos de forma audaz na sua resolução, trabalharemos focados na melhoria contínua e agiremos em conformidade. Trabalharemos com responsabilidade, em articulação com outros órgãos e com os/as representantes dos outros corpos no Conselho Geral e no Senado. Assumimos, com humildade, que haverá barreiras que poderão ser mais difíceis de transpor, mas nunca deixaremos de lutar para alcançar os objetivos e dar resposta às necessidades do Corpo Técnico.

A estratégia desta equipa, unida num projeto diferente e cujos primeiros nomes agora apresentamos, passa pela criação de um grupo de reflexão e de trabalho alargado, que laborará em conjunto com os/as eleitos/as, contribuindo para um acompanhamento de proximidade, pensando a UC de forma global e visando assim uma instituição mais participada por todos/as. E dada a existência de um conjunto de preocupações comuns, os/as representantes do pessoal técnico no Conselho Geral e no Senado irão promover uma frutuosa colaboração com a futura Comissão de Trabalhadores.

E porque queremos “Construir o Futuro, JUNTOS”, iremos mais além. Sabemos que muitos dos nossos problemas são comuns a outras universidades; proporemos, por isso, uma plataforma de reflexão e de discussão conjunta entre os/as representantes do pessoal técnico das universidades públicas portuguesas. Estamos certos de que, em conjunto, conseguiremos apresentar propostas mais sólidas e contribuir para a implementação coesa de soluções. Não esquecemos que a revisão do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES) está por fazer e queremos ter voz neste processo.

Reconhecemos que as Pessoas são e devem ser sempre o ativo mais importante da estratégia da UC, que todas são importantes para atingir os objetivos com sucesso e para ultrapassar os obstáculos. Para lá das ideologias ou dos pensamentos de cada um/uma, devemos ter sempre presente que Juntos/as somos UC e que Juntos/as somos mais fortes na construção de um Futuro melhor!

Participe na construção deste que será também o seu projeto, enviando contributos e sugestões diretamente para cada um dos primeiros candidatos efetivos aos dois órgãos (através dos endereços abaixo indicados) e/ou para construir.juntos.uc@gmail.com, um canal aberto de comunicação permanente com os/as seus/suas representantes no Conselho Geral e no Senado, agora e nos próximos anos.

1.º Candidato Efetivo ao Conselho Geral – Alexandre Leal (alexandre.leal@uc.pt)

1.º Candidato Efetivo ao Senado – José Miguel Nunes (miguelnunes@uc.pt)

Mandatário – Filipe Rocha

Primeira Subscritora – Maria João Padez de Castro